Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

PARASITE EGGS COLLECTION IN PUBLIC SQUARES AND PARKS IN THE MUNICIPALITY OF SÃO PAULO / PESQUISA DE OVOS DE PARASITAS EM PARQUES E PRAÇAS PÚBLICAS DE SÃO PAULO

Triska, Andrea Barbosa Lunardi; Alves, Ana Julia Silva e; Souza, Vanessa Aparecida Feijó de; Rabaquim, Vanessa Cristinne Victor; Kuroda, Rosely Bianca dos Santos.
Atas saúde ambient.; 4(1): 194-201, 2016.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-741571

Resumo

According to the World Health Organization (WHO), soil-transmitted helminthiasis (STH) are amongst the 17 most neglected tropical diseases and affect more than one billion people in the world"s poorest regions. This study aims to evaluate parasite contamination in the sand of children playgrounds in public squares and parks in the municipality of São Paulo. Sand samples from 15 sites were collected in March 2016 and analyzed for parasites using Willis-Mollay (1921) and Faust (1939) techniques. Thirty percent (5/15) of the samples were positive for at least one kind of parasite detected by one of the techniques. Parasite eggs of Ancylostoma sp showed the highest incidence in the samples. These findings indicate that sand contamination in public children playgrounds is considerably important, given the high transmission risk of parasitic diseases to visitors of public squares and parks.
De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), as helmintíases transmitidas pelo solo (Soil-transmitted helmintíases STH) estão entre as 17 doenças tropicais negligenciadas e atingem mais de um bilhão de pessoas das regiões mais pobres do mundo. Este trabalho visou avaliar a contaminação, por parasitas, das areias das áreas de recreação infantil de parques e praças públicas do município de São Paulo. Durante o mês de março de 2016, a areia de 15 parques e praças do município de São Paulo foram analisadas, por meio de pesquisa parasitológica em laboratório, utilizando-se as técnicas de Willis-Mollay (1921) e Faust (1939). Observou-se que 30% (5/15) dos parques e praças analisados apresentaram amostras positivas para algum tipo de parasita, em pelo menos uma das técnicas empregadas. Os ovos de parasita com maior ocorrência neste estudo foram de Ancylostoma sp. Estes achados revelam que a contaminação da areia das áreas de lazer infantis é uma realidade que deve ser considerada, haja vista o acentuado risco de transmissão de doenças parasitárias para os frequentadores destes locais.  
Biblioteca responsável: BR68.1