Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

MODULAÇÃO DA MICROBIOTA INTESTINAL DE PERUS DE CORTE DESAFIADOS COM SALMONELLA HEIDELBERG E SUBMETIDOS A DIFERENTES PROGRAMAS DE CONTROLE

TARCISIO MACEDO SILVA.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-207038

Resumo

O presente estudo avaliou uso de ácidos orgânicos (AOs), probiótico e produto de exclusão competitiva (EC) administrados continuadamente, via ração, no controle de Salmonella Heidelberg (SH) e a ação sobre a microbiota e morfometria intestinal. Cento e setenta perus de corte fêmeas foram distribuídas, aleatoriamente, em cinco tratamentos com quatro repetições de oito aves cada. No terceiro e no décimo dia de vida, os animais foram submetidos ao desafio oral de SH. No sétimo, 19º e 35º de vida as aves foram eutanasiadas (n=10 por tratamento) e colhido amostras de segmentos do inglúvio, duodeno, jejuno, íleo e ceco para quantificação de SH, quantificação relativa do microrganismo Faecalibacterium prausnitzii e análise morfométrica. No decorrer do período experimental foram realizadas colheitas de suabes cloacais para pesquisa de SH. A administração do probiótico e produto de EC foi capaz de reduzir a incidência e a colonização de SH no inglúvio. Nos cecos os tratamentos reduziram a colonização de SH somente aos 19 dias de idade. Somente a dieta suplementada com AOs influenciou positivamente na quantidade de F. prausnitizii no ceco (19 e 35 dias) e não houve correlação entre a quantidade relativa desse microrganismo e o número de UFCs de SH. A excreção fecal de SH, foi influenciada pelos tratamentos a partir dos 26 dias de vida das aves, aos 34 dias todos os tratamentos reduziram a excreção fecal. A morfometria intestinal foi influenciada pelos tratamentos somente aos sete dias de vida, onde os animais que receberam AOs apresentaram maiores alturas de vilosidades de jejuno quando comparado com o grupo controle positivo. A administração dos aditivos via ração demonstrou eficácia no controle e na persistência da infecção por SH. No entanto, o uso de AOs foi mais eficaz para modular a microbiota cecal, provando que a composição da dieta pode modular populações de bactérias benéficas, mas tais microrganismos podem não estar correlacionadas com a redução da colonização cecal por SH.
The present study evaluated the use of organic acids (AOs), probiotic and competitive exclusion (CE) product administered continuously in the feed on the control Salmonella Heidelberg (SH) and action microbiota and morphometry intestinal. One hundred and seventy poults females were randomly distributed in five treatments with four replicates of eight birds each. In the 3rd and 10th day of life, the animals were submitted to the challenge with SH. In the 7th, 19th and 35th of life the birds were euthanized (n = 10) and samples of the crop, duodenum, jejunum, ileum and caeca were removed to quantification of SH, quantification relative of the Faecalibacterium prausnitzii and morphometric analysis. During the experimental period were perfomerd clocal swabs for SH research. The administration of probiotic and CE product was able to reduce the incidence and colonization of SH in the crop. In the caecum the treatments reduced SH only 19 days of age. Only the diet supplemented with AOs influenced positively on amount of F. prausnitizii in the cecum (19 and 35 days) and there was no correlation between the amount on the microorganism and the number of UFCs of SH. Fecal excretion of SH, was influenced by the treatments from 26 days of life, at 34 days all treatments reduced faecal excretion. The intestinal morphometry was influenced by the treatments only to seven days of age, where the animals that received AOs had higher jejunal villus heights of villi when compared with the positive control. The feed additives administration demonstrated effectiveness in controlling and in the persistence of the infection by SH. However, the use of AOs was most effective to modulate the cecal microbiota, proving that the composition of the diet can modulate populations of beneficial bacteria, but such microorganisms may not be correlated with the reduction of the SH.
Biblioteca responsável: BR68.1