Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 12.764
Filtrar
Mais filtros











Filtros aplicados
Intervalo de ano de publicação
1.
Fortaleza; s.n; mar. 2021.
Tese em Português | LILACS, BDENF | ID: biblio-1252509

RESUMO

Pessoas Vivendo com HIV (PVHIV) são particularmente vulneráveis à má qualidade do sono, devido à múltiplos fatores, como a própria doença, estigma e eventos adversos da Terapia Antirretroviral (TARV). O objetivo geral do estudo foi determinar a prevalência de distúrbios do sono em PVHIV e seu impacto na qualidade de vida. Trata-se de um estudo transversal, realizado no ambulatório de infectologia do Hospital São José (HSJ) em Fortaleza, Ceará. Foi calculada amostra de 385 PVHIV, selecionadas pela estratégia do tipo não probabilística por conveniência, sendo convidados a participar do estudo no dia da consulta de rotina. Os critérios de inclusão foram: PVHIV do sexo masculino ou feminino, idade igual ou maior a 18 anos, em TARV por pelo menos três meses. Critérios de exclusão: gestantes, doença mental incapacitante, moradores de rua e privados de liberdade. A coleta de dados ocorreu no período de um ano, por meio de entrevista em consultório privativo, com duração média de 20 minutos, utilizando os instrumentos: 1. Formulário Sociodemográfico, Epidemiológico e Clínico para PVHIV; 2. Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh (PSQI-BR); e 3. Instrumento de Avaliação da Qualidade de Vida para PVHIV (WHOQOL-HIV-Bref). Para análise de dados realizou-se estatística descritiva, análise de regressão logística univariada e multivariada, para determinar a razão de chances (RC) ajustada, precisão (intervalo de confiança de 95% - IC95%) e significância da estimativa (teste de Wald). Empregaram-se testes bicaudais, estabelecendo se o nível de significância em 0,05 (5%), considerando-se estatisticamente significante o valor P<0,05. O software IBM SPSS Statistics versão 23.0 e o software R versão 4.0.3 foram utilizados para procedimentos estatísticos. O projeto foi aprovado pelos Comitês de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Ceará e HSJ, respeitando-se a Resolução n°466/2012 do Conselho Nacional de Saúde. Os resultados mostraram que a prevalência de distúrbios do sono na amostra foi de 43,38% (intervalo de confiança de 95%: 38,43% - 48,33%). Na análise multivariada, apenas o fato de ter filhos (P=0,0054; RC=1,91; IC95%=1,21-3,01), possuir oito anos ou menos de estudo (P=0,0013; RC=2,11; IC95%=1,34-3,34) e não praticar exercício físico regular (P=0,0001; RC=2,61; IC95%=1,61-4,23), constituíram fatores independentes associados à ocorrência de distúrbios do sono em PVHIV. Quando avaliada a percepção geral das pessoas com HIV acerca da qualidade de vida pelo instrumento WHOQOL-HIV-Bref (pergunta 1), categorizando-se em satisfatória (respostas: 4-boa, 5-muito boa) e insatisfatória (respostas: 1-muito ruim, 2-ruim, 3-nem ruim nem boa), teve-se uma prevalência de 34,80% de qualidade de vida insatisfatória. Na análise de regressão logística multivariada, a renda mensal menor ou igual a um salário mínimo (P<0,0001; RC=3,19; IC95%=1,87-5,45), não praticar exercício físico regular (P=0,0032; RC=2,27; IC95%=1,32-3,92), ter distúrbios do sono (P=0,0039; RC=2,04; IC95%=1,26-3,31) e estar desempregado, constituíram fatores independentes associados à qualidade de vida insatisfatória. Quanto à mediana dos escores do instrumento WHOQOL-HIV-Bref, a percepção da qualidade de vida nos Domínios II (Psicológico), III (Nível de Independência) e V (Meio Ambiente) foi considerada intermediária, e superior nos Domínios I (Físico), Domínio IV (Relações Sociais) e Domínio VI (Espiritualidade/Religião/Crenças). Concluiu-se que 43,38% das PVHIV da amostra tinham distúrbios do sono, sobretudo, aqueles com filhos, oito anos ou menos de estudo e que não praticavam exercício físico regular. Na análise da qualidade de vida, 34,80% das PVHIV tiveram percepção insatisfatória, principalmente, aquelas com renda mensal menor ou igual a um salário mínimo, desempregados, sem prática regular de exercício físico e com distúrbios do sono. Os domínios do instrumento WHOQOL-HIV-Bref mais afetados foram o II, III e V, nos quais a percepção acerca da qualidade de vida foi considerada intermediária. (AU)


Assuntos
Qualidade de Vida , Síndrome de Imunodeficiência Adquirida , HIV , Promoção da Saúde , Distúrbios do Início e da Manutenção do Sono
2.
São Paulo; s.n; 2021. 48 p. ilust, tabelas.
Tese em Português | LILACS, PrevCan | ID: biblio-1247912

