Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Neoplasias encefálicas em 40 cães: aspectos clínico-epidemiológicos e patológicos

Chaves, Rafael O.; Feranti, João P.S.; Copat, Bruna; Ripplinger, Angel; França, Raqueli T.; Kommers, Glaucia D.; Fighera, Rafael A.; Mazzanti, Alexandre.
Pesqui. vet. bras; 38(4)2018.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-743792

Resumo

ABSTRACT: A retrospective study including dogs with brain neoplasms was conducted at the Service of Neurology (SN) of the Veterinary Teaching Hospital, from 2006 to 2015, with the objective to identify and characterize breed, sex, age, neurological signs, the location, the clinical evolution, the type and origin of the tumor and the findings of complementary examinations and necropsy. Of the 40 dogs with brain tumors included in this study 67.5% were classified as primary origin. Mixed breed dogs and Boxers were the most affected. The main clinical signs observed included seizures, behavioral changes and walk in circle. The thalamus-cortex region was the most affected. Regarding the type of the tumor, the meningioma (32.5%) and oligodendroglioma (12.5%) were the most common. The evolution of the clinical signs varied from four to 210 days (mean 44 days).
RESUMO: Foi realizado um estudo retrospectivo de cães atendidos no Serviço de Neurologia (SN) do Hospital Veterinário Universitário (HVU), de 2006 a 2015, com o objetivo de identificar cães com neoplasias encefálicas e obter informações a respeito da raça, do sexo, da idade, dos sinais neurológicos, da localização, da evolução clínica, do tipo e origem do tumor e dos achados de exames complementares e de necropsia. Dos 40 cães com neoplasias encefálicas incluídos neste estudo, 67,5% foram classificadas como de origem primária. Cães sem raça definida e Boxers foram os mais acometidos. Os principais sinais clínicos observados incluíram crise epiléptica, alteração de comportamento e andar em círculo. A região tálamo-cortical foi a mais afetada. Quanto ao tipo do tumor, o meningioma (32,5%) e o oligodendroglioma (12,5%) foram os mais encontrados. A evolução dos sinais clínicos variou entre quatro e 210 dias (média de 44 dias).
Biblioteca responsável: BR68.1