Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Farelo de Cacau e Cana-de-Açúcar na Ensilagem de Capim-Elefante

Teixeira, Fabio Andrade.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-8366

Resumo

Foram estudados os efeitos da adição de farelo de cacau e cana-de-açúcar na ensilagem de capim-elefante, com o objetivo de avaliar as perdas, o valor nutritivo e a degradação ruminal. Foram conduzidos três experimentos no Setor de Forragicultura da UESB, Campus de Itapetinga. Nos dois primeiros, o delineamento experimental adotado foi o inteiramente ao acaso, utilizando-se um esquema fatorial 2 x 4, sendo 0 e 15% de farelo de cacau e 0, 15, 30 e 45% de cana-de-açúcar, com quatro repetições. O capim-elefante apresentava 29,2% de matéria seca (MS) e as silagens foram produzidas em silos experimentais de PVC providos com válvulas tipo Bunsen e utilizou-se uma compactação de 600 kg/m3 de silagem. A abertura dos silos ocorreu aos 60 dias após a ensilagem, quando foi determinada a composição químicobromatológica, os teores de nitrogênio amoniacal e o pH das silagens. A adição de farelo de cacau reduziu as perdas de nitrogênio amoniacal e por gases, enquanto a adição de cana-deaçúcar promoveu aumento linear das perdas por gases. Entretanto, a adição associada do farelo de cacau e da cana-de-açúcar permitiu absorção da umidade excessiva, controlaram as perdas de MS, efluente, nitrogênio amoniacal e mantiveram o pH estável, favorecendo ao processo fermentativo na ensilagem do capim-elefante. A cana-de-açúcar também reduziu o teor de fibra em detergente ácido, aumentou a degradabilidade potencial da MS e aumentou os valores dos nutrientes digestíveis totais até a inclusão de 20,5% de cana. A associação do farelo de cacau e da cana-de-açúcar ao capim-elefante, no processo de ensilagem, melhorou o valor nutritivo da silagem. No terceiro experimento, foi avaliada a degradação ruminal da MS, da proteína bruta (PB) e da fibra em detergente neutro (FDN) de quatro silagens, escolhidas após avaliação no primeiro e no segundo experimento: silagem de capim-elefante sem aditivo; aditivada com 30% de cana-de-açúcar; aditivada com 15% de farelo de cacau; e aditivada com 45% de cana e 15% de farelo de cacau. Amostras de cada silagem foram incubadas no rúmen de três novilhos mestiços holandês x zebu, durante os períodos de 0, 12, 24, 48, 72 e 96 horas. O delineamento experimental utilizado foi o de parcelas subdivididas e os coeficientes não lineares a, B e c, foram estimados por meio de procedimentos iterativos de Gauss-Newton. Para o capim-elefante ensilado com farelo de cacau, foram observados maiores valores da fração a da MS e da PB. As silagens que apresentaram as maiores frações não-degradáveis i da FDN foram as silagens de capim-elefante sem aditivo e com 30% de cana, enquanto a silagem aditivada com 45% de cana e 15% de farelo de cacau destacou-se pela maior degradação potencial da MS, da PB e da FDN, em todos os períodos estudados, e maiores DE da MS e da PB, para as taxas de passagem de 2, 5 e 8%/h. A inclusão associada da cana-de-açúcar com o farelo de cacau no momento da ensilagem do capim-elefante apresenta-se como uma alternativa para aumentar a degradabilidade da forragem em estádio de crescimento avançado
Biblioteca responsável: BR68.1