Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Mandibular osteosynthesis in a Boa constrictor snake / Osteossíntese mandibular em jiboia (Boa constrictor)

Castro, Jorge Luiz Costa; Santalucia, Sérgio; Pachaly, José Ricardo; Villanova Junior, José Ademar; Castro, Verônica Souza Paiva; Balthazar, Daniel Almeida; Spadetti, Alex Lucas; Souza, Wilker Nazareth; Fedullo, Luiz Paulo Luzes; Raiser, Alceu Gaspar.
Semina Ci. agr.; 35(2): 911-918, 2014.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-762990

Resumo

Nowadays are observed an increase in the finding of certain wild animals in urban areas, due to environmental changes caused by deforestation and economic use of natural areas. It causes disappearance of usual prey and forces these animals, including snakes, to migrate to urban areas, becoming vulnerable to injuries caused by aggressions, car accidents and capture. Mandibular and maxillar fractures are common in many animal species, representing about 3-6% of all bone fractures in dogs and cats. Mandibular trauma usually occurs as a result of fights, car accidents and improper handling and/or restraint, and fractures can be closed or open, clean or contaminated. The jaw is a flat bone with differences from the long bones that should be taken into consideration for successful treatment, being minimal muscle coverage and need to maintain occlusion factors that influence the definition of the best ostheosynthesis method. The methods of stabilization include using intramedullary pins, wires, external skeletal fixation, bone plate, and acrylic resin. Conventional bone plates are efficient but related to some complications, such as the necessity of muscular elevation and high risk of injuries to mandibular structures. This article describes the successful results of the application of plate and screws in the ostheosynthesis of a mandibular fracture in a female Boa constrictor snake w
Tem-se observado um aumento do achado de determinados animais selvagens em áreas urbanas, em função das alterações ambientais provocadas pelo desmatamento e uso econômico de áreas naturais. Isso causa o desaparecimento das presas usuais e força esses animais, inclusive serpentes, a migrar para áreas urbanizadas, tornando-os vulneráveis aos traumatismos provocados por agressões, atropelamentos e acidentes de captura. As fraturas de mandíbula e maxila são comuns em diversas espécies animais, representando cerca de 3 a 6% de todas as fraturas ósseas em cães e gatos. O trauma mandibular ocorre geralmente em consequência de lutas, acidentes veiculares e manejo e/ou contenção inadequados. A mandíbula é um osso chato com diferenças em relação aos ossos longos que devem ser levadas em consideração para o sucesso do tratamento, e a necessidade de manutenção da oclusão e a cobertura muscular mínima são fatores que influenciam a definição do melhor método de redução. Entre os métodos de estabilização se destacam a utilização de fio metálico, pino intramedular, fixador esquelético externo, placa de compressão dinâmica e resina acrílica. A utilização de placas ósseas convencionais é eficiente, mas está relacionada a diversas complicações, tais como a necessidade de elevação da musculatura para sua aplicação e alto risco de lesão às
Biblioteca responsável: BR68.1