Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Avaliação do sêmen de búfalos em três meios de criopreservação

Zorzetto, Mariana Furtado.
Botucatu; s.n; 05/03/2013. 77 p.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-2358

Resumo

Os programas que visam aumentar a incorporação de biotecnologias reprodutivas a fim de se obter um incremento genético dos rebanhos bubalinos, visando aumentar a produtividade dos mesmos. No entanto, a melhoria do sistema produtivo e reprodutivo será possível mediante a utilização de tecnologias que viabilizem o melhor aproveitamento dos animais, como a congelação de sêmen. Portanto, o presente estudo teve como objetivo avaliar a qualidade das amostras seminais de búfalos diluídas em três meios diferentes: Botu-bov® (BB), água de coco em pó (ACP-111) e Tris-gema antes e após a criopreservação utilizando o mesmo protocolo. No presente estudo foram utilizados 4 touros bubalinos para colheitas seminais utilizando vagina artificial, os ejaculados foram diluídos com BB, Tris-gema e ACP-111. O sêmen fresco foi analisado quanto ao seu volume, aspecto, cor, concentração (câmara de Neubauer), morfologia realizada por microscopia de interferência diferencial (DIC), cinética pelo sistema CASA e pela microscopia de epifluorescência. Na pós-congelação as amostras foram avaliadas pelo CASA, citometria de fluxo (membrana plasmática, acrossoma, lesões semelhantes à capacitação e fragmentação do DNA) e pela microscopia de epifluorescência. Os diluentes BB e Tris-gema apresentaram melhores resultados para congelação do sêmen de búfalos, em relação ao meio ACP-111 (BB 58,59%; Tris-gema 52,64% e ACP-111 36,94% para MT). Porém o diluente BB demonstrou superioridade em relação à motilidade progressiva espermática (MP para BB, Tris-gema e ACP-111, 47,56%; 40,39% e 29,59% respectivamente), menor porcentagem de índice de fragmentação de DNA (0,85%) e de espermatozoides lesados (24,97%). Assim sendo, mediante o protocolo do presente estudo deduz-se que o BB apresenta superioridade na congelação de sêmen de búfalos, sendo este a melhor opção de diluente para essa biotecnologia
These programs aim to increase the incorporation of reproductive biotechnologies in order to obtain a genetic increment of buffalo herds to increase their productivity. However, improving the productive and reproductive system will be possible through the use of technologies that enable the best use of animals, such as semen freezing. Therefore, this study aimed to evaluate the quality of semen samples of buffalo diluted in three different extenders: Botu-bov ® (BB), powdered coconut water (ACP-111) and Tris-yolk before and after cryopreservation using the same protocol. In the present study was used four buffalo bulls for seminal collection using artificial vagina. The ejaculates were diluted with BB, Tris-yolk and ACP-111. The fresh semen was analyzed for volume, appearance, color, concentration (Neubauer chamber), morphology performed by differential interference microscopy (DIC), the kinetic by CASA system and membrane integrity by epifluorescence microscopy. In the post-freeze moment the samples were evaluated by CASA, flow cytometry (plasma membrane, acrosome, lesions similar to capacitation and DNA fragmentation) and by epifluorescence microscopy. The extenders BB and Tris-yolk showed superior results for semen freezing of buffalo in relation to the ACP-111 (BB 58,59%; Tris-yolk 52,64% e ACP-111 36,94% for MT). However the diluent BB demonstrated superiority for progressive sperm motility (MP for BB, Tris-yolk and ACP-111, 47,56%; 40,39% e 29,59% respectiblely), lower percentage of DNA fragmentation (0,85%) and lower percentage of damaged sperm (24,97%). Thus, through the protocol of this study it shows that the BB has superiority in semen freezing of buffalo, appearing to be the best option of extender for this biotechnology
Biblioteca responsável: BR68.1