Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

New records of the invasive macrophyte, Urochloa arrecta extend its range to eastern Brazilian Amazon altered freshwater ecosystems

FARES, Ana Luisa Biondi; NONATO, Flávia Alessandra da Silva; MICHELAN, Thaísa Sala.
Acta amaz.; 50(2)2020.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-745665

Resumo

ABSTRACT Invasive species influence the structure and functioning of ecosystems, as they affect native species, significantly decreasing their diversity. Aquatic ecosystems harbor a great biodiversity, and invasive macrophytes significantly affect the native plant communities, causing a cascade effect on other trophic levels. Among invasive macrophytes, Urochloa arrecta is cause for concern in the Neotropics and is found in several regions of Brazil, specially in the southeastern and southern regions. So far the species had been recorded only in the northern state of Amazonas. We report the first record of the species in the state of Pará, in the eastern Brazilian Amazon. We emphasize that identifying sites where this species is invasive is the best strategy to prevent its spread, aiming at the protection and conservation of Amazonian freshwater ecosystems.
RESUMO Espécies invasoras influenciam a estrutura e funcionamento dos ecossistemas, pois afetam as espécies nativas, diminuindo significativamente sua diversidade. Ecossistemas aquáticos abrigam uma grande biodiversidade, e as macrófitas invasoras afetam significativamente a comunidade de plantas nativas, causando um efeito cascata nos diferentes níveis tróficos. Dentre as macrófitas invasoras, Urochloa arrecta é fonte de preocupação nos Neotrópicos, sendo encontrada em diversas regiões do Brasil, principalmente no sul e sudeste. Na região norte, a espécie só havia sido registrada no Amazonas. Trazemos aqui o primeiro registro desta espécie no estado do Pará, na Amazônia oriental brasileira. Destacamos que a identificação dos locais onde a invasão desta espécie ocorre é a melhor estratégia para que medidas de prevenção que evitem sua dispersão sejam tomadas, visando a proteção e conservação dos ecossistemas aquáticos amazônicos.
Biblioteca responsável: BR68.1