Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Desenvolvimento de reação em cadeia da Polimerase e Ecoepidemiologia de Conidiobolus lamprauges em ovinos de Alto Paraguai, Mato Grosso

Silveira, Marcelo Marques Da.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-2232

Resumo

A conidiobolomicose é uma doença granulomatosa associada ao fungo Conidiobolus spp observada em humanos e animais. As técnicas tradicionais para o diagnóstico da doença são o isolamento do agente associado a aspectos epidemiológicos e a presença de sinais clínicos típicos e as condições patológicas. Esse trabalho descreve o desenvolvimento de PCR específico para Conidiobolus lamprauges a fim de detectar a presença do fungo em amostras clínicas. Foi realizada cultura fúngica a partir de amostras de tecidos frescos de ovinos suspeitos da doença (15), e testes histopatológicos e PCR. Amostras de tecidos parafinados (18) também foram submetidas aos testes histopatológicos e à tecnica de PCR. Foram realizadas reações de PCR a partir do DNA dos tecidos frescos e parafinados com primers universais para fungos, amplificando fragmento da região 18S rDNA e primers específicos foram desenhados com base no mesmo gene para C. lamprauges, que gerou produtos de aproximadamente 540 pb e 222 pb respectivamente. A cultura foi positiva em 26,6% das amostras clínicas. A técnica de PCR para C. lamprauges mostrou amplificação de DNA nos tecidos frescos (80%), e parafinados (44,4%). Amostras de pasto e água foram coletadas mensalmente em uma propriedade onde ocorreu surto da doença, a fim de realizar o estudo para detecção de prováveis fontes de infecção para os ovinos. Foram coletadas 12 de amostras de vegetal e água, extraido o DNA e submetidas ao qPCR. Nas analises das amostras ambientais, dos doze meses de coleta, seis mostraram-se positivos para C. lamprauges em vegetal, e três nas amostras de água. A curva-padrão foi gerada resultando em limite de detecção de 1 fg de DNA de C. lamprauges (3,4 x 102 moléculas), ? = 0.98, R2= 0.98 e slope= -3.3. Os resultados evidenciaram que não houve relação da presença do fungo em material vegetal com o período chuvoso observado no estudo. Em conclusão, a técnica de PCR descrita aqui demonstra elevada sensibilidade e especificidade para a detecção de C. lamprauges em amostras clínicas de tecido fresco e parafinado, tornando-se uma ferramenta para um diagnóstico rápido, e que a sazonalidade da doença pode não estar estreitamente relacionada com a presença do agente no ambiente, pois C. lamprauges foi observado em diferentes épocas do ano, no entanto foram quantificados em diferentes níveis durante o periodo do estudo
Biblioteca responsável: BR68.1