Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Diversidade e aspectos ambientais bioecológicos de simulídeos (Diptera: Simulidae) que ocorrem nos municípios adjacentes a construções da Usina Hidrelética de Peixe-Angical, TO, BrasilDiversidade e aspectos ambientais bioecológicos de simulídeos (Diptera: Simulidae) que ocorrem nos municípios adjacentes a construções da Usina Hidrelética de Peixe-Angical, TO, Brasil

Amaral, Ana Margarida Ribeiro Do.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-613

Resumo

Esta Tese teve como objetivo realizar o levantamento taxonômico e avaliar a dinâmica populacional de Simuliidae em localidades sob influência do Aproveitamento Hidrelétrico de Peixe Angical (Tocantins - TO). Os simulídeos possuem abrangente distribuição geográfica, e os estágios imaturos utilizam ambientes lóticos como sítios de criação. Algumas espécies podem ser vetoras de vírus, protozoários e helmintos, o que confere ao grupo importância médica e veterinária. O hábito hematofágico das fêmeas de simulídeos afeta a vida rural: acarreta sérios prejuízos ao turismo; ocasiona baixa no rendimento escolar; e na agropecuária dificulta a execução do trabalho o que reduz a produtividade. Durante a construção de grandes empreendimentos ocorre em pouco tempo à introdução de contingente populacional com drástica transformação do meio. A intervenção do homem sobre os ecossistemas e o crescimento desordenado, podem provocar desequilíbrio ecológico que propicia a proliferação de espécimes vetores com conseqüentes problemas médicosanitários. O desmatamento e a exploração nos leitos dos rios também afetam a dinâmica populacional dos simulídeos e influenciam na sua distribuição geográfica. Na literatura a maior parte dos trabalhos realizados com insetos vetores em áreas sob influência da construção de hidrelétricas se refere aos sulicídeos. No Brasil, os trabalhos que mencionam os simulídeos em áreas impactadas por hidrelétricas, além de raros, se restringem ao levantamento taxonômico e a breves comentários sobre a formação de lagos com conseqüente desaparecimento dos criadouros ideais para entomofauna de ambientes lóticos. O estudo dos aspectos taxonômicos permitirá o levantamento da biodiversidade e o diferencial deste projeto está no estabelecimento da sazonalidade e dinâmica das populações de imaturos e adultos de simulídeos. As amostras foram obtidas em áreas de influência direta e indireta da UHE Peixe no rio Tocantins, em 12 pontos diferentes de coleta, nos municípios de Peixe, Paranã e São Salvador do Tocantins. Foram realizadas bimestralmente de 2004 a 2007, um total de 24 campanhas para coleta em criadouros pré-selecionados ,que acompanharam todas as fases de construção - início das obras, formação do lago, funcionamento - da Usina. Todos os dados abióticos foram aferidos, e os imaturos removidos do substrato manualmente por 10 minutos e posteriormente preparados para eclosão dos adultos. Parte do material foi identificado no Laboratório de Simulídeos e Oncocercose do Instituto Oswaldo Cruz, onde foram verificados novos registros específicos para a ocorrência de Simuliidae em Tocantins, além do assinalamento de espécies antropofílicas e/ou vetores de Onchocerca volvulus. Não foram coletadas espécies vetoras de Mansonella ozzardi. Não foram coletadas espécies vetoras de Mansonella ozzardi. Espera-se que a maior prevalência seja para os meses de chuva, apesar de a correnteza carrear os substratos com as formas imaturas fixadas rio abaixo, pois nos meses de seca muitos córregos intermitentes secam ou deixam de correr. Nas áreas usadas para a formação do lago houve desaparecimento de criadouros. A mudança hídrica proprciou a formação de novos criadouros artificiais. O desmatamento ocorrido aliado ao vigor dos simulídeos que conseguem realizar vôos de longas distâncias na procura de alimento ou locais adequados a oviposição devem ter contribuído para a dispersão de espécimes. Há relatossobre a da ocorrência de oncocercosena área estudada, um fo
Biblioteca responsável: BR68.1