Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Carrageenin induced inflammation in Piaractus mesopotamicus (Osteichthyes: Characidae) cultured in Brazil / Inflamação aguda provocada por carragenina em pacu, Piaractus mesopotamicus (Osteichthyes: Characidae), cultivado no Brasil

Martins, Maurício Laterça; Moraes, Flávio Ruas de; Yudi Fujimoto, Rodrigo; Onaka, Eduardo Makoto; Bozzo, Fabiana Rizzi; Moraes, Julieta Rodini Engrácia de.
B. Inst. Pesca; 32(1): 31-39, 2006.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-760897

Resumo

The present work evaluated the acute inflammatory response induced by carrageenin (500 µg) injection into the swim bladder of pacu (Piaractus mesopotamicus) after consecutive stress of capture. Fish were subjected to air exposition of 30 seconds repeatedly at 60 minutes intervals over six hours. The cellular inflammatory component was evaluated six hours after either the carrageenan or the control (saline injection) by total and differential counts. Cortisol and glucose were analyzed each hour. In the inflammatory exudate, thrombocytes were the most frequently observed cells, followed by macrophages. A significant reduction of cortisol levels was observed after the third stress of capture, as well as an increase in glucose after the second stimulus of stress. Differential counts of circulating leucocytes and thrombocytes show increased percentage of special granulocytic cells and a significant neutrophilia in stressed fish. Non-stressed fish injected with carrageenin presented neutrophilia and lymphopenia. In the swim bladder, carrageenin provoked congestion, interstitial hemorrhage, dissociation of the collagen sheaf and inflammatory infiltrate.  
Este trabalho avaliou a resposta inflamatória aguda induzida por injeção de carragenina (500 µg) na bexiga natatória de pacu (Piaractus mesopotamicus) após estresse consecutivo de captura. Os animais foram submetidos a exposição fora da água por 30 segundos, repetindo-se o processo a cada 60 minutos num período de seis horas. Seis horas depois das injeções de solução salina (controle) ou carragenina, o componente da resposta inflamatória foi analisado pela contagem total e diferencial de células. O cortisol e a glicemia foram analisados a cada hora. A análise do exsudato inflamatório mostra predominância de trombócitos, seguidos por macrófagos. Significativa redução dos níveis de cortisol observa-se nos animais após o terceiro estímulo estressante, bem como aumento da glicemia após o segundo estímulo. A contagem diferencial de leucócitos e trombócitos circulantes mostra maior porcentagem de células granulocíticas especiais e significativa neutrofilia após o estresse. Os animais que receberam injeção de carragenina apresentaram neutrofilia e linfocitopenia. Na bexiga natatória, a injeção de carragenina provocou congestão, hemorragia intersticial, dissociação dos feixes de colágeno e infiltrado inflamatório.
Biblioteca responsável: BR68.1