Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

PRODUTIVIDADE DO MILHETO EM TRÊS DENSIDADES DE SEMEADURA E DUAS ALTURAS DE CORTE

Trindade, Josilene da Silva; Saenz, Edgar Alain Collao; Dias, Márcia; Banys, Vera Lúcia; Dias, Fernando Jose dos Santos; Pinheiro, Alyson Andrade.
Ci. Anim. bras.; 182017.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-745224

Resumo

Abstract To evaluate the production of pearl millet (Pennisetum glaucum (L.)) at different sowing densities and managed under different cutting heights, a field trial was carried out in the experimental farm of Universidade Federal de Goiás, from March to July (off season crop) after the soybean harvest. A completely randomized block experimental design in a factorial arrangement (3x2) with three sowing densities (10, 15, and 20 kg.ha-1) and two cutting heights (50 and 70 cm) was used. Data were analyzed with SAS® 9.2 (SAS Institute Inc., Cary, NC), considering the density effect in the plot and the height in the subplot. Means were compared by Tukey test. The sowing density did not affect (P 0.05) green mass and dry matter (DM) production. In the comparison between cutting height, the height of 70 cm had higher DM production. However, the total production of the period was not affected (P> 0.05) by sowing density and height management. Total production per hectare was similar between densities and cutting heights. As the cutting height did not affect DM production and allowed a longer period of pasture utilization and lower deployment cost, we recommend a sowing density of 10 kg.ha-¹ and millet cut at 50 cm.
Resumo Com o objetivo de avaliar a produção do milheto (Pennisetum glaucum (L.)) em diferentes densidades de semeadura e manejado em duas alturas de corte, foi realizado um experimento na Fazenda Experimental da Universidade Federal de Goiás, no período de março a julho (safrinha) após a colheita da soja. O delineamento experimental utilizado foi blocos ao acaso em arranjo fatorial (3x2) com três densidades de semeadura (10, 15 e 20 kg.ha-1) e duas alturas de corte (50 e 70 cm). Os dados foram analisados no programa SAS versão 9.2, considerando-se o efeito de densidade na parcela e altura na subparcela. As médias foram comparadas pelo teste Tukey a 5% de probabilidade. A densidade de semeadura não influenciou (P 0,05) nas produções de massa verde e matéria seca (MS). O corte a 70 cm teve maior produção de MS por corte. Quando avaliada a produção total do período, não houve (P>0,05) influência da densidade de semeadura ou da altura de corte. Por não ter afetado a produção de MS e por permitir maior período de utilização da pastagem com menor gasto com sementes no plantio, recomenda-se a densidade de semeadura de 10 kg.ha-1 com corte do milheto aos 50 cm de altura.
Biblioteca responsável: BR68.1