Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Meta-análise sobre o uso de grãos destilados em dietas para vacas de leite

MARI LUCIA MARQUES XAVIER.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-218691

Resumo

O aumento na produção de etanol da destilação de milho proporcionou aumento na oferta de seus co-produtos para uso na alimentação animal. Assim, ocorreu aumento expressivo em estudos sobre o seu uso em dietas parra vacas de leite últimos anos, o que justifica a realização de meta-análises para melhor investigar os impactos e estabelecer recomendações de uso. Assim, realizou-se uma meta-análise com o objetivo de avaliar os parâmetros produtivos e a utilização de nutrientes em vacas leiteiras submetidas a dietas com grãos destilados. Dados de 35 artigos revisados por pares foram sumarizados para examinar os efeitos dos grãos destilados na dieta sobre o desempenho de vacas leiteiras. Os efeitos foram comparados por diferenças médias brutas (RMD) entre as médias de tratamento dieta com grãos destilados e dieta controle, ponderadas pela variância inversa usando modelos de efeito aleatório. Na dieta controle, os tratamentos (33,8 ± 6,7 kg de leite/d, variação de 13,5 a 44,9 kg/d; ingestão de matéria seca (MS) (CMS; 23,1 ± 3,5 kg de MS/d, variação de 11,9 a 29,7 kg/d); teor de gordura do leite 3,68 ± 0,47%; teor de proteína do leite 3,20 ± 0,25%). Foram utilizados principalmente farelo de soja (80% das observações) e farelo de canola (16%) como fonte de proteína. Também avaliamos os efeitos da inclusão de grãos destilados na dieta (classes: <100, 100-200, 200-300 e > 300 g/kg de matéria seca (MS)) e o processamento de DCG: grãos secos de destilaria (DDG) e DDG com solúveis (DDGS) (30,5 ± 3,1% de proteína bruta (CP) base da MS, e 10,4 ± 3,2% de extrato etéreo (EE), base da MS); grãos de destilaria úmidos (WDG; 33,4 ± 3,6% CP; 11,9 ± 2,3% EE); grãos de destilaria de alta proteína (HPDG; 46,1% CP; 4,63% EE); grãos de destilaria de baixo teor de gordura (LFDG; 32,9 ± 1,5% CP; 4,7 ± 1,2% EE) e grãos de destilaria condensados (CDG; 18,8% CP e 9,8% EE) sobre a RMD. O nível de heterogeneidade foi analisado usando estatísticas I² (baixo 25%; moderado = 26 a 50% e alto> 50%). Em geral, o uso de grãos destilados na dieta não afetou o CMS (P = 0,20) e o teor de proteína do leite (P = 0,31), mas aumentou a produção de leite (RMD = 1,05 ± 0,40 kg d-1; P <0,01; n = 69; I2 = 23,3%) e reduziu teor de gordura do leite (RMD = - 0,11 ± 0,05% no leite; P = 0,01; n = 69; I2 = 22,8%). No entanto, a inclusão dietética de grãos destilados e o processamento dos grãos destilados afetaram as respostas. Inclusão dietética de grãos destilados entre 100-200 g/kg MS (RMD = 0,99 ± 0,63 kg de leite d-1; P <0,01; n = 32) e 200-300 (RMD = 1,49 ± 0,71 kg de leite d-1; P <0,01; n = 15) aumentou a produção de leite, mas nenhum efeito foi observado com inclusão <100 g/kg MS (P = 0,35; n = 12) ou > 300 g/kg MS (P = 0,27; n = 10). Além disso, inclusões abaixo de 300 g/kg MS não afetaram o teor de proteína no leite (P>0,05), mas marcadamente reduziu com níveis grãos destilados acima de 300 g/kg MS. O uso de LFDG (P = 0,25; n = 9) e CDG (P = 0,39; n = 4) não afetou a produção de leite, mas a produção de leite tendeu a aumentar com DDG / DDGS (RMD = 0,51 ± 0,52 kg de leite d-1 ); P = 0,06; n = 45), e aumentou com WDG (RMD = 2,24 ± 1,21 kg de leite d-1; P <0,01; n = 6) e HPDG (RMD = 2,55 ± 0,53 kg de leite d-1; P <0,01; n = 5). Os principais efeitos da inclusão de grãos destilados na fermentação ruminal (P<0,05) foram aumento da produção de propionato em detrimento ao acetato, reduções no pH e produção de amônia ruminal. O uso de grãos destilados de milho na dieta pode melhorar o desempenho produtivo de vacas leiteiras, mas sua resposta depende da inclusão dietética e do processamento industrial. O fornecimento de dietas com DDG/DDGS, LFDG ou CDG não afetam o desempenho produtivo, mas os co-produtos HPDG e WDG melhoram o desempenho produtivo. Níveis ótimos de inclusão dietéticas de grãos destilados estão entre 100 até 300 g/kg MS. Níveis de inclusão acima de 300 g/kg de MS embora não afetaram o consumo e produção de leite, causam marcante redução no teor de proteína do leite e podem aumentar risco de acidose ruminal. Recomendamos estudos para melhor elucidar o mecanismo pelo qual o uso de HPDG e WDG apresentam melhor resposta no desempenho produtivo em relação ao DDG/DDGS. Nossos achados poderão contribuir para auxiliar no melhor uso de grãos destilados na dieta de vacas em lactação. Este estudo será adotado para compor o sub-modelo Co-produtos do sistema de The Nutrition System for Dairy Cattle (NS Dairy Cattle), em desenvolvimento no Dairy Cattle Reseaerch Lab da UFMT/Sinop.
