Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Estudo dacriocistográfico e tomográfico da via lacrimal excretora de cães portadores de epífora

Vieira, Nívea de Mattos Góes.
Botucatu; s.n; 12/22/2009. 71 p.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-3440

Resumo

O mecanismo de drenagem lacrimal do cão não é totalmente conhecido. Afecções do sistema nasolacrimal no cão podem ser congênitas ou adquiridas, e são causadas pela ausência de patência ou por processos inflamatórios. A propedêutica da via lacrimal excretora é importante para identificar a causa da epífora. Pelo exame de Radiografia (R-X) e da Tomografia Computadorizada (TC), obtêm-se imagens da trajetória, conformação, tortuosidades e anormalidades do ducto lacrimonasal (DLN). O estudo tomográfico permite análise minuciosa, quando comparada à técnica radiográfica contrastada, que sofre interferência de estruturas ósseas regionais. A principal vantagem da TC sobre outros métodos de diagnóstico por imagem consiste em detectar lesões ósseas. O objetivo deste estudo foi correlacionara presença de epífora em cães de diferentes raça, pelagem, sexo, idade, peso, intensidade da mancha lacrimal e as alterações do ducto lacrimonasal vistas ao exame DCG e com TC, ambos com o uso de contraste iodado. Foram utilizados 20 cães, de raças e pelagens variadas, machos e fêmeas, com pesos entre 01 e 20 kg, de 0 a 08 anos de idade, todos apresentando epífora crônica. Foram utilizados, como grupo controle, 15 cães, sem alterações clínicas de drenagem, de raças e pelagens variadas, machos e fêmeas, com pesos entre 01 e 20 kg, de 0 a 08 anos. Esses animais também foram submetidos à radiografia, seguida de tomografia computadorizada, ambas sob técnicas contrastadas. Com os resultados obtidos, concluiu-se que: os cães da raça poodle, de pelagem clara e pequeno porte, jovens e adultos jovens, com epífora moderada foram os mais acometidos pela mancha lacrimal; dilatações também podem ser observadas em alguns cães sem sinal clínico da afecção; comunicação do ducto lacrimonasal com o seio nasal não indica alteração causadora de epífora...
The dog?s lachrymal drainage mechanism is not completely known. Nasolachrymal system affections on dogs might be congenital or acquired, and are caused by patency absence or inflammatory processes. Workup of the lacrimal drainage system is important to identify the cause of epiphora. By radiography exams (x-ray) and computed tomography (CT scan) is possible to obtain trajectory, conformation, sinuosities and naso-lachrymal duct anomalies images. The tomographic study allows a careful analysis, when compared to the contrasted radiography technique, which suffers interference from regional bone structures. The CT scan main advantage over other image diagnosis methods consists in detecting bone lesions. This study objective was to correlate epiphora presence in animals of different breed, coating, sex, age, weight intensity of staining and naso-lachrymal ducts alterations in dogs presenting epiphora, views through of DCG examination and CT scan techniques, both using iodized contrast. Twenty dogs were used, different breeds and coatings, male and females, weighing from 1kg to 20kg, ages varying from newborn to 8 years old, all of them presenting epiphora. Were used as a control group, fifteen dogs with no clinical alterations in nasolachrymal duct drainage, from different breeds and coatings, males and females, weighing from 1kg to 20 kg, ages varying from newborn to 8 years old. These animals were also submitted to radiography, followed by a CT scan, both under contrasted techniques. With the obtained results, it was possible to conclude that: the poodles dogs, clear coating and small size, youth and young adults, and with moderate epiphora were the most affected by the tear stains; dilations can be observed in some dogs without clinical signs of disease; nasolacrimal duct communication with the sinus does not indicate change causing epiphora, because it is present in animals...
Biblioteca responsável: BR68.1