Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Filamentous fungi occurrence on Molossus molossus (Pallas, 1766) (Chiroptera: Molossidae) present in an Atlantic Forest remnant in Southern Brazil

Furtado, B. G.; Savi, G. D.; Angioletto, E.; Carvalho, F..
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-759740

Resumo

Abstract The bats usually inhabit shelters with favorable conditions for fungal proliferation, including pathogenic and opportunistic species. The fungal diversity present on bats is little known and the studies are scarce in Brazil, which only a work has been performed in Cerrado and Pantanal biomes. Therefore, the objective of this study was evaluating the occurrence of filamentous fungi on the rostral region of Molossus molossus in an Atlantic Forest remnant of Brazil. The bats were captured with mist nets installed outside a shelter located in the municipality of Treviso, (28°29'23S and 49°31'23W), south region of state Santa Catarina. With a swab sterile moistened in saline solution, samples from the rostral region were obtained from all captured M. molossus individuals. The samples were taken to the laboratory for analysis and isolation in different culture media, followed of identification of fungal through the microculture technique. In total, 15 individuals were captured, which five fungal genus and 19 taxa were identified. Among the taxa registered, Aspergillioides sp.2, (47%), Penicillium sp.1 (33%), Chrysonilia sp. (33%), Cladosporium sp. (27%) were classified as little constant. In terms of abundance, Penicillium sp.1 (34%), Aspergillioides sp.2 (21%) and Aspergillus sp.2 (11%) were the most abundant in the samples. The results showed the occurrence of high diversity fungal in the rostral region of M. molossus in the Atlantic Forest, which is higher than observed in others Brazilian biomes. Some fungal genera found may harbor pathogenic and opportunistic species that need to be identified for preventing potential disease well as for bat conservation projects.
Resumo Os morcegos comumente abrigam-se em locais com condições favoráveis para proliferação fúngica, incluindo espécies patogênicas e oportunistas. A diversidade fúngica presente nos morcegos é pouco conhecida e os estudos são escassos no Brasil, no qual apenas um trabalho tem sido realizado nos biomas do Cerrado e Pantanal. Portanto, o objetivo deste estudo foi avaliar a ocorrência de fungos filamentosos na região rostral de Molossus molossus em um remanescente da Mata Atlântica no sul do Brasil. Os morcegos foram capturados com redes-de-neblina instaladas na saída de um abrigo localizado no município de Treviso (28°29'23S e 49°31'23W), região sul do estado de Santa Catarina. Com um swab esterilizado e umedecido em solução salina, amostras da região rostral foram obtidas de todos os indivíduos de M. molossus capturados. As amostras foram levadas ao laboratório para análise e isolamento em diferentes meios de cultura, seguido de identificação taxonômica fúngica pela técnica de microcultivo. No total, 15 indivíduos foram capturados, nos quais 5 gêneros fúngicos e 19 taxa foram identificados. Dentre os taxa registrados foram classificados como pouco constante Aspergillioides sp.2, (47%), Penicillium sp.1 (33%), Chrysonilia sp. (33%), Cladosporium sp. (27%). Em termos de abundância, Penicillium sp.1 (34%), Aspergillioides sp.2 (21%) e Aspergillus sp.2 (11%) foram os mais abundantes nas amostras. Os resultados mostraram ocorrência de elevada riqueza de fungos na região rostral de M. molossus na Mata Atlântica, riqueza essa que é superior àquela observada para outros biomas brasileiros. Alguns gêneros fúngicos encontrados podem abrigar espécies patogênicas e oportunistas que precisam ser identificadas tanto para prevenir potenciais doenças, assim como, para os projetos de conservação dos morcegos.
Biblioteca responsável: BR68.1