RESUMO

Introdução: A prevalência do câncer de pulmão tem aumentado cerca de 2% ao ano e é considerado um problema de saúde pública mundial, sendo a principal causa de morte por câncer entre homens e mulheres. O Câncer de Pulmão de Células Não Pequenas (CPCNP) representa 85-90% dos cânceres de pulmão. A detecção do rearranjo do gene ROS1, considerada um importante fator preditivo para direcionamento terapêutico, constitui uma etapa crítica no tratamento de CPCNP. Objetivo: Avaliar a prevalência do rearranjo do gene ROS1 em pacientes portadores de CPCNP não escamoso, sem mutação de EGFR ou rearranjo de ALK, diagnosticados na Região da Foz do Rio Itajaí, Estado de Santa Catarina, Brasil, no período de 02/01/2019 a 27/07/2020. Materiais e Métodos: Estudo observacional, retrospectivo e prospectivo, descrito e analítico com 95 pacientes que possuíam material de biópsia suficiente para a realização de novas análises e que não apresentavam mutação de EGFR ou rearranjo de ALK. Os pacientes com imuno-histoquímica positiva para a proteína ROS1 foram testados pelo método de FISH, utilizando-se uma sonda de DNA do tipo break-apart para o gene ROS1. Foi realizada uma análise descritiva da amostra, e os resultados foram apresentados em números absolutos e porcentagens, representados por tabelas. O teste de qui-quadrado (χ2) foi empregado para comparação das frequências entre os grupos analisados. Resultados: 52,6% foram pacientes do sexo masculino; a idade mediana foi de 64 anos; 54,7% declararam-se tabagistas; 40,0% apresentavam doença estágio IV; 29,5% apresentaram tumores com alta expressão de PD-L1. Quanto a expressão de ROS1 por imuno-histoquímica: 89,5% foram identificados como ROS1+ em 0% das células tumorais, 4,2% como ROS1+ em <70% das células, e 6,3% como ROS1+ em ≥70% das células do tumor; portanto, 10,5% apresentaram resultados positivos para expressão de ROS1. Estes pacientes foram submetidos à análise de rearranjo de ROS1 pelo método de FISH e 7 (7,4%) apresentaram resultados positivos. Conclusão: Na população estudada, a análise pelo método de FISH mostrou uma prevalência de 7,4% para rearranjos do gene ROS1


Introduction: Lung cancer prevalence has been increasing at rate of 2% per year and is considered a major public health concern worldwide, being the main cause of cancer death among women and men. Non-small cell lung cancer (NSCLC) represents 85-90% of total lung cancer. Detecting the rearrangement of the ROS1 gene is critical to the treatment of NSCLC. Objective: To assess the prevalence of the ROS1 gene rearrangement in patients diagnosed with non-squamous NSCLC patients diagnosed between January 2019 to July 2020 at Foz do Rio Itajaí, in the state of Santa Catarina, Brazil. Materials and Methods: This is a retrospective and prospective observational study Ninety-five NSCLC whose tumors were negative for EGFR mutation and ALK rearrangement and who had enough tumor tissue to carry out additional molecular analysis. Patients whose tumors were positive for ROS1 by immune-histochemistry were tested using by FISH using a break-apart DNA probe (Abbot Molecular) for the ROS1 gene. A descriptive analysis was performed and results were presented as absolute frequencies and percentages and depicted in charts. Frequencies were compared with the chi-squared test (χ2). Results: 52,6% were male, mean and median age were 65,10 and 64 years, respectively. 54,7% self-declared as smokers; 40,0% had stage IV disease; 29,5% had tumours with high expression of PD-L1. Regarding the expression of ROS1 by immunohistochemistry: 89,5% were identified as ROS1+ in 0% of cells, 4,2% as ROS1+ in <70% of cells, and 6,3% as ROS1+ in ≥70% of the cells; therefore, 10,5% displayed positive results for the expression of ROS1+. These tumors were subjected to the analysis of ROS1 rearrangement by FISH and 7 (7,4%) were positive. Conclusion: We observed 7,4% prevalence for ROS1 gene rearrangements in this pre-selected population


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Imuno-Histoquímica , Rearranjo Gênico do Linfócito B , Carcinoma Adenoescamoso/diagnóstico , Carcinoma Pulmonar de Células não Pequenas , Receptores ErbB , Quinase do Linfoma Anaplásico
3.
São Paulo; s.n; 2021. 147 p.
Tese em Português | LILACS | ID: biblio-1222354

RESUMO

Introdução: A adolescência é um período de transição entre a infância e a vida adulta, caracterizada por alterações físicas, psicológicas, biológicas, comportamentais, emocionais e sociais. Nessa fase surge a prática de novos comportamentos como o uso do tabaco, consumo de álcool, alimentação inadequada e sedentarismo, que podem desencadear o surgimento de doenças crônicas não transmissíveis, com consequências graves na fase adulta e idosa. A avaliação do estado nutricional do adolescente contribui para a prevenção dessas doenças, por meio da identificação da presença do sobrepeso e obesidade, principalmente na puberdade. Objetivo: Avaliar as associações entre aspectos comportamentais dos hábitos de vida, variáveis antropométricas e o estado nutricional do adolescente definido de forma multidimensional. Método: Estudo transversal de base populacional. A amostra foi composta por 351 adolescentes de 10 a 19 anos, ambos os sexos, selecionados por amostragem complexa em domicílios da zona urbana dos municípios de Teresina e Picos - Piauí, no período de setembro de 2018 a fevereiro de 2020. Os perfis antropométricos e de comportamentos de risco foram definidos por Análise de Componentes Principais (ACP), a partir de dados antropométricos (peso, altura, pregas cutâneas), demográficos (sexo e idade), hábitos de vida (uso de cinto de segurança, de capacete, consumo de bebida alcoólica, tabagismo, atividade física) Para avaliar a associação entre os escores dos perfis antropométricos, de comportamentos de risco, os estágios de maturação sexual e a variável desfecho Índice de Massa Corporal (IMC) foi realizado a análise de regressão linear múltipla, com a utilização do estimador estatístico de Pearson, ajustado para sexo, idade e escore de condição socioeconômica. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética da Faculdade de Saúde Pública e da Universidade Federal do Piauí. Resultados: Os perfis antropométricos definidos na primeira ACP foram: Perfil 1 com adiposidade, caracterizado pela associação positiva com as variáveis peso, pregas cutâneas tricipital e subescapular; Perfil 2 de massa não adiposa, caracterizado pela associação positiva com as variáveis peso, altura e idade; Perfil 3 de sexo, com associação positiva com o sexo feminino e idade mais elevadas e indireta com altura e peso. Os perfis de comportamentos de risco extraídos foram: Perfil de comportamento de consumo bebida alcoólica; de tabagismo; de uso de cinto de segurança; de uso de capacete e de inatividade física no lazer. A associação entre o IMC escore z e os perfis antropométricas apresentaram uma relação positiva para o Perfil 1, demonstrando que para cada aumento do escore do perfil, houve aumento de 0,73 kg/m2 no IMC. Em relação à análise dos perfis de comportamento de risco e o IMC escore z, somente o escore do perfil de comportamento de risco para consumo de bebida alcoólica e tabagismo se mostrou associado ao ganho de massa corporal entre os adolescentes. Considerações Finais: A avaliação nutricional dos adolescentes e seus riscos à saúde podem ser mais bem traduzidos por escores multidimensionais que incorporem aspectos antropométricos e comportamentais. Esses escores podem mostrar uma capacidade descritiva sintética superior àquela observada nos indicadores unidimensionais tradicionais, com possíveis resultados precisos nesse público.


