Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

ENTERITE ASSOCIADA À INFECÇÃO POR CORONAVÍRUS EM POTROS PURO SANGUE INGLÊS EM UM HARAS NO RIO GRANDE DO SUL

Meirelles, M.G; Araújo, L.L.; Friedrich Junior, F; Flores, E.F; Nogueira, C.E.W..
Arq. Inst. Biol.; 78(4)2011.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-759910

Resumo

ABSTRACT Enteritises are considered important causes of morbidity and mortality in neonatal foals. Among the agents involved, coronavirus has been described as an etiologic agent of enterocolitis in horses and can act as a primary pathogen in young and immunocompromised foals. This study reports enteric disease associated with coronavirus in 69 thoroughbred foals, bred on a farm located in Aceguá, RS, Brazil. The animals with age between 45 to 90 days had diarrhea, prostration and dehydration. The clinical suspicion of the viral agent came from epidemiological data, the discarding of non-infectious causes, the presentation of clinical signs, and negative results in fecal samples upon parasitological and bacteriological tests. Coronavirus identification was performed by scanning electron microscopy by phase contrast in the stool samples from six foals with clinical enteritis.
RESUMO Enterites são consideradas importantes causas de morbidade e mortalidade em potros neonatos. Dentre os agentes implicados, o coronavírus tem sido descrito como agente causador de enterocolite em equinos, podendo atuar como patógeno primário em potros jovens e imunocomprometidos. Este estudo relata doença entérica associada a coronavírus em 69 potros da raça Puro Sangue Inglês, criados em um haras no Município de Aceguá, RS. Os animais com idade entre 45 e 90 dias apresentavam diarreia, prostração e desidratação. A suspeita clínica do agente partiu da epidemiologia, descarte de causas não infecciosas, apresentação dos sinais clínicos, e exame de fezes negativo para agentes parasitários e bacterianos. A identificação do coronavírus foi realizada por microscopia eletrônica de varredura por contraste de fase nas amostras de fezes de seis potros que apresentavam quadro clínico de enterite.
Biblioteca responsável: BR68.1