The increase in ethanol production from corn distillation provided an increase in the supply of its co-products for use in animal feed. Thus, there was a significant increase in studies on its use in diets for dairy cows in recent years, which justifies the performance of meta-analyses to better investigate the impacts and establish recommendations for use. Thus, a meta-analysis was carried out with the objective of evaluating the productive parameters and the use of nutrients in dairy cows submitted to diets with distilled grains. Data from 35 peer-reviewed articles were summarized to examine the effects of dietary distilled grains on the performance of dairy cows. Effects were compared by gross mean differences (RMD) between treatment means diet with distilled grain and control diet, weighted by inverse variance using random effect models. In the control diet, the treatments (33.8 ± 6.7 kg of milk/d, variation from 13.5 to 44.9 kg/d; dry matter (DM) intake (DMC; 23.1 ± 3.5 kg of DM/d, range from 11.9 to 29.7 kg/d); milk fat content 3.68 ± 0.47%; milk protein content 3.20 ± 0.25%). Soybean meal (80% of observations) and canola meal (16%) were used mainly as protein source. We also evaluated the effects of including distilled grains in the diet (grades: <100, 100-200, 200-300 and >300 g/kg dry matter (DM)) and DCG processing: distillery dry grains (DDG) and DDG with solubles (DDGS) (30.5 ± 3.1% crude protein (CP) DM basis, and 10.4 ± 3.2% ether extract (EE), DM basis); wet distillery grains (WDG; 33.4 ± 3.6% CP; 11.9 ± 2.3% EE); high protein distillery grains (HPDG; 46.1% CP; 4.63% EE); low-fat distillery grains (LFDG; 32.9 ± 1.5% CP; 4.7 ± 1.2% EE) and condensed distillery grains (CDG; 18.8% CP and 9.8% EE) ) about the RMD. The level of heterogeneity was analyzed using I² statistics (low 25%; moderate = 26 to 50% and high > 50%). In general, the use of distilled grains in the diet did not affect DMI (P = 0.20) and milk protein content (P = 0.31), but increased milk production (RMD = 1.05 ± 0 .40 kg d-1; P <0.01; n = 69; I2 = 23.3%) and reduced milk fat content (RMD = - 0.11 ± 0.05% in milk; P = 0. 01; n = 69; I2 = 22.8%). However, dietary inclusion of distilled grains and processing of distilled grains affected the responses. Dietary inclusion of distilled grains between 100-200 g/kg DM (RMD = 0.99 ± 0.63 kg of milk d-1; P <0.01; n = 32) and 200-300 (RMD = 1.49 ± 0.71 kg of milk d-1; P < 0.01; n = 15) increased milk production, but no effect was observed with inclusion <100 g/kg DM (P = 0.35; n = 12 ) or > 300 g/kg MS (P = 0.27; n = 10). Furthermore, inclusions below 300 g/kg DM did not affect the protein content in milk (P>0.05), but markedly reduced with levels of distilled grains above 300 g/kg DM. The use of LFDG (P = 0.25; n = 9) and CDG (P = 0.39; n = 4) did not affect milk production, but milk production tended to increase with DDG / DDGS (RMD = 0.51 ± 0.52 kg of milk d-1 ); P = 0.06; n = 45), and increased with WDG (RMD = 2.24 ± 1.21 kg of milk d-1; P < 0.01; n = 6) and HPDG (RMD = 2.55 ± 0.53 kg of milk d-1; P < 0.01; n = 5). The main effects of including distilled grains in ruminal fermentation (P<0.05) were increased production of propionate over acetate, reductions in pH and production of ruminal ammonia. The use of distilled corn grains in the diet can improve the productive performance of dairy cows, but its response depends on dietary inclusion and industrial processing. Feeding diets with DDG/DDGS, LFDG or CDG does not affect yield performance, but HPDG and WDG co-products improve yield performance. Optimum levels of dietary inclusion of distilled grains are between 100 to 300 g/kg DM. Inclusion levels above 300 g/kg DM, although not affecting milk consumption and production, cause a marked reduction in milk protein content and may increase the risk of ruminal acidosis. We recommend studies to better elucidate the mechanism by which the use of HPDG and WDG present a better response in productive performance compared to DDG/DDGS. Our findings may help to better use distilled grains in the diet of lactating cows. This study will be adopted to compose the sub-model Co-products of The Nutrition System for Dairy Cattle (NS Dairy Cattle), under development at the Dairy Cattle Reseaerch Lab at UFMT/Sinop.
Biblioteca responsável: BR68.1