Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Soropositividade e fatores de risco para leptospirose, toxoplasmose e neosporose na população canina do Estado da Paraíba

Fernandes, Annielle R.F.; Costa, Diego F.; Andrade, Muller R.; Bezerra, Camila S.; Mota, Rinaldo A.; Alves, Clebert J.; Langoni, Hélio; Azevedo, Sérgio S..
Pesqui. vet. bras; 38(5)2018.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-743822

Resumo

ABSTRACT: The aim of this study was to determine the frequency of seropositive animals for Leptospiraspp., Toxoplasma gondii and Neospora caninum in dogs from Paraiba state, northeastern Brazil, and to identify risk factors. A total of 1,043 sera were sampled from dogs from five urban centers considered as regional poles: João Pessoa, Campina Grande, Patos, Sousa and Cajazeiras. For the serological diagnosis of Leptospira spp. infection the microscopic agglutination test (MAT) was used, and for detecting anti-T. gondii and N. caninum antibodies the indirect fluorescent antiboy test (IFAT) was carried out. Ninety-seven dogs showed anti-Leptospira spp. agglutinins, resulting in a frequency of 9.3% (95% CI=7.5; 11.1%). The most frequente serovars were Icterohaemorragiae (47.4%), Copenhageni (16.5%), Bratislava (11.3%), Canicola (10.3%) and Pomona (6.2%). The seropositivities for T. gondii and N. caninum were 22.1% (231/1043; 95% CI=19.6; 24.7%) and 7.7% (80/1043; 95% CI=6.1; 9.3%) respectively. Age >48 months (OR=2.92), mixed breed (OR=1.94) and access to street (OR=1.57) were identified as risk factors for Leptospira spp. infection. For toxoplasmosis, the categories age >48 months (OR=1.74), homemade food (OR=2.24), comercial and homemade food (OR=2.34) and contact with cats (OR=1.57) were considered risk factors, while access to street (OR=2.62) was risk fator for N. caninum. We conclude that dogs from five urban centers in Paraiba state are exposed to Leptospira spp., T. gondii and N. caninum infections, evidenced by antibody detection, as well as it is suggested a better feed management, control of outside home environment access and proper disposal of cat feces.
RESUMO: Objetivou-se com este trabalho determinar a frequência de animais soropositivos para Leptospira spp., Toxoplasma gondii e Neospora caninum em cães do Estado da Paraíba, Nordeste do Brasil, bem como identificar fatores de risco. Foram amostrados 1.043 soros de cães procedentes de cinco centros urbanos considerados polos regionais: João Pessoa, Campina Grande, Patos, Sousa e Cajazeiras. Para o diagnóstico sorológico da infecção por Leptospira spp. foi utilizada a soroaglutinação microscópica (SAM) enquanto que para detecção de anticorpos anti-T. gondii e N. caninum empregou-se a reação de imunofluorescência indireta (RIFI). Noventa e sete cães apresentaram aglutininas anti-Leptospiraspp., resultando em frequência de 9,3% (IC 95% = 7,5-11,1%). Os sorovares de maior frequência foram Icterohaemorragiae (47,4%), Copenhageni (16,5%), Bratislava (11,3%), Canicola (10,3%) e Pomona (6,2%). Observou-se soropositividade de 22,1% (231/1.043; IC 95% = 19,6-24,7%) e 7,7% (80/1.043; IC 95% = 6,1-9,3%) para T. gondii e N. caninum, respectivamente. Idade >48 meses (OR=2,92), raça não definida (OR=1,94) e criação com acesso à rua (OR=1,57) foram apontados como fatores de risco para infecção por Leptospira spp. Para toxoplasmose, as categorias idade >48 meses (OR=1,74), alimentação com comida caseira (OR=2,24), alimentação com ração e comida caseira (OR=2,34) e contato com gatos (OR=1,57) foram consideradas fatores de risco, enquanto que a criação com acesso à rua (OR=2,62) foi fator de risco para N. caninum. Conclui-se que cães de cinco centros urbanos do Estado da Paraíba estão expostos às infecções por Leptospiraspp., T. gondii e N. caninum, evidenciadas pela detecção de anticorpos, bem como sugere-se melhor manejo alimentar, controle no acesso a ambientes externos e destino adequado das fezes de gatos.
Biblioteca responsável: BR68.1