Your browser doesn't support javascript.

BVS IEC

Instituto Evandro Chagas

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Toxicidade Aguda em Ratos Wistar Tratados com o Extrato Etanólico de Dioclea grandiflora Mart. Ex Benth (Fabaceae) (EEDg) / Acute Toxicity of Dioclea grandiflora Mart. Ex Benth (Fabaceae) Ethanolic Extract in Wistar Rats

Ramalho, Josué do Amaral Ramalho; Gorgonio, Ivana Ferreira; Lira, Andressa Brito; Alves, Mateus Feitosa; Ramalho, Luciana da Silva Nunes; Cardoso, Ricardo Barros; Dias, Guilherme Eduardo Nunes; Guedes, Edla Julinda Ribeiro Coutinho Espinola; Oliveira, Kardilândia Mendes; Almeida, Reinaldo Nóbrega de Almeida; Diniz, Margareth de Fátima Formiga Melo; Medeiros, Isac Almeida de.
Rev. bras. ciênc. saúde; 18(4): 279-286, 2014. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-772165

INTRODUÇÃO:

A Dioclea grandiflora, conhecido como Mucunã de caroço,atua sobre o Sistema Nervoso Central, doenças da próstata e pedrasnos rins.

OBJETIVO:

Realizar estudo toxicológico não clínico agudo, emratos, com base na Instrução Normativa nº4, de 18 de junho de 2014da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

MATERIAL EMÉTODOS:

Foram utilizados ratos Wistar, ambos os sexos, dose 2000mg/kg, via oral, do extrato etanólico bruto de Dioclea grandifloraadministrado a um grupo tratado e um grupo controle (veículo). Apósa administração, os parâmetros de comportamento foi observado por30, 60, 90, 120, 180 e 240 minutos, consumo de ração e água,parâmetros hematológicos e bioquímicos. O número de sobreviventescontabilizados para determinar a DL50.

RESULTADOS:

Houve aumentoestatisticamente significativo no consumo de água (Controle:160,4±5,85; Tratado: 201,3±8,55) e ração das fêmeas (Controle:95,98±3,02; Tratado: 113,1±2,42) e aumento estatisticamentesignificativo no consumo de água (Controle: 236,7±6,43; Tratado:267,5±8,72) e ração dos machos (Controle: 152,4±2,51; Tratado:177,64,15). Aumento estatisticamente significativo na albumina dosmachos (Controle: 3,2±0,08; Tratado: 3,6±0,08), nas fêmeas reduziuestatisticamente significativo a fosfatase alcalina (Controle:198,5±18,81; Tratado: 99,97±16,02) , proteína total (Controle:7,85±0,09; Tratado: 6,85±0,24) e globulinas (Controle: 4,28±0,14;Tratado: 3,27±0,27). Diminuiu estatisticamente significativo o númerode hemácias nas fêmeas (Controle: 10,18±0,28; Tratado: 9,62±0,18).

CONCLUSÃO:

De acordo com os resultados a DL50 foi superior à dosetestada, porém são necessários estudos toxicológicos de longa duraçãopara atestar a segurança de seu uso...
Biblioteca responsável: BR8.1