Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Effect of stocking density on the growth and survival of Anomalocardia brasiliana (Gmelin, 1791) (Bivalvia: Veneridae) post-larvae

Oliveira, Isabela Bacalhau de; Lavander, Henrique David; Lima, Priscilla Celes Maciel de; Oliveira, Carlos Yure Barbosa de; Dantas, Danielli Matias de Macedo; Gálvez, Alfredo Olivera.
Ci. Rural; 49(12)2019.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-743951

Resumo

ABSTRACT: Anomalocardia brasiliana post-larvae were cultured for 28 days to evaluate the effect of stocking density on their growth and survival rate. Three stocking densities were tested 40, 80 and 160 post-larvae cm-2, in experimental units (2-L) with static cultivation system and total water renewal at each 48 hours. The experimental design was completely randomized with three treatments and three repetitions each. Stocking density of 40 post-larvae cm-2 reached 1 mm length within 24 days, while only 18% of the post-larvae at density of 80 post-larvae cm-2 reached 1 mm length in the same time. The density of 40 post-larvae cm-2 had the highest specific growth rate, 4.98±0.08% day-1. The survival rates of post-larvae at lower densities were significantly higher (53.24±4.60% and 52.95±3.32%, on 40 and 80 post-larvae cm-2, respectively) compared to higher stocking density (31.54±0.70%). In the cultivation of A. brasiliana post-larvae, stocking density must be managed during growth. The density of 160 post-larvae cm-2 can only be used until the post-larvae reach 600m in length, then they should be at 40 post-larvae cm-2 density to keep the maximum daily growth rate.
RESUMO: Pós-larvas de Anomalocardia brasiliana foram cultivadas por 28 dias para avaliar o efeito da densidade de estocagem no crescimento e taxa de sobrevivência. Três densidades de estocagem foram testadas: 40, 80 e 160 pós-larvas cm-2, em unidades experimentais (2 L) com sistema de cultivo estatístico e renovação total de água a cada 48 h. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com três tratamentos em triplicata. A densidade de estocagem com 40 pós-larvas cm-2 alcançou 1 mm de comprimento após 24 dias, enquanto apenas 18% das pós-larvas estocadas a 80 pós-larvas cm-2 atingiram 1 mm de comprimento no mesmo período. A densidade de 40 pós-larvas cm-2 apresentou a maior taxa de crescimento específico 4,98±0,08% dia-1. As taxas de sobrevivência de pós-larvas em baixas densidades foram significativamente maiores (53,24 ± 4,60% e 52,95 ± 3,32%, em 40 e 80 pós-larvas cm-2, respectivamente) em comparação com a maior densidade de estocagem (31,54 ± 0,70%). Os resultados sugerem que na criação de pós-larvas de A. brasiliana, a densidade populacional deve ser ajustada durante o crescimento. A densidade de 160 pós-larvas cm-2 só pode ser usada até que as pós-larvas atinjam o comprimento de 600µm; em seguida deve ser alterada para a densidade de 40 pós-larvas cm-2 para manter a taxa máxima de crescimento diário.
Biblioteca responsável: BR68.1