Introduction: Adolescence is a period of transition between childhood and adulthood, characterized by physical, psychological, biological, behavioral, emotional and social changes. In this phase, the practice of new behaviors appears, such as tobacco use, alcohol consumption, inadequate diet and physical inactivity, which can trigger the emergence of chronic non-communicable diseases, with serious consequences in adulthood and the elderly. The assessment of the adolescent's nutritional status contributes to the prevention of these diseases, by identifying the presence of overweight and obesity, especially at puberty. Objective: To evaluate the associations between behavioral aspects of lifestyle, anthropometric variables and the nutritional status of adolescents defined in a multidimensional way. Method: Cross-sectional population-based study. The sample consisted of 351 adolescents from 10 to 19 years old, both sexes, selected by complex sampling in households in the urban area of the municipalities of Teresina and Picos - Piauí, from September 2018 to February 2020. The anthropometric and of risk behaviors were defined by Principal Component Analysis (PCA), based on anthropometric data (weight, height, skinfolds), demographics (sex and age), life habits (wearing a seat belt, helmet, consumption multiple linear regression analysis was performed to assess the association between anthropometric profile scores, risk behaviors, sexual maturation stages and the outcome variable Body Mass Index (BMI), using Pearson's statistical estimator, adjusted for sex, age and socioeconomic status score. The research was approved by the Ethics Committee of the Faculty of Public Health and the Federal University of Piauí. Results: The anthropometric profiles defined in the first PCA were: Profile 1 with adiposity, characterized by a positive association with the variables weight, tricipital and subscapular skin folds; Profile 2 of non-adipose mass, characterized by a positive association with the variables weight, height and age; Sex profile 3, with positive association with the female sex and higher age and indirect with height and weight. The risk behavior profiles extracted were: alcohol consumption behavior profile; smoking; wearing a seat belt; helmet use and physical inactivity at leisure. The association between the BMI score z and the anthropometric profiles showed a positive relationship for Profile 1, demonstrating that for each increase in the profile score, there was an increase of 0.73 kg m2 in the BMI. Regarding the analysis of risk behavior profiles and the BMI z score, only the score of the risk behavior profile for alcohol consumption and smoking was associated with body mass gain among adolescents. Final considerations: The nutritional assessment of adolescents and their health risks can be better translated by multidimensional scores that incorporate anthropometric and behavioral aspects. These scores may show a synthetic descriptive capacity superior to that observed in traditional one-dimensional indicators, with possible precise results in this audience.


Assuntos
Perfil de Saúde , Avaliação Nutricional , Inquéritos Epidemiológicos , Adolescente , Promoção da Saúde
4.
São Paulo; s.n; 2021. 175 p.
Tese em Português | LILACS | ID: biblio-1150451

RESUMO

Introdução- O Programa Horta Educativa (PHE), coordenado pelo Fundo Social e de Solidariedade do Estado de São Paulo em parceria com a Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, prevê a implantação de hortas em escolas e centros infantis públicos. A horta escolar tem se mostrado uma excelente estratégia para a educação alimentar e nutricional que possibilita uma abordagem pedagógica participativa, articulando saúde, alimentação e meio-ambiente. Objetivo- Avaliar o PHE como dispositivo para a promoção da alimentação adequada e saudável (PAAS) no ambiente escolar. Metodologia- Trata-se de um estudo qualitativo de avaliação por triangulação de métodos, que avaliou o PHE em escolas estaduais do município de São Paulo. O levantamento documental e estrutural das escolas foi realizado em 18 escolas selecionadas, que desenvolveram o programa por, no mínimo, três anos consecutivos. Para a pesquisa de campo foram selecionadas duas escolas, que apresentavam a horta em plena atividade e maior envolvimento da comunidade escolar. O estudo, realizado com o emprego de diferentes métodos de investigação, foi desenvolvido na seguinte ordem: análise documental, contextualização das escolas, observação de campo, entrevistas (com professores, coordenadores e diretores) e grupos focais voltados para os estudantes. Os dados qualitativos foram analisados por meio da técnica de análise de conteúdo temática. A avaliação do PHE pautou-se pela análise do modelo lógico. Resultados- Os dados empíricos foram divididos em 4 categorias centrais: (1) O contexto alimentar escolar, abordando as especificidades de cada escola; (2) O desenvolvimento do PHE, trazendo as particularidades do projeto em ambas as escolas; (3) O ambiente escolar discutindo o papel da escola como agente de PAAS, os facilitadores e as barreiras para a PAAS na escola e; (4) A avaliação do PHE, trazendo as potencialidades, os entraves para o desenvolvimento do PHE e os resultados percebidos. Destacando as categorias de avaliação do PHE, as principais potencialidades para o desenvolvimento do PHE foram: o fato de a horta ser considerada uma atividade prazerosa para os estudantes; responsáveis engajados na realização do PHE; as parcerias estabelecidas com a escola; o envolvimento dos pais na horta e o vínculo entre o PHE e o projeto alimentação saudável das escolas. As principais barreiras ao desenvolvimento do PHE foram: escassez de recursos humanos e financeiros; não adequação do o material didático às diferentes turmas de alunos; não envolvimento dos professores e a indisponibilidade de tempo para a formação de professores. Entre os resultados percebidos, destacaram-se: mudança dos hábitos alimentares e o aumento do conhecimento dos estudantes sobre alimentação saudável; aumento no consumo da merenda escolar; valorização dos meios de produção orgânicos e promoção da educação ambiental entre os alunos; envolvimento de outras disciplinas possibilitando o trabalho interdisciplinar e maior envolvimento entre família e escola. Conclusão - O PHE, apesar das suas barreiras, promoveu a valorização e o maior consumo da merenda escolar pelos estudantes, contribuiu para a conscientização e para o aprendizado reflexivo sobre as práticas alimentares, gerando mudanças na alimentação. Políticas que envolvam a prática de hortas escolares devem ser incentivadas.


