Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Do restinga cnemidophorine lizards run on empty along the Brazilian coast?

Flynn, C. N.; Menezes, V. A.; Rocha, C. F. D..
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-759750

Resumo

Abstract The number of individuals with empty stomachs in a population (i.e. the proportion of individuals running on empty) can be used as a simple index of instantaneous energy balance of some organisms such as lizards and fishes. In this study, we aimed to analyze the proportion of empty stomachs in 16 populations of five cnemidophorine species (Glaucomastix abaetensis, Ameivula ocellifera, Glaucomastix littoralis, Contomastix lacertoides and Ameivula nativo) along approximately 5,000 km the Brazilian coast. A total of 550 individuals had their stomach contents removed and identified in the laboratory. Our results showed that the proportion of individuals running on empty varied from 0 to 11.1% among the different populations and species. These proportions are suggestive that the five studied species would be in an overall positive energy balance at the time of the study.
Resumo O número de indivíduos com estômagos vazios em uma população (i.e. a proporção de indivíduos correndo no vazio) pode ser usado como um índice simples do balanço energético instantâneo de organismos como lagartos e peixes. Este estudo teve como objetivo analisar a proporção de estômagos vazios em 16 populações pertencentes a cinco espécies de cnemidophorines (Glaucomastix abaetensis, Ameivula ocellifera, Glaucomastix littoralis, Contomastix lacertoides e Ameivula nativo) ao longo de cerca de 5,000 km da costa leste do Brasil. Um total de 550 indivíduos tiveram seus conteúdos estomacais removidos e analisados em laboratório. Nossos resultados mostraram que a proporção de indivíduos correndo no vazio variou entre 0 a 11.1% entre as diferentes populações e espécies. Essas proporções sugerem que as cinco espécies estudadas estariam em geral em um balanço energético positivo, quando da realização deste estudo.
Biblioteca responsável: BR68.1