Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Effects of size and apical or basal portions of the tiller on the morphology of elephant grass

Carvalho, Bruno Humberto Rezende; Segatto, Bruno Nascimento; Vasconcelos, Kathleen Alves; Queiroz, Gustavo Jordan da Silva; Medica, Jessica Abreu de Sa; Santos, Manoel Eduardo Rozalino.
Vet. Not.; 24(1): 30-42, jan.-abr. 2018. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-736450

Resumo

This work was developed to evaluate the effects of the size and the apical and basal portions of the tiller on the morphology of elephant grass (Pennisetum purpureum cv. Napier). Two experiments were performed. In the first one, the characteristics were evaluated of basal tiller with four sizes (80, 120, 160 and 200 cm). A completely randomized design was used, with three replications. In the second experiment, the morphology of the basal and apical portions, from small tillers (100 cm) and large (180 cm) elephant grass were evaluated. The design was completely randomized and the split-plot scheme was used, with three replications. The numbers of living and dead leaves, stem and leaf lengths, leaf blade width, and tiller mass increased linearly with elephant grass size. The basal portion of the elephant grass tiller had a higher mass (56.2 g), higher percentages of leaf dead (2.1%) and live stem (89.5%), and a lower percentage of live leaf blade (23.4%) than the apical portion. With the increase in size, the elephant grass tiller presents a higher percentage of structural tissues and with a higher stage of development, as well as a lower percentage of photosynthetic tissues. The apical portion of the elephant grass tiller has a higher percentage of photosynthetic tissues and a lower percentage of structural tissues and a higher stage of development compared to the basal portion of the tiller.(AU)
Este trabalho foi desenvolvido para avaliar os efeitos do tamanho e das porções apical e basal do perfilho sobre a morfologia do capim-elefante (Pennisetum purpureum cv. Napier). Dois experimentos foram realizados. No primeiro, foram avaliadas as características dos perfilhos basilares com quatro tamanhos (80, 120, 160 e 200 cm). Adotou-se o delineamento inteiramente casualizado, com três repetições. No segundo experimento, foi avaliada a morfologia das porções basal e apical, oriundas de perfilhos pequeno (100 cm) e grande (180 cm) do capim-elefante. Adotou-se o delineamento inteiramente casualizado e o esquema de parcela subdividida, com três repetições. Os números de folhas vivas e mortas, os comprimentos do colmo e da lâmina foliar, a largura da lâmina foliar, e a massa do perfilho aumentaram linearmente com o tamanho do perfilho de capim-elefante. A porção basal do perfilho de capim-elefante possuiu maior massa (56,2 g), superiores percentagens de lâmina foliar morta (2,1%) e de colmo vivo (89,5%), e menor percentagem de lâmina foliar viva (23,4%) do que a porção apical. Com o incremento do tamanho, o perfilho de capim-elefante apresenta maior percentagem de tecidos estruturais e com maior estádio de desenvolvimento, bem como inferior percentagem de tecidos fotossintéticos. A porção apical do perfilho de capim-elefante possui superior percentagem de tecidos fotossintéticos e menor percentagem de tecidos estruturais e com maior estádio de desenvolvimento, em comparação à porção basal do perfilho.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1