Introduction- The School Garden Program (SGP), coordinated by the Social and Solidarity Fund of the State of São Paulo in partnership with the Secretariat of Agriculture and Supply of São Paulo, provides for the implementation of gardens in public schools and public children's centers. The school garden has proved to be an excellent strategy for food and nutrition education that enables a participatory pedagogical approach, articulating health, food and the environment. Objective- To evaluate SGP as a device for the promotion of adequate and healthy food (PAHF) in the school environment. Methodology- This is a qualitative study of evaluation by triangulation of methods, which evaluated SGP in state schools in the city of São Paulo. The documentary and structural survey of the schools and the SGP was carried out in 18 selected schools, which developed the program for at least three consecutive years. For the field research, two schools were selected, which presented the active garden and greater involvement of the school community. The study, carried out using different investigation methods, was developed in 5 stages: document analysis, contextualization of schools, field observation, interviews (with teachers, coordinators and principals) and focus groups conducted with students. Qualitative data were analyzed using the thematic content analysis technique. The evaluation of the SGP was based on the analysis of the logical model. Results - The empirical data were divided into 4 central categories: (1) The school food context, addressing the specifics of each school; (2) The development of the SGP, bringing the particularities of the project to both schools; (3) The school environment, discussing the role of the school as an agent of PAHF, the facilitators and barriers to PAHF in the school and; (4) The evaluation of the SGP, bringing the potential, the obstacles to the development of the SGP and the perceived results. Highlighting the SGP assessment categories, the main potentialities for the development of the SGP were: the school garden be considered a pleasurable activity for students, tutors engaged in the implementation of the SGP, the partnerships established with the school, the parents' involvement in the garden and the articulation of the SGP with the healthy eating project in schools. The main barriers to the development of the SGP were: shortage of human and financial resources; inadequacy of didactic material to different classes of students, non-involvement of teachers and unavailability of time for teacher training. Among the perceived results, the following stand out: changing eating habits and increasing students' knowledge about healthy eating; increased consumption of school meals; valorization of organic means of production and promotion of environmental education among students; involvement of other disciplines enabling interdisciplinary work and greater involvement between family and school. Conclusion - SGP, despite its barriers, promoted the appreciation and increased consumption of school meals by students, contributed to awareness and reflective learning about eating practices, generating changes in food. Policies that involve the practice of school gardens should be encouraged.


Assuntos
Serviços de Saúde Escolar , Educação Alimentar e Nutricional , Avaliação de Programas e Projetos de Saúde , Pesquisa Qualitativa , Agricultura Urbana , Promoção da Saúde
5.
São Paulo; s.n; 2021. 96 p.
Tese em Português | LILACS | ID: biblio-1247308

RESUMO

Introdução: A etiologia do choro excessivo (CE) nas primeiras semanas de vida não foi ainda totalmente esclarecida, porém fatores como prematuridade, baixo peso ao nascer, cólica e microbiota intestinal do lactente, assim como tabagismo materno, transtornos de ansiedade e depressão, e deficiência de vitamina b12 na gestação têm sido associados ao CE. Objetivo: O presente estudo investigou a ocorrência de bebês com choro excessivo no início de vida e os fatores associados no estudo sobre saúde Materno-Infantil no Acre (MINA-Brasil). Metodologia: O presente trabalho analisou dados do estudo MINA-Brasil, uma coorte de nascimentos de base populacional conduzida na cidade de Cruzeiro do Sul, estado do Acre, Amazônia Ocidental Brasileira. Para a presente análise, foram considerados na linha de base os bebês nascidos entre julho de 2015 e junho de 2016 elegíveis para o seguimento em área urbana (n=1246). Ao nascimento, variáveis independentes sobre condições socioeconômicas, obstétricas e neonatais foram obtidas por entrevista presencial com as mães e com coleta de dados de prontuário. Após 30 a 45 dias do nascimento, foram realizadas entrevistas telefônicas com a mãe e/ou responsável pelo bebê para rastrear CE no primeiro mês de vida como variável dependente, com as seguintes perguntas: i."Seu bebê chora atualmente por muito tempo, sem nenhum motivo aparente ou por cólica"? e ii. "Esse choro já dura por pelo menos duas semanas?". Aos 90-105 dias após o nascimento, essas mesmas perguntas foram realizadas novamente em segundo inquérito telefônico para identificar bebês que persistiam com CE no terceiro mês de vida. Dentre os bebês classificados com CE aos 30-45 dias de vida, verificou-se também bebês com choro prolongado (CP) (choro excessivo que persistiu aos 90-105 dias de vida). Razão de Prevalências (RP) e intervalos com 95% de confiança (IC 95%) foram estimados em modelos múltiplos de regressão de Poisson com variância robusta, adotando-se seleção hierárquica das variáveis independentes segundo modelo teórico de níveis de determinação. Todas as análises foram realizadas com auxílio do pacote estatístico STATA 14.0, com nível de significância 5%. Resultados: A ocorrência de CE foi de 13,0% [IC 95%: 10,9-15,3] e a de CP foi de 14,4% [IC 95%: 10,6-26,2]. Após ajuste múltiplo, os fatores associados ao CE foram: ter realizado menos de 6 consultas durante pré-natal (RP=1,47, [IC95%=1,04-2,07]), xeroftalmia gestacional (RP=1,76, [IC95% = 1,18-2,63]), maior perímetro cefálico e comprimento ao nascer em cm (RP=1,32 [IC95%= 1,14-1,52] e RP=1,24 [IC95%= 1,01-1,54], respectivamente), baixo apoio social materno durante o puerpério (RP=1,36, [IC95%=0,98-1,90]) e uso de mamadeira no primeiro mês de vida do bebê (RP=1,76, [IC95%= 1,23-2,50]). Por outro lado, maior peso ao nascer (em kg) foi inversamente associado ao risco para CE (RP=0,68, [IC95%=0,54-0,86]). Conclusão: Atenção inadequada durante o pré-natal, características antropométricas ao nascer, uso de mamadeira e baixo apoio social à mãe no puerpério foram associados ao risco para CE. O conhecimento dos fatores associados à ocorrência do CE poderá contribuir para rastreamento adequado e acompanhamento dessas crianças na atenção primária à saúde.


