Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Murinometric measurements and retroperitoneal adipose tissue in young rats exposed to the high-fat diet: Is there correlation?

Macêdo, A. P. A; Cordeiro, G. S.; Santos, L. S.; Santo, D. A. E.; Perez, G. S.; Couto, R. D.; Machado, M. E. P. C.; Medeiros, J. M. Barreto.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-745545

Resumo

Abstract Aim This study aimed to verify the correlation between murine measurements and retroperitoneal adipose tissue in rats exposed to the high-fat diet. Material and methods: Wistar male adult rats, descendants of mothers who consumed a high-fat diet during pregnancy and lactation and fed the same diet after weaning were used. At 60 days of life, body weight, longitudinal axis and waist circumference (WC) were measured. The Body Mass Index (BMI) and the Lee Index were calculated for a posterior analysis of the correlation with the amount of retroperitoneal adipose tissue dissected on the same day. For analysis of the data, the Pearson correlation test was used, considering statistical significance for p 0.05. Results: Body weight had a weak correlation (r= 0.31; p= 0.38) with retroperitoneal adipose tissue. While the longitudinal correlated moderately and negative (r= -0.40; p= 0.25). Abdominal circumference (r= 0.62; p= 0.05), body mass index (r= 0.61; p= 0.03) and Lee (r= 0.69; p= 0.03) correlated moderately and positively with adipose tissue. Conclusion: Among the measured murine measurements, weight and longitudinal axis were not good indicators to represent accumulation of retroperitoneal adipose tissue in rats. However, Lee's index seems to be the best murine marker to diagnose the accumulation of retroperitoneal fat. BMI, CA and Lee index were murine parameters with higher correlation.
Resumo Objetivo Este estudo teve como objetivo verificar a correlação entre medidas murinométricas e tecido adiposo retroperitoneal em ratos expostos à dieta hiperlipídica. Material e métodos: Foram utilizados ratos Wistar machos adultos, descendentes de mães que consumiram dieta hiperlipídica durante a gestação e lactação e alimentados com a mesma dieta após o desmame. Aos 60 dias de vida, foram medidos o peso corporal, o eixo longitudinal e a circunferência da cintura (CC). O Índice de Massa Corporal (IMC) e o Índice de Lee foram calculados para posterior análise da correlação com a quantidade de tecido adiposo retroperitoneal dissecado no mesmo dia. Para análise dos dados, utilizou-se o teste de correlação de Pearson, considerando significância estatística para p 0.05. Resultados: O peso corporal apresentou uma correlação fraca (r= 0,31; p= 0,38) com o tecido adiposo retroperitoneal. Enquanto o longitudinal correlacionou moderadamente e negativo (r= -0,40; p= 0,25). A circunferência abdominal (r = 0,62; p = 0,05), índice de massa corporal (r= 0,61; p= 0,03) e Lee (r=0,69; p= 0,03) correlacionaram-se moderada e positivamente com o tecido adiposo. Conclusão: Entre as medidas murinométricas, o peso e o eixo longitudinal não foram bons indicadores para representar o acúmulo de tecido adiposo retroperitoneal em ratos. No entanto, o índice de Lee parece ser o melhor indicador murinométrico para diagnosticar o acúmulo de gordura retroperitoneal. O IMC, índice de Lee e CA foram parâmetros murinométricos com maior correlação.
Biblioteca responsável: BR68.1