Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

EFEITOS HEMODINÂMICOS DA INFUSÃO CONTÍNUA DE BUTORFANOL EM CÃES ANESTESIADOS COM PROPOFOL

Barbosa, Vivian Fernanda; Nunes, Newton; Santos, Paulo Sérgio Patto; Moro, Juliana Vitti; Thiesen, Roberto; Belmonte, Emílio de Almeida.
Ci. Anim. bras.; 16(4)2015.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-745125

Resumo

Abstract The aim of this study was to evaluate the hemodynamic effects of the total intravenous anesthesia with propofol and butorphanol in dogs. For that purpose, twenty adult healthy crossbred dogs were used. The animals were equally allocated into two groups (PG and BG) and induced to the anesthesia with intravenous propofol (10 mg/kg). After orotracheal intubation, controlled ventilation was instituted with 60% oxygen and flow of 30 mL/kg/min in a closed system, with controlled volume. The anesthetic maintenance was accomplished with propofol (0.6 mg/kg/min). The butorphanol group (BG) received, butorphanol 0.1 mg/kg IV, followed by continuous infusion (40 g/kg/h). The placebo group (PG) received only NaCl 0.9% in bolus, followed by venous infusion, in identical volume of the BG. Baseline hemodynamic measurements were performed before opioid or saline administration (M0) and immediately after, every 15 minutes (M15 to M75). Administration of butorphanol resulted in decrease of total peripheric resistance (TPR), arterial pressures (SAP, DAP, MAP) and cardiac output (CO), without clinical relevance. The results allow us to conclude that association provides safe anesthesia for patients with ventilatory support.
Resumo Objetivou-se avaliar os efeitos hemodinâmicos decorrentes da anestesia total intravenosa com propofol e butorfanol em cães. Para tal, foram utilizados 20 animais adultos hígidos, sem raça definida, distribuídos em dois grupos, designados como GB e GP, induzidos à anestesia com propofol (10 mg/kg). Após a intubação orotraqueal, instituiu-se ventilação controlada com oxigênio a 60% e fluxo de 30 mL/kg/min em circuito fechado, com volume controlado. A manutenção anestésica foi realizada com a administração de 0,6 mg/kg/min de propofol. O grupo butorfanol (GB) recebeu butorfanol 0,1 mg/kg IV, seguido de infusão contínua (40 g/kg/h). O grupo placebo (GP) recebeu somente NaCl 0,9% em bolus, seguido de infusão venosa, em volume idêntico ao do GB. As variáveis hemodinâmicas foram avaliadas antes da aplicação do opioide ou da solução de NaCl a 0,9% (M0) e imediatamente após, em intervalos de 15 minutos (M15 a M75). A administração de butorfanol resultou em redução da resistência periférica total (RPT), das pressões arteriais (PAS, PAD e PAM) e do débito cardíaco (DC), sem relevância clínica. Os resultados permitem concluir que a associação proporciona anestesia segura para pacientes com suporte ventilatório.
Biblioteca responsável: BR68.1