Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Anthelminthic resistance of gastrointestinal nematodes in sheep to monepantel treatment in central region of Rio Grande do Sul, Brazil

Ramos, Fernanda; Portella, Luiza P.; Rodrigues, Fernando de S.; Reginato, Caroline Z.; Cezar, Alfredo S.; Sangioni, Luis A.; Vogel, Fernanda S.F..
Pesqui. vet. bras; 38(1)2018.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-743726

Resumo

ABSTRACT: Given the numerous reports of anthelminthic resistance of sheep nematodes to different anthelmintic compounds, this study aimed to evaluate the resistance status of gastrointestinal nematodes from naturally infected sheep to monepantel in the state of Rio Grande do Sul. Four farms that present extensive raising system and absence of anthelmintic treatment for 60 days were selected for the study. Lambs that present counts of eggs per gram of feces (EPG) 200 (sensitivity of 50 EPG) one day (D-1) before the treatment were select for the study and randomly separated into two groups, a control group and an experimental group treated with monepantel. Feces were collected 9 days after the treatment (D+9) for EPG counts and fecal culture. The monepantel was 100% effective only on 2. The efficacy found on farm 1, 3, and 4 were 2.82%, 25.8%, and 78.4%, respectably. There were no viable larvae post-treatment at farm 2, but the genera Haemonchus, Trichostrongylus, Cooperia, and Strongyloides were resistant to it at the other farms. This study shows the presence of parasites resistant to the treatment with monepantel, pointing to the importance of monitoring its efficacy in sheep flocks of Rio Grande do Sul, Brazil.
RESUMO: Devido aos numerosos relatos de resistência anti-helmíntica de nematódeos gastrintestinais de ovinos a diferentes compostos, este estudo objetivou avaliar o status da resistência de nematódeos gastrintestinais de ovinos naturalmente infectados ao monepantel no estado do Rio Grande do Sul. Quatro fazendas que apresentam sistema extensivo de criação e ausência de tratamento anti-helmíntico por 60 dias foram selecionados para o estudo. Animais que apresentassem as contagens de ovos por grama de fezes (OPG) 200 (sensibilidade de 50 OPG) um dia (D-1) antes do tratamento foram selecionados para o estudo e separados em dois grupos, um grupo controle e um grupo experimental tratado com monepantel. Fezes foram coletadas nove dias após o tratamento (D + 9) para realização do OPG e cultura fecal. O monepantel foi 100% eficaz apenas na propriedade 2. A eficácia encontrada nas propriedades 1, 3 e 4 foi 2,82%, 25,8% e 78,4%, respectivamente. Não houveram larvas viáveis após o tratamento nas propriedades 2, porém os gêneros Haemonchus, Trichostrongylus, Cooperia e Strongyloides demonstraram resistência a este nas demais propriedades. Este estudo mostra a presença de parasitas resistentes ao tratamento com monepantel, apontando para a importância de monitorar a sua eficácia em rebanhos de ovinos do Rio Grande do Sul, Brasil.
Biblioteca responsável: BR68.1