Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Excreção fecal de progesterone e 17 beta-estradiol

Capezzuto, Adriana.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-7809

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo avaliar o perfil hormonal de cabras leiteiras das raças Toggenburg e Parda Alpina durante a gestação e comparar as concentrações de progesterona e estradiol séricos com as concentrações dos metabólitos destes hormônios nas fezes, durante este período. Foram utilizadas onze cabras, sendo seis da raça Toggenburg e cinco da raça Parda Alpina, adultas e pluríparas. As colheitas de sangue para quantificação de progesterona e estradiol sérico foram realizadas semanalmente do dia da monta até duas semanas após o parto. No mesmo período e frequência, as fezes foram colhidas diretamente do reto, acondicionadas em recipientes hermeticamente fechados e armazenadas a –20°C até o momento das análises. Os metabólitos fecais de estrógenos e progestinas foram previamente extraídos em solventes orgânicos e mensurados por radioimunoensaio (RIE). As correlações encontradas entre a progesterona e o estradiol, e seus metabólitos nas fezes, desde a monta até a segunda semana após o parto foram de r = 0,79; p<0,001 e r = 0,84; p<0,001. Pelo teste de análise de variância não houve influência da raça na quantificação da progesterona sérica e dos seus metabólitos fecais entre a primeira semana de gestação até o parto (p>0,05). O mesmo ocorreu para os metabólitos de estrógeno neste mesmo período e para o estradiol sérico na última metade da gestação. As concentrações da progesterona sérica e seus metabólitos fecais apresentaram significativa queda entre a última semana de gestação e o parto (p<0,01), assim como as concentrações de estradiol sérico (p<0,05). Os seus metabólitos fecais apresentaram significativo aumento entre a última semana de gestação e o parto (p<0,05). O peso das crias nascidas apresentou correlação positiva com a concentração média de progesterona sérica durante a gestação (r = 0,82 ; p = 0,002), não ocorrendo o mesmo com o estradiol sérico. O perfil hormonal observado pelas dosagens de estrógenos e progestinas fecais foi coerente com o observado no soro durante a gestação de caprinos
Biblioteca responsável: BR68.1