Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

AVALIAÇÃO DOS EFEITOS TOXICOLÓGICOS DOS ESPERMATOZOIDES DE JUNDIÁ (Rhamdia quelen) EM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE HgCl2

SHIMELLY SOARES ROCHA.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-203684

Resumo

O Jundiá (Rhamdia quelen) é um peixe que se destaca na região sul do Brasil, podendo ser encontrado desde o centro da Argentina até o sul do México, se destaca por possuir fácil adaptação e bons índices reprodutivos, sua maturidade sexual é atingida no primeiro ano de vida apresentando dois picos reprodutivos por ano, um no verão e outro na primavera. Estudos referente ao comportamento de gametas e sua interação com o meio ambiente ainda são incipientes, os gametas são lançados no ambiente onde ocorre a fertilização e neste momento os mesmos estão expostos a diversos contaminantes presentes na água, tais como metais pesados, como o Cloreto de Mercúrio (HgCl2) que tem capacidade de causar danos em qualquer tecido no qual entre em contato. Diante disto, o estudo teve por objetivo avaliar as patologias causadas por danos morfológicos ocasionados pela ativação de espermatozoides com soluções de diferentes concentrações de HgCl2. Para a realização do estudo, foi feita a coleta do sêmen, onde foram utilizados 7 animais machos de idade reprodutiva (489,42 ± 137g e 36,78 ± 3,13cm). O sêmen foi coletado por compressão abdominal, ativado em solução de NaCl 50mM livre de HgCl2 para o grupo controle, e soluções de NaCl 50mM com 0,0001; 0,0002; 0,002 e 0,02 mg/L de HgCl2. Foram avaliados motilidade, vigor e tempo de motilidade como parâmetros subjetivos, integridade e fluidez de membrana, funcionalidade mitocondrial, espécies reativas de oxigênio e fragmentação do DNA como parâmetros de toxicidade celular e patologia espermática como parâmetro de morfologia celular. Os resultados encontrados indicam que em relação aos parâmetros de motilidade, vigor e tempo de motilidade, houve diferença quando comparado ao grupo controle até mesmo na mais baixa concentração avaliada (0,0001mg/L). Entretanto, danos celulares, foram observados apenas, a partir da dose 0,0002mg/L, sendo eles integridade da membrana e fluidez da mesma. No parâmetro morfológico, houve diferença entre o índice de células anormais entre o grupo controle e todas as concentrações avaliadas nos grupos tratados. Estes resultados indicam que o Cloreto de Mercúrio pode ocasionar danos em espermatozoides de Rhamdia quelen, em todas as concentrações testadas.
Biblioteca responsável: BR68.1