Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

MOREIRA, P. R. R.; ANTONIO, T. S.; SOUZA, W. M.; SOUZA, N. T. M.; CORREA, C. N..
Ars vet; 23(1): 01-07, 2007.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-764961

Resumo

The ventricular and atrial tributaries of the coronary sinus in the ovine represent basic contribution for the knowledge of the cardiac morphology in the species. In this study, 30 hearts of crossbred adult animals, either males or females, bred and slaughtered in the region of Araçatuba, São Paulo State, Brazil, had been used. After the slaughter of the animals, the joint heart and lungs were collected and brought to the laboratory. After the heart was isolated, a polyethylene cannula was inserted into the ostium of the coronary sinus in the right atrium, and either Neoprene-latex 650 or blue-tained natural latex diluted in water was injected. Following this procedure, the organs were fixed with 10% formaldehyde for no less than 72 hours. A pachymeter was used to measure the coronary sinus and its dissected ventricular and atrial tributaries. The analysis of 30 ovine hearts showed a variation of the length of the coronary sinus, which ranged from 1.9 to 3.2 cm. The amount of ventricular tributaries ranged from 3 to 5 branches, with five branches being more frequently observed. The atrial tributaries ranged from 3 to 8 branches, with either 6 or 7 branches more commonly seen. KEY-WORDS: Heart. Coronary sinus. Ovine
Os afluentes ventriculares e atriais do seio coronário no ovino representam fundamental contribuição para o conhecimento da morfologia cardíaca na espécie. Para tanto, foram utilizados 30 corações de animais mestiços, machos e fêmeas, adultos criados e abatidos na região de Araçatuba (SP). Após o abate desses espécimes, o conjunto coração e pulmões foi coletado e conduzido ao laboratório, isolando-se em seguida o coração, as suas veias foram injetadas mediante cânula de polietileno inserida no óstio do seio coronário no átrio direito. O material injetado foi Neoprene-latéx 650 ou látex natural diluído em água e corado em azul. Depois desse procedimento, os órgãos foram fixados por um período não inferior a 72 horas em solução aquosa de formol a 10%. A seguir, o seio coronário foi mensurado com paquímetro e dissecados os seus afluentes ventriculares e atriais. Ao analisarmos os 30 corações de ovinos observamos uma variação do comprimento do seio coronário de 1,9 a 3,2 cm. A quantidade de afluentes ventriculares oscilou de 3 a 5 ramos, com maior freqüência de 5 ramos. Os afluentes atriais foram em número de 3 a 8 ramos, com maior freqüência de 6 e 7 ramos.PALAVRAS - CHAVE: Coração. Seio coronário. Ovino.
Biblioteca responsável: BR68.1