Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Efeitos tóxicos da merindiba (Buchenavia tomentosa Eichler) sobre parâmetros reprodutivos de ratas prenhes e do desenvolvimento físico e neurocomportamental de suas proles

Nunes, Hugo Miranda Maciel.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-9224

Resumo

Buchenavia tomentosa Eichler, também conhecida como mirindiba, embiridiba, tarumarana ou tanimbuca é uma espécie comumente encontrada no cerrado brasileiro. Muitos produtores de bovinos afirmam que o consumo de frutos desta planta causa abortos em vacas ou mesmo a morte. O objetivo do trabalho foi avaliar os efeitos do consumo de B. tomentosa sobre parâmetros reprodutivos e do desenvolvimento físico e reflexológico da prole de ratos. 28 fêmeas adultas de ratos Wistar foram divididas aleatoriamente em um grupo experimental, que recebeu 10% de B. tomentosa adicionada à ração durante a prenhez e um grupo controle, que recebeu ração convencional no mesmo período. Os frutos da planta foram coletados na região de Araguaína-TO, secados, moídos e armazenados. Parâmetros reprodutivos, peso, ganho de peso, duração da gestação, número de filhotes por ninhada, proporção de filhotes machos e fêmeas e presença de más formações externas foram avaliados. O dia do parto foi considerado o dia pós-natal (PN) 0. No PN 1 as ninhadas foram padronizadas em 8 filhotes, com quatro fêmeas e quatro machos, quando possível. Todos os filhotes e as mães foram pesados no PN 1, 7, 14 e 21. Os consumos de água e ração foram avaliados diariamente. A cada dia, começando no PN 1, todas os filhotes de cada ninhada foram observados quando aos seguintes parâmetros físicos do desenvolvimento: desenvolvimento de revestimento preliminar do pêlo, descolamento da orelha, desenvolvimento do pêlo, erupção do incisivo e abertura do olho. Os seguintes testes reflexológicos foram avaliados: reflexo de preensão palmar, auditivo (startle), reflexo de endireitamento e geotaxia negativa. Verificou-se consumo de ração maior nos dias gestacionais 11 e 17 e aumento de peso no dia 17 do período gestacional das ratas do grupo experimental. Constatou-se ainda que o peso ao 1º dia de nascimento dos filhotes machos foi maior quando comparado ao grupo controle. Demais parâmetros não foram afetados pelo consumo da planta. Os resultados indicam que o consumo de B. tomentosa a 10% na ração durante a gestação causa sinais leves de toxicidade. Outros estudos devem ser conduzidos para melhor investigar as causas da toxicidade e outros efeitos tóxicos de níveis maiores da exposição a essa planta
Biblioteca responsável: BR68.1