Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Effect of density of fingerling and juvenile pirarucu during transportation on water quality and physiological parameters / Efeito da densidade de transporte de alevinos e juvenis de pirarucu sobre a qualidade da água e parâmetros fisiológicos

Lima, Adriana Ferreira; Oliveira, Hyago Jovane Borges de; Pereira, André Silvério; Sakamoto, Silmara Sanae.
Acta amaz.; 50(3): 223-231, jul.-set. 2020. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-760185

Resumo

We assessed the effect of stocking density on physiological parameters (blood lactate, glucose, cortisol, hematocrit), water quality (temperature, dissolved oxygen, pH, unionized ammonia, carbon dioxide), and survival during the transportation of fingerling (24.5 ± 4.7 g) and juvenile (615.8 ± 122.2 g) pirarucu (Arapaima gigas) for six hours in plastic bags. The tested densities were 65, 80, 95, 110 and 125 g L-1 for fingerlings, and 50, 80, 110, 140 and 170 g L-1 for juveniles (three replicates each). Parameters were measured prior to and immediately after transportation, and at 24 and 96 hours recovery after transportation. No mortality was observed, except for fingerlings ( 3%) at densities of 110 and 125 g L-1 during recovery. All the water quality parameters were significantly altered after the transportation of fingerlings and juveniles. Water temperature, dissolved oxygen, carbon dioxide and unionized ammonia increased, but pH decreased. Only carbon dioxide and unionized ammonia differed among densities. Cortisol levels did not increase over time, except for the juveniles at 170 g L-1, which still had high cortisol after 96 hours. Glucose significantly increased after transportation for all the treatments and returned to the initial values during the recovery period. Conversely, the lactate values were still high after 96 hours. Hematocrit was assessed only for juveniles and was significantly lower after transportation. We conclude that fingerling and juvenile pirarucu can be safely transported at densities up to 95 g L-1 and 140 g L-1, respectively.(AU)
Este estudo avaliou o efeito da densidade de estocagem sobre parâmetros fisiológicos (lactato, glicose, cortisol e hematócrito), qualidade de água (temperatura, oxigênio dissolvido, pH, amônia não ionizada e gás carbônico) e sobrevivência no transporte de alevinos (24.5 ± 4.7 g) e juvenis (615.83 ± 122.19 g) de pirarucu (Arapaima gigas) em sacos plásticos por seis horas. Avaliamos densidades de 65, 80, 95, 110 e 125 g L-1 para alevinos, e de 50, 80, 110, 140 e 170 g L-1 para juvenis (três réplicas cada). Os parâmetros de resposta foram medidos antes e logo após o transporte, e após 24 e 96 horas de recuperação. Não foi observada mortalidade, exceto para alevinos ( 3%) das densidades de 110 e 125 g L-1 durante o período de recuperação. Foram observadas alterações significativas em todos os parâmetros de qualidade de água após o transporte de alevinos e juvenis. Houve elevação da temperatura, oxigênio dissolvido, gás carbônico e amônia não ionizada e decréscimo do pH, com diferenças entre as densidades apenas para gás carbônico e amônia não ionizada. Não houve elevação dos níveis de cortisol, exceto para juvenis na densidade de 170 g L-1 que ainda permaneciam com nível alto de cortisol às 96 horas. A glicose se elevou após o transporte em todos os tratamentos, retornando aos valores iniciais na recuperação, ao contrário do lactato, que se elevou e permaneceu alto até as 96 horas. O hematócrito foi avaliado apenas para juvenis e diminuiu significativamente após o transporte. Concluímos que alevinos de pirarucu podem ser transportados com segurança em densidades de até 95 g L-1 e juvenis em densidades de até 140 g L-1.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1