Introduction: The etiology of excessive crying (EC) in the first weeks of life has not been fully clarified, but factors such as prematurity, low birth weight, colic and intestinal microbiota of the infant, as well as maternal smoking, anxiety disorders and depression, and vitamin b12 deficiency in pregnancy have been associated with EC babies. Goal: The present study investigated the occurrence of EC babies early in life and their associated factors in the study on Maternal and Child health in Acre (MINA-Brazil). Methodology: Data from MINA-Brazil study, a population-based birth cohort conducted in the city of Cruzeiro do Sul, state of Acre, Western Brazilian Amazon, were used for the present analysis. Babies born between July 2015 and June 2016 who were eligible for follow-up in urban area (n = 1246). At birth, independent variables on socioeconomic, obstetric and neonatal conditions were obtained by face-to-face interviews with mothers and data collection from medical records. After 30 to 45 days of birth, telephone interviews were conducted with the mother and / or guardian of the baby to screen for EC in the first month of life as a dependent variable, with the following questions: i. "Does your baby currently cry for a long time, without no apparent reason or colic"? and ii. "Has this crying lasted for at least two weeks?" At 90-105 days after birth, these same questions were asked again in a second telephone survey to identify babies who persisted with EC in the third month of life. Among babies classified with EC at 30-45 days of life, there were also babies with prolonged crying (PC) (excessive crying that persisted at 90-105 days of life). Prevalence ratio (PR and 95% confidence intervals, 95% CI) were estimated in multiple Poisson regression models with robust variance, following hierarchical selection of independent variables according to the theoretical model of levels of determination. All analyzes were performed using the STATA 14.0 statistical package, with significance level 5%. Results: The occurrence of EC was 13.0% [95% CI: 10.9-15.3], and that of PC was 14.4% [95% CI: 10.6-26.2]. After multiple adjustment, the factors associated with EC were: having performed less than 6 consultations during prenatal care (PR=1.47, 95% CI=1,04-2,07), gestational xerophthalmia (PR=1.76, 95% CI=1.18-2.63), birth head circumference and length in cm (PR=1.32 [95% CI=1.14-1.52] and PR=1.24 [95% CI= 1.01-1.54], respectively), low social support score during puerperium (PR= 1.36, [95% CI 0.98-1.90]), and bottle use in the baby's first month of life (PR= 1.76, [95% CI 1.23-2.50]). In contrast, increased birth weight (in kg) was inversely associated with EC (PR= 0.68, [95% CI= 0.54-0.86]). Conclusion: Inadequate care during the prenatal, anthropometric characteristics at birth, bottle feeding and low social support to the mother postpartum were associated with risk for EC. The knowledge of associated factors for the occurrence of EC could contribute for screening, prevention and monitoring of these children in primary health care.


Assuntos
Humanos , Lactente , Desenvolvimento Infantil , Cólica , Choro
6.
São Paulo; s.n; 2021. 53 p. ilust, tabelas.
Tese em Português | LILACS, PrevCan | ID: biblio-1178974

