Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Suplementação mineral no manejo reprodutivo ovino

Vasconcelos, Fernando Feldens.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-2154

Resumo

O efeito da suplementação mineral sobre taxa de prenhez após sincronização com progestágeno e inseminação artificial em tempo fixo (IATF) foi avaliado em ovelhas lanadas não gestantes da raça Merino Australiano (n=260) no período de outono/inverno de 2010. A seleção das fêmeas foi conduzida através do escore de condição corporal, cuja média foi de 2,7 (escala de 1 a 5) e peso vivo médio de 30,0 Kg. Para IATF, todas as fêmeas foram sincronizadas em um dia aleatório do ciclo estral, momento em que receberam um pessário intravaginal contendo 60mg de Acetato de Medroxiprogesterona (MAP; Progespon®, Intervet) no dia zero (D0) e o suplemento mineral. Após doze dias (D12) foi efetuada a administração de 250 UI de eCG (Novormon®, Syntex, Argentina), via intramuscular e o pessário de progesterona foi retirado. Cinquenta e cinco a sessenta horas após (D14) foram conduzidas as inseminações artificiais em tempo fixo com sêmen de dois carneiros. As ovelhas foram distribuídas aleatoriamente em grupos para compor três tratamentos e um lote de ovelhas-controle. O lote de ovelhas do Grupo 1 (n=65) recebeu a associação mineral cujos componentes de maior importância são: 0,375 g de Selenito de Sódio Anidro + 20 g Glicerofosfato de Sódio Anidro (Suplemento 1) e 30 g de Lactobionato de magnésio + 15 g Lactobionato de Cálcio + 8,0 g de Lactobionato de Zinco (Suplemento 2). As fêmeas do grupo (G2) receberam Suplemento 1. O Grupo 3 (n= 65) recebeu Suplemento 2, administrado em uma única aplicação, via subcutânea. Ovelhas que receberam apenas 0,9% de solução salina (G4) via subcutânea, constituíram o grupo controle (n= 65). O diagnóstico de gestação por ultrassonografia retal aos 30 d após a IATF resultou em 66,6%; 44,6%; 39,3% e 46,6% de ovelhas gestantes nos grupos 1, 2, 3 e 4, respectivamente. A administração conjunta dos minerais magnésio, cálcio, zinco (suplemento mineral 1) e selênio (suplemento mineral 2) resultou em maior índice de gestações (P<0,05), sugerindo que a oferta destes minerais pode incrementar a produção ovina
Biblioteca responsável: BR68.1