Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Cytoarchitecture of the medial nucleus of trapezoid body of three neotropical species of bats (Noctilio leporinus, Phyllostomus hastatus, and Carollia perspicillata) with different foraging behavior

Gibbons, I.; Sundaram, V.; Adogwa, A.; Odekunle, A..
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-759748

Resumo

Abstract The present study was taken to test the hypothesis that the medial nucleus of the trapezoid body (MNTB) of echolocating neotropical bats with different foraging behavior will exhibit morphological variations in relative size, degree of complexity and spatial distribution. The brains were collected from six male adult bats of each species: Noctilio leporinus (fish-eating), Phyllostomus hastatus (carnivorous/ omnivorous) and Carollia perspicillata (fruit-eating) and were double-embedded and transverse serial sections were cut and stained with cresyl fast violet. The results showed that the MNTB is well developed in all the bats in general and the mean length of the MNTB was 1160 ± 124 µm in N. leporinus, 400 ± 59 µm in P. hastatus and 320 ± 25µm in C. perspicillata. The body and brain weight do not reflect proportionately on the size of the MNTB in the present study. The hearing frequency spectrum did not covary with the size of the MNTB among the bats studied. The MNTB is clearly demarcated from the ventral nucleus of the trapezoid body (VNTB) only in P. hastatus. The MNTB comprised mainly three types of cells in all three bats: dense-staining multipolar cells (12.5 µm and 25.0 µm diameter); light-staining multipolar cells measuring (12.5 µm and 25.0 µm diameter) and light-staining round cells (5.0 µm diameter). The large sized MNTB was observed in N. leporinus, which suggests that it relies heavily on echolocation whereas P. hastatus and C. perspicillata use echolocation as well but also rely on hearing, smell and vision.
Resumo O presente estudo foi realizado para testar a hipótese de que o núcleo medial do corpo trapezoide (MNTB) de morcegos neotropicais ecolocativos com comportamento forrageiro diferente apresenta variações morfológicas no tamanho relativo, grau de complexidade e distribuição espacial. Os cérebros foram coletados de seis morcegos machos adultos de cada espécie, Noctilio leporinus (comedor de peixe), Phyllostomus hastatus (carnívoro/onívoro) e Carollia perspicillata (comedor de frutas), e foram seccionados em série e seções seriais transversais duplas e coradas com cresil violeta. Os resultados mostraram que o MNTB é bem desenvolvido em todos os morcegos em geral e que o comprimento médio do MNTB foi de 1.160 ± 124 µm em N. leporinus, 400 ± 59 µm em P. hastatus e 320 ± 25 µm em C. perspicillata. O peso corporal e cerebral não reflete proporcionalmente o tamanho do MNTB no presente estudo. O espectro da frequência auditiva não covaria com o tamanho do MNTB entre os morcegos estudados. O MNTB é claramente demarcado do núcleo ventral do corpo trapezoidal (VNTB) apenas em P. hastatus. O MNTB compreendia principalmente três tipos de células nos três morcegos: células multipolares de coloração densa (12,5 µm e 25,0 µm de diâmetro), células multipolares de coloração clara (12,5 µm e 25,0 µm de diâmetro) e células redondas manchadas de luz (5,0 µm de diâmetro). O MNTB de grande porte foi observado em N. leporinus, o que sugere que ele depende muito da ecolocalização, enquanto P. hastatus e C. perspicillata também usam a ecolocalização, mas dependem da audição, olfato e visão.
Biblioteca responsável: BR68.1