RESUMO

INTRODUÇÃO: cuidado paliativo é uma abordagem multidisciplinar que propõe uma melhoria na forma de cuidar do paciente e de seus familiares, que enfrentam doenças que ameacem a manutenção da vida. Os profissionais precisam estar aptos a prestar uma assistência holística. OBJETIVO: analisar as ações de intervenção sobre cuidados paliativos oncológicos na capacitação de profissionais de saúde da atenção básica, de um município do Nordeste. MÉTODO: estudo quantitativo realizado com enfermeiros e médicos, com aplicação de formulário semiestruturado. Na análise dos dados foi utilizado o teste de McNemar-Bowker, para avaliação das proporções pré e pós-curso. Estudo qualitativo realizado com cuidadores de pacientes em cuidados paliativos da atenção básica do município de Juazeiro-BA, através de entrevistas com roteiro norteador e análise de conteúdo temático. RESULTADOS: incluíram-se 69 profissionais (56% da população estimada), sendo 29 (42%) médicos e 40 (58%) enfermeiros. A maioria dos participantes (71%) era do sexo feminino, tinha idade entre 31 e 40 anos (62%), era casada/união estável (64%) e se declarou católica (65%). Destes, 71% possuíam algum tipo de pós-graduação, apenas 3% tinham capacitação em cuidados paliativos, sendo todos enfermeiros. E 10 cuidadoras familiares, todas do sexo feminino, idade entre 20 e 70 anos, 60% eram casadas e 40 % cursaram o ensino fundamental. Destas, 50% eram esposas, 30% filhas e 10% irmãs e mães. Quanto à compreensão dos profissionais sobre cuidados paliativos, antes da capacitação, 80% dos profissionais responderam correto; após, esse número subiu para 99%, o que representa um aumento de 19% depois do curso. Em habilidades, a maior parte dos profissionais optou pela alternativa 'ter a visão integral do paciente'. O percentual de respostas afirmativas variou de 82%, antes da capacitação para 95% depois, representando um aumento de 13% nas respostas. Os profissionais consideraram que devem ser disponibilizados os cuidados paliativos oncológicos, 100% dos profissionais responderam que seria por meio do plano de cuidados orientado pelo médico, antes da capacitação e após 99%. Quanto aos aspectos prioritários para disponibilizar os cuidados paliativos oncológicos, antes da capacitação, 47% responderam físicos, espirituais e emocionais e após 58% responderam o mesmo item, havendo um aumento de 11% no item correto. Com relação à percepção das cuidadoras familiares, apresentada por meio da parte qualitativa do estudo, demonstrou-se que as equipes prestam, mesmo com escassez de recursos humanos e materiais, uma assistência humana com disponibilização do acesso ao serviço e satisfação no atendimento. CONCLUSÃO: os resultados evidenciam que a capacitação foi efetiva em relação aos conhecimentos sobre cuidados paliativos, o que pode ser corroborado através da percepção das cuidadoras familiares sobre a modificação de condutas da equipe


INTRODUCTION: Palliative care is a multidisciplinary approach that proposes an improvement in the way of caring for patients and their relatives, who face diseases that threaten the maintenance of life. Professionals need to be able to provide holistic care. OBJECTIVE: To analyze the intervention actions about palliative oncologic care in the training of primary care health professionals, in a town in the Brazilian Northeast. METHOD: Quantitative study performed with nurses and physicians, using a semi-structured form. For data analysis, the McNemar-Bowker test was used in order to assess the pre- and post-course proportions. Qualitative study conducted with caregivers of pacients in palliative care in primary care patients from the town of Juazeiro-BA, through interviews with guiding script and thematic content analysis. RESULTS: A total of 69 professionals (56% of the estimated population) were included, 29 (42%) physicians and 40 (58%) nurses. Most participants (71%) were female, aged between 31 and 40 years old (62%), were married/in a stable relationship (64%) and declared themselves Catholic (65%). Of these, 71% had some kind of graduate degree, only 3% had training in palliative care, being all nurses. Moreover, 10 family caregivers, all female, aged between 20 and 70 years, where 60% were married and 40% attended elementary school. Of these, 50% were wives, 30% daughters and 10% sisters and mothers. As for the professionals' understanding of palliative care, before training, 80% of the professionals answered appropriately; after that, that number rose to 99%, which represents an increase of 19% after the course. In terms of skills, most professionals opted for the alternative 'having a comprehensive view of the patient'. The percentage of affirmative answers ranged from 82% before training to 95% afterwards, representing a 13% increase in answers. The professionals considered that palliative oncologic care should be made available, Where 100% of the professionals answered that it would be through the care plan guided by the physicians, before training and 99% after. Regarding the priority aspects to provide palliative oncologic care, before training, 47% answered physical, spiritual and emotional and after 58% answered the same item, with an increase of 11% in the correct item. Regarding the perception of family caregivers, introduced through the qualitative part of the study, it was proved that the teams provide, even with a shortage of human and material resources, a human care, thus providing access to the service and satisfaction in the service. CONCLUSION: The results show that the training was effective in relation to knowledge about palliative care, which can be corroborated through the perception of family members about the modification of the team's conduct


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Cuidados Paliativos , Atenção Primária à Saúde , Capacitação em Serviço , Neoplasias
7.
São Paulo; s.n; 2021. 57 p.
Tese em Português | LILACS | ID: biblio-1179166

RESUMO

O aumento da demanda de recursos hídricos causado pelo crescimento da população mundial, pela necessidade de produção de alimentos e utilização na indústria é uma realidade. Como enfrentamento a este cenário de segurança hídrica, existe uma crescente tendência mundial de uso de águas recicladas para fins que demandam águas de menor qualidade, poupando assim recursos hídricos e o meio ambiente. O presente estudo teve como objetivo identificar as espécies Cryptosporidium parvum, Cryptosporidium hominis, Cryptosporidium meleagridis e Giardia duodenalis (em seus assemblages A e B) nas águas de reúso provenientes das duas ETEs localizadas na cidade de São Paulo. Para a identificação das espécies Cryptosporidium parvum, Cryptosporidium meleagridis e Cryptosporidium hominis foram realizadas análise por regiões do gene 18S rRNA, com os primers descritos por ARAUJO (2018), onde foram detectadas em 5,76% (3/52) das amostras de água de reúso analisadas pelo método real-time PCR (qPCR). A espécie Giardia duodenalis foi identificada através de um fragmento do gene Gdh, com os primers descritos por (CACCIO et al, 2008) e foi detectada em 11,53% (6/52) das amostras de água de reúso analisadas. Após a identificação das amostras via qPCR, foi realizado o nested PCR para que os fragmentos de DNA identificados pudessem ser sequenciados, onde confirmamos a presença das espécies de Cryptosporidium spp. anteriormente citadas, porém as amostras de Giardia spp. não apresentaram resultados positivos no sequenciamento, não sendo possível a identificação dos assemblages. Este trabalho subsidia, com dados de presença de Giardia spp. e Cryptosporidium spp. nas águas de reúso produzida por duas ETEs da cidade de São Paulo, a elaboração de uma regulamentação adequada para o uso deste recurso em ambiente urbano com o intuito de se proteger a saúde da população exposta, em especial das populações mais vulneráveis e de se reduzir o risco de infecção pelo contato ocupacional.


