Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Structure of bird communities in eucalyptus plantations: nestedness as a pattern of species distribution

Jacoboski, L. I.; Mendonça-Lima, A. de; Hartz, S. M..
Braz. J. Biol.; 76(3)2016.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-744762

Resumo

Abstract Replacement of native habitats by tree plantations has increased dramatically in Brazil, resulting in loss of structural components for birds, such as appropriate substrates for foraging and nesting. Tree plantations can also reduce faunal richness and change the composition of bird species. This study evaluated the structure of avian communities in eucalyptus plantations of different ages and in a native forest. We classified species as habitat specialists or generalists, and assessed if the species found in eucalyptus plantations are a subset of the species that occur in the native forest. Forty-one sampling sites were evaluated, with three point counts each, in a native forest and in eucalyptus plantations of four different ages. A total of 71 bird species were identified. Species richness and abundance were higher in the native forest, reflecting the greater heterogeneity of the habitat. The composition of bird species also differed between the native forest and plantations. The species recorded in the plantations represented a subset of the species of the native forest, with a predominance of generalist species. These species are more tolerant of habitat changes and are able to use the plantations. The commercial plantations studied here can serve as a main or occasional habitat for these generalists, especially for those that are semi-dependent on edge and forest. The bird species most affected by silviculture are those that are typical of open grasslands, and those that are highly dependent on well-preserved forests.
Resumo A substituição de ambientes nativos pela silvicultura está se tornando uma prática cada vez mais comum no Brasil, resultando na perda de componentes estruturais para as espécies de aves, como substratos específicos de forrageamento e nidificação. Esta prática pode reduzir a riqueza e alterar a composição das comunidades de aves. O objetivo deste estudo foi avaliar diferenças na estrutura de comunidades de aves em plantios de eucalipto de diferentes idades e em floresta nativa. Além disso, teve como objetivo classificar espécies em especialistas ou generalistas de habitat e avaliar se espécies encontradas nos plantios de eucalipto representam subconjuntos da floresta nativa. Quarenta e um sítios de amostragem foram avaliados, com três pontos de contagem cada, em uma floresta nativa e em plantios de eucalipto de quatro diferentes idades. Foi identificado um total de 71 espécies de aves. A riqueza de espécies e abundância foram maiores na floresta nativa refletindo a maior heterogeneidade desse habitat. A composição de espécies de aves também diferiu entre a floresta nativa e os plantios. As espécies registradas nos plantios representam um subconjunto das espécies da floresta nativa, o que é explicado pelo predomínio das espécies generalistas. Essas espécies são mais tolerantes às alterações de habitat e são capazes de utilizar os plantios. Nesse sentido, plantios comerciais estudados aqui podem servir como habitat para essas espécies seja de forma principal ou ocasional, especialmente para aquelas espécies de borda e semi-dependentes florestais. Por conseguinte, as espécies de aves mais prejudicadas pela silvicultura são espécies associadas à habitats campestres e aquelas que apresentam alta dependência a florestas bem preservadas.
Biblioteca responsável: BR68.1