Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Metabolismo de rotina e comportamento natatório do lambari Astyanax bimaculatus submetidos a diferentes salinidades

JULIA SCHULZ CARNEIRO.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-212481

Resumo

Lambari (Characidae) é um peixe de pequeno porte, fácil reprodução, abundante no Brasil e com potencial para a aquicultura, também é utilizado como bioindicador e isca-viva na pesca esportiva em águas interiores. A isca viva mais utilizada na pesca esportiva marinha e estuarina é o camarão branco (Litopenaeus schmitti), mas a atual demanda provocada pela sobrepesca vem acarretando a diminuição dos seus estoques naturais. Sendo assim, o presente estudo teve como objetivo avaliar a resistência do lambari do rabo amarelo Astyanax bimaculatus em diferentes salinidades para que, no futuro, possa ser considerado como alternativa de isca-viva em águas oligohalinas. Para tanto, determinou-se a Concentração Letal 50 (CL50), metabolismo de rotina e comportamento natatório. Para a CL50 (96h), 120 peixes foram divididos nos tratamentos: 0 (controle), 5, 10, 15, 20, 25, 30 e 35 g L-1 de salinidade. Posteriormente, os animais foram expostos nas salinidades de 0, 5 e 10 g L-1 (n=10) e analisados o consumo específico de oxigênio e a excreção específica de amônia após 1 e 24 horas de exposição. O comportamento natatório foi testado com 90 lambaris, divididos em três grupos, nas mesmas salinidades (0, 5 e 10 g L-1), após o período de 2 e 45 minutos de exposição. O resultado da CL50 (96h) foi de 12,73 g L-1. A excreção específica de amônia (p= 0,8) e o consumo específico de oxigênio (p= 0,09) não apresentaram diferença significativa em 24 horas para as salinidades testadas. A excreção específica de amônia apresentou diferença no tempo de exposição de 1 hora na salinidade 10 g L-1 em relação ao controle (p= 0,0003). O mesmo ocorreu para o consumo específico de oxigênio apresentando diferença também, em 1 hora de 14 exposição. Comparando-se o controle aos tratamentos com as outras salinidades, constatou-se diferença estatística (p = 0,02 para 5 g L-1 e 0,006 para 10g L-1). A aceleração da natação do lambari foi reduzida e apresentou diferença significativa em 45 minutos de exposição (p < 0,05) em relação ao controle. O lambari A. bimaculatus apresentou resistência a salinidade em águas até 10 g L-1 podendo ser considerado como alternativa de isca viva para pesca esportiva em regiões estuarinas.
Lambari (Characidae) is a small fish, easy reproduction*, very common in Brazil and it has potential for aquaculture, it is also used as bioindicator and live-bait in sport fishing in inland waters. The most used live-bait in marine and estuarine sport fishing is the white shrimp (Litopenaeus schmitti), but the current demand caused by overfishing has reduced its natural stocks. Nevertheless, this present study aimed to evaluate the yellow tail lambari fish resistence Astyanax bimaculatus in different salinities so, in the future, it might be considered as an alternative option as live-bait in oligahaline waters. We determined Lethal Concentration (LC50), routine metabolism a swimming behavior. To LC 50 (96h), 120 fish were used divided in eight treatments: 0 (control), 5, 10, 15, 20, 25, 30 e 35 g L-1 of salinity. Afterwards, we exposed the fishes in salinities of 0, 5 e 10 g L-1 (n=10) and analyzed specific oxygen consumption and ammonia excretion in 1 and 24 hours of exposition. We tested swimming behavior in 90 fishes, divided in three groups in the same salinities (0, 5 e 10 g L-1), after 2 and 45 minutes of exposition. LC 50 result was 12.73 g L-1. Ammonia excretion (p= 0.8) and oxygen consumption (p= 0.09) did not show difference in 24 hours to all tested salinities. Ammonia excretion presented difference in 1 hour treatment in salinity of 10 g L-1 comparing to control (p= 0.0003). The same occurred with oxygen consumption also showing difference in 1 hour of exposition. Comparing control with the other salinities, there was significant difference (p = 0.02 to 5 g L1 and 0.006 to 10g L-1). Lambari swimming acceleration was decreased and showed significant difference in 45 minutes of exposition (p < 0.05) comparing to control. Lambari A. bimaculatus 15 showed resistence to salty waters until 10 g L-1 and it may be considered as alternative livebait for estuarine sport fishing.
Biblioteca responsável: BR68.1