The increasing demand for water resources caused by the growth of the world's population, the food production and use in industry is a reality. With this water crisis scenario, there is a growing worldwide trend towards the use of recycled water for purposes that demand lower water quality, thus saving water resources and the environment. In a previous study, we identified the presence of Giardia spp. and Cryptosporidium spp. in reuse waters from two wastewater treatment plants (WWTPs) in the city of São Paulo (called stations "A" and "B") using the USEPA 1693/2014 method. The present study aimed to identify the species Cryptosporidium parvum, Cryptosporidium hominis, Cryptosporidium meleagridis and Giardia duodenalis (in their assemblages A and B) in the reuse waters from the WWTPs in the city of São Paulo. Different molecular analyzes were carried out to identify the species found in the WWTPs. The species Cryptosporidium parvum, Cryptosporidium meleagridis and Cryptosporidium hominis were identified by regions of their 18S rRNA gene, with the primers described by ARAUJO (2018), and were detected in 5.76% (3/52) of the reuse water samples analyzed by real-time PCR (qPCR) method. The species Giardia duodenalis was identified through a fragment of the Gdh gene, with the primers described by (CACCIO et al., 2008) was detected in 11.53% (6/52) of the analyzed water samples. After identifying the samples via qPCR, the nested PCR was performed so that the identified DNA fragments could be sequenced, where we confirmed the presence of the previously mentioned Cryptosporidium spp., however the Giardia spp. samples did not show positive results in the sequencing, being not possible the identification of assemblages. This work subsidizes, with data on the presence of Giardia spp. and Cryptosporidium spp. in the two studied WWTPs in the city of São Paulo, the elaboration of an adequate regulation for the use of this resource in an urban environment, protecting the health of the exposed population, especially the most vulnerable populations and reducing the risk of infection by occupational use.


Assuntos
Água Cinza , Cryptosporidium , Cistos , Oocistos , Giardia
8.
São Paulo; s.n; 2021. 92 p. ilust, tabelas.
Tese em Português | LILACS, PrevCan | ID: biblio-1223738

RESUMO

Mutações somáticas não sinônimas podem iniciar a tumorigênese e, também, uma resposta citotóxica antitumoral. Com o desenvolvimento das tecnologias de sequenciamento, tornou-se possível identificar as mutações em todos os genes humanos e, consequentemente, as variantes que induzem uma resposta imune (neoantígenos), representando uma oportunidade para pacientes que possam se beneficiar de imunoterapias, mas também um desafio com a necessidade de várias camadas de informações e a integração computacional de vários tipos de dados. Neste trabalho, foi desenvolvido o pipeline de identificação de neoantígeno neo2P, o qual realiza a integração completa de todos os passos necessários para a detecção e neoantígenos e apresentou uma eficiência computacional superior de até seis vezes em comparação com outro método. Além disso, foi proposto um score para priorizaração das mutações somáticas a partir da distribuição dos níveis da expressão gênica de 9.679 pacientes de 32 projetos do TCGA, o qual apresentou um poder de discriminação (AUC) próximo ou superior a 0.7 na maioria das coortes avaliadas. O neo2P foi aplicado em um conjunto de dados de pacientes com melanoma e foram identificados aspectos adicionais da relação de neoantígenos e aspectos imunes, como a expressão de alguns genes marcadores que podem estar relacionados com a resposta ao tratamento. Adicionalmente, a carga de neoantígenos detectados pelo neo2P estratificou, de maneira significativa, pacientes respondedores (R) e não respondedores (NR) quando comparado com o marcador TMB


Somatic non-synonymous mutations can initiate tumorigenesis and, conversely, anti-tumor cytotoxic T cell (CTL) responses. With the development of next-generation sequencing, it has become feasible to detect mutation-derived neoantigens within exome and thereby predict potential neoantigens, which represents an opportunity to patients that may be treated with immunotherapies, but also a challenge due to multiple layers of information and a computational integration of several types of data. In this work, it was developed a neoantigen identification pipeline called neo2P, which integrates all the necessary steps involved for neoantigen detection and presented a six-times superior computational efficiency compared to another method. In addition, a score was proposed to prioritize somatic mutations based on the distribution of gene expression levels in 9,679 patients from 32 TCGA projects, which showed a stratification ability (AUC) close to or greater than 0.7 in most evaluated cohorts.neo2P was applied to a dataset of patients with melanoma and additional aspects of the relationship between neoantigens and immune aspects were identified, such as the expression of some marker genes that may be related to the treatment response. Additionally, the neoantigen load detected by neo2P significantly stratified responders (R) and non-responders (NR) patients when compared to the TMB marker


Assuntos
Prognóstico , Expressão Gênica , Biologia Computacional , Imunoterapia , Melanoma
9.
São Paulo; s.n; 2021. 291 p.
Tese em Português | LILACS | ID: biblio-1152062

