Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Estudo da expressão gênica do músculo longissimus dorsi de vacas e seus efeitos na maciez da carne

Souza, Giancarlo De Moura.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-2271

Resumo

O objetivo desse trabalho foi avaliar a expressão dos genes CAST, CASP3 e DNAJA1 no músculo Longissimus dorsi de vacas adultas da raça Nelore. Após o abate as carcaças foram refrigeradas por 24 horas em câmara frigorífica. Mediante ao resfriamento das carcaças, foram retirados bifes do músculo Longissimus dorsi para a determinação da força de cisalhamento, sendo que, de um mesmo animal foram retirados bifes para serem mantidos em resfriamento durante 7 e 21 dias, e sofrerem o processo de maturação. De acordo com os resultados de força de cisalhamento após 24 horas, as amostras foram classificadas em dois grupos (G1 - Dura e G2 - Macia). Foi extraído o RNA total de cada uma das amostras, sendo este avaliado de forma quali-quantitativa. Para a síntese de cDNA utilizou-se uma alíquota de 2µg de cada amostra de RNA total, posteriormente sendo utilizado na amplificação de cada um dos genes em estudo por PCR comum. Cada gene foi clonado em um vetor plasmidial, e a partir do seqüenciamento e confirmação de cada clone, os plasmídeos foram linearizados e utilizados na construção de curvas padrão. Após a obtenção dos resultados das curvas padrão, foi medida a expressão absoluta de cada um dos genes entre os dois grupos experimentais. Os dados foram avaliados num modelo a partir dos extremos de maciez. Houve diferença estatística (p<0,05) para força de cisalhamento entre os tratamentos somente no dia 0. Para o efeito de maturação, houve diferença significativa (p<0,05) para os dois tempos avaliados (7 e 21 dias). Na quantificação absoluta, observou-se diferença estatística (p<0,05) para o gene CASP3, indicando maior expressão deste gene nos animais que apresentaram também maiores valores na força de cisalhamento ao 0 dia. Enquanto que, para os genes CAST e DNAJA1 não foi observada diferença estatística (p>0,05) entre os grupos. Conclui-se que carnes com maior força de cisalhamento expressam mais o gene CASP3, por outro lado, essas carnes sofreram maior processo de maturação, confirmando a hipótese que propõe a ação da caspase 3 no processo proteolítico postmortem
Biblioteca responsável: BR68.1