Your browser doesn't support javascript.

Biblioteca Virtual em Saúde

BVS - Literatura Científico-Técnica

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Screening for diabetes in pharmaceutical professionals in the State of Mato Grosso do Sul / Rastreamento para diabetes em profissionais farmacêuticos do Estado de Mato Grosso do Sul

Macedo, Sheila Karielly Astofe Magalhães; Paula, Fabiana Vicente de; Lopes, Angela Cristina Cunha Castro; Soares, Denise Caroline Luiz; Galete, Juliana; Ávila, Jeniffer Oliveira Lescano de; Polisel, Camila Guimarães.
Mundo saúde (Impr.); 43(2): [456-471], abr., 2019. tab
Inglês, Português | Humanização | ID: mis-40449
O diabetes mellitus tipo 2 (DM2) é uma doença metabólica caracterizada por hiperglicemia crônica, resultante dasecreção ou ação deficitária da insulina, sendo responsável por mais de 90% dos casos de diabetes e associado acomplicações macro e microvasculares que estão entre as principais causas de morbidade e incapacidade total ouparcial no século XXI. O objetivo deste estudo foi realizar o rastreamento para o DM2 em profissionais farmacêuticosdo Estado de Mato Grosso do Sul (MS), Brasil. Tratou-se de um estudo descritivo com desenho transversal e abordagemquantitativa, realizado com farmacêuticos de sete municípios do Estado de MS, no período de março de 2017 a junhode 2018. O método utilizado para o rastreamento do DM2 foi a autoaplicação do instrumento Finnish Diabetes RiskScore (FINDRISC), que incorpora as seguintes variáveis: idade, IMC, circunferência abdominal, hipertensão, atividadefísica, dieta, história familiar de diabetes e história de intolerância à glicose. Cento e cinquenta e três farmacêuticosforam incluídos no estudo. Desses, 127 (83,0%) eram do sexo feminino. Considerando os resultados do instrumentoFINDRISC, 9,8%, 13,1%, 25,5% e 51,6% apresentaram alto, moderado, pouco elevado e baixo risco, respectivamente,de desenvolvimento de DM2 nos próximos 10 anos. Os resultados apontaram que aproximadamente metade (n=74;48,4%) dos profissionais avaliados apresentou risco de desenvolver DM2 acima da classificação de baixo risco.Ressaltam-se, ainda, as contribuições deste estudo na orientação dos profissionais relacionadas à possibilidade dealteração dos fatores de risco modificáveis, a fim de reduzir de forma significativa o risco de desenvolvimento de DM2(AU)
Biblioteca responsável: BR599.1