Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

INGESTÃO DE ÁGUA EM BOVINOS BRANGUS: RELAÇÃO ENTRE EQUAÇÕES DE PREDIÇÃO, COMPORTAMENTO ALIMENTAR E TEMPERAMENTO

ANGELICA TAROUCO MACHADO.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-218997

Resumo

Realizaram-se dois estudos, e primeiro deles objetivou verificar a influência do comportamento próximo ao comedouro e bebedouro sobre o consumo de água (CA) e avaliar a adequação das equações de predição para estimar o CA em bovinos Brangus no subtrópico. Os dados foram coletados em dois experimentos realizados no Rio Grande do Sul, na EEA-UFRGS, o primeiro em 2017, com 60 novilhas da raça Brangus e o segundo em 2018 com 30 bezerros da mesma raça. Os valores preditos foram calculados utilizando 6 equações previamente publicadas na literatura científica e comparados com os valores de CA medidos nos bebedouros automáticos. As análises de regressão linear entre CA medido e os valores preditos mostraram que todas as equações superestimaram o CA medido, devido a diferenças ambientais e genotípicas e fatores não considerados nas equações. Com as informações geradas nos experimentos, foram propostas equações de predição: CA = - 2,44 + (0,009 x PC) + (0,84 x CMS) (0,10 x UR) + (0,64 x TMAX) e CA= - 2,52 + (0,96 x CMS) (0,09 x UR) + (0,45 x TMAX) + (0,76 x NVCB) + (0,18 x TCB) - (0,02 x NVCC) + (1,81 x TI) para novilhas; e CA1= - 4,23 + (0,98 x CMS) + (0,50 x TMAX) - (0,98 x PP) e CA2 = 13,07 + (0,61 x CMS) - (0,14 x UR) + (0,34 x TMAX) (0,91 x VV) - (0,09 x RS) + (0,99 x NVCB) para bezerros. As equações propostas para os bezerros foram validadas com dados coletados em outro período, com novilhos Brangus. Entre os dois modelos propostos no estudo, o modelo comportamental (CA2) apresentou maior coeficiente de determinação, com média estimada de CA de 9,49 kg para um CA medido de 19,55 kg/d. O segundo estudo objetivou avaliar a influência do temperamento sobre o consumo de água e alimentos de bezerros de corte confinados e analisar o efeito do temperamento sobre as características produtivas dos animais. Os dados foram coletados de 30 bezerros da raça Brangus no ano de 2018 em três avaliações. O temperamento foi avaliado como o escore composto de balança (escores de 1 a 5, de calmos a muito reativos) e, posteriormente, os animais foram categorizados em calmos, intermediários e reativos. O temperamento não influenciou o consumo de água e alimentar dos animais. Animais calmos ganharam menos peso no primeiro período de avaliação que os demais. Animais calmos permaneceram menos tempo no cocho que os demais. O presente estudo confirmou o baixo coeficiente de determinação dos modelos de predição de consumo de água e a superestimação do consumo. O consumo de água e alimentos e a maior parte dos atributos comportamentais ligados à ingestão não foram influenciado pelo temperamento dos bovinos.
Two studies were carried out, the first one aimed to verify the influence of the behavior close to the feeder and drinker on water intake (WI) and to evaluate the adequacy of the prediction equations to estimate the WI in Brangus cattle in the subtropical region. Data were collected in two experiments carried out in Rio Grande do Sul, at EEA-UFRGS. The first was in 2017 studying 60 Brangus heifers and the second was in 2018 studying 30 calves of the same breed. The predicted values were calculated using six previously published equations and compared with the WI values measured in the automatic drinkers. Linear regression analyzes between WI and predicted values demonstrated that all equations overestimated WI, due to both environmental and genotypic differences as well as to factors not considered in the equations. From the information generated in the experiments, new prediction equations were proposed: WI = - 2,44 + (0,009 x BW) + (0,84 x DMI) (0,10 x HU) + (0,64 x MT) e WI = - 2,52 + (0,96 x DMI) (0,09 x HU) + (0,45 x MT) + (0,76 x NVCB) + (0,18 x TCB) - (0,02 x NVCC) + (1,81 x TI) for heifers; and WI1 = - 4,23 + (0,98 x DMI) + (0,50 x MT) - (0,98 x PP) e WI2 = 13,07 + (0,61 x DMI) - (0,14 x HU) + (0,34 x MT) (0,91 x WS) - (0,09 x SR) + (0,99 x NVCB) for calves. The proposed equations for the calves were validated with data collected in other period with Brangus steers. Among the two models proposed in the study, the behavioral model (WI2) presented the highest coefficient of determination, with an estimated mean of 9.49 kg of WI for an observed overall WI of 19.55 kg/d. The second article aimed to evaluate the influence of temperament on the consumption of water and feed of beef calves and to analyze the effect of temperament on the productive characteristics of animals. Data were collected from 30 Brangus calves in 2018 in three evaluations. The temperament was evaluated as the balance composed score (scores from 1 to 5 from calm to very reactive) and, later, the animals were categorized into calm, intermediate and reactive. The temperament did not influence the water and food consumption of the animals. Calm animals gained less weight in the first evaluation period than the rest of them. Calm animals spent less time in the feeder than the others. The present study confirmed the low coefficient of determination of the water intake prediction models and the overestimation of water consumption. The intake of water and food and most of the behavioral attributes linked to ingestion were not influenced by temperament in beef cattle raised in the subtropics.
Biblioteca responsável: BR68.1