RESUMO

Introdução: O aumento da adiposidade no ambiente intrauterino e alterações na composição corporal neonatal podem estar relacionados com obesidade e doenças crônicas no futuro. O ganho de peso gestacional (GPG) está associado à obesidade infantil, porém, estudos que avaliaram a relação entre o GPG materno e a composição corporal do concepto revelaram resultados inconsistentes, especialmente no que se refere à adiposidade fetal. Objetivo: Avaliar a relação entre o GPG materno e a adiposidade do feto e composição corporal neonatal. Métodos: Estudo epidemiológico prospectivo do tipo coorte, realizado em Araraquara e região, envolvendo gestantes atendidas em 34 Unidades de Saúde do SUS e na Maternidade Municipal "Gota de Leite". As gestantes foram acompanhadas em três períodos gestacionais (≤19, 20-29 e 30-39 semanas), durante o parto, e posteriormente até 72 horas após o parto. Foram avaliadas 1005 gestantes no 1º período gestacional, 1002 pares de gestantes e fetos no 2º período, 991 pares de gestantes e fetos no 3º período e 412 pares de mães e respectivos neonatos. A taxa de ganho de peso (TGP) foi calculada a partir da diferença entre o peso aferido no período gestacional específico menos o peso avaliado no período gestacional anterior, dividido pelo número de semanas correspondente a esse intervalo. O GPG total foi obtido pela diferença entre o peso aferido na data do parto e o peso pré-gestacional e classificado em insuficiente, adequado e excessivo, de acordo com a última diretriz do Institute of Medicine (IOM). A adiposidade fetal e a composição corporal do neonato foram avaliadas, respectivamente, por ultrassonografia e pletismografia por deslocamento de ar. Modelos de regressão linear múltipla foram construídos de acordo com um conjunto de ajustes mínimos suficientes sugeridos por gráficos acíclicos direcionados, considerando os seguintes fatores de confusão: idade, cor da pele/etnia, escolaridade, renda per capita, tabagismo, ingestão de alcool, paridade, diabetes mellitus, hipertensão arterial, altura, IMC pré-gestacional, sexo, idade gestacional ao nascer, horas de vida do neonato. O nível de significância em todos os testes foi α = 5%. Resultados: Durante o 2º período gestacional, verificou-se que para cada 0,1 kg/semana da TGP, houve um aumento de 0,222 mm (p=0,012), 0,462 cm2 (p <0,001), e 0,310 cm2 (p <0,001) no tecido adiposo subcutâneo do abdômen, coxa e braço do feto, respectivamente. Também houve associação entre a TGP materna no 3º período gestacional e deposição de gordura subcutânea no braço (ß=0,484 cm2; p=0,001) e na coxa (ß=0,480 cm2; p=0,049) do feto. Quanto à composição corporal neonatal, observou-se que para cada 1 kg do GPG total houve aumento de 0,004 Kg (p=0,002) na massa gorda, 0,084% (p=0,025) no percentual de massa gorda e 0,009 Kg (p <0,001) na massa livre de gordura do neonato. Crianças de mulheres com GPG total insuficiente apresentaram massa livre de gordura 0,104 kg (p=0,009) menor que os neonatos de mães com GPG total adequado. Conclusão: De acordo com nosso conhecimento, este é o primeiro estudo na literatura internacional que investigou a associação entre ganho de peso materno e adiposidade fetal e composição corporal neonatal. Os resultados mostram um impacto diferente da TGP materno sobre o acúmulo de gordura fetal, de acordo com o período gestacional investigado. Também houve associação positiva entre GPG total e massa gorda, percentual de massa gorda e massa livre de gordura do neonato. Mães com GPG total insuficiente tiveram neonatos com menor massa livre de gordura.


Introduction: The increase in adiposity in the intrauterine environment and changes in neonatal body composition may be related to obesity and chronic diseases in the future. Gestational weight gain (GWG) is associated with childhood obesity, however, studies that evaluated the relationship between the maternal GWG and the body composition of the fetus revealed inconsistent results, especially with regard to fetal adiposity. Objective: To evaluate the relationship between maternal GWG and adiposity of the fetus and body composition of the newborn. Methods: This is an epidemiological prospective cohort study, carried out in Araraquara and region, involving pregnant women attended at 34 Health Units from the Brazilian National Health Service - SUS and at the Municipal Maternity "Gota de Leite". The pregnant women were followed up in the respective gestational periods: ≤ 19, 20-29 and 30-39 weeks, during delivery, and later up to 72 hours after delivery. One thousand and five (1005) pregnant women were evaluated in the 1st period of pregnancy, 1002 pairs of pregnant women and fetuses in the 2nd period, 991 pairs of pregnant women and fetuses in the 3rd period, and 412 pairs of mothers and newborns. The rate of weight gain (RWG) was calculated based on the difference between the weight measured in the gestational period minus the weight assessed in the previous gestational period, divided by the number of weeks corresponding to that interval. GWG was obtained by the difference between the weight measured at the date of delivery and the pre-gestational weight, and classified as insufficient, adequate, and excessive, according to the last guidelines of the Institute of Medicine (IOM). The fetal adiposity and body composition of the newborn were evaluated, respectively, by ultrasound and plethysmography by air displacement. Multiple linear regression models were constructed considering a set of sufficient minimum adjustments suggested by directed acyclic graphs, considering the following confounders: age, skin color/ethnicity, schooling, per capita income, smoking, alcohol intake, parity, diabetes mellitus, arterial hypertension, height, pre-gestational BMI, sex, gestational age at birth, hours of life of the newborn. The level of significance in all tests was α = 5%. Results: During the 2nd gestational period, it was found that for each 0.1 kg/week of RWG, there was an increase of 0.222 mm (p = 0.012), 0.462 cm2 (p<0.001), and 0.310 cm2 (p<0.001) in subcutaneous adipose tissue in the abdomen, thight and arm of the fetus, respectively. There was also an association between the RWG in the 3rd gestational period and deposition of subcutaneous fat in the arm (ß=0.484 cm2; p=0.001) and thigh (ß=0.480 cm2; p=0.049) of the fetus. Concerning the newborn's body composition, it was observed that for each 1 kg of total GWG there was an increase of 0.004 Kg (p=0.002) in the fat mass, 0,084% (p=0.025) in the percentage of fat mass, and 0.009 Kg (p<0.001) in the fat-free mass of the newborn. Considering the guidelines of the IOM, neonates of mothers who had an insufficient total GWG had a fat-free mass of 0.104 kg (p=0.009) less than those born to women with adequate total GWG. Conclusion: As far as we know, this is the first study in the international literature that investigated the association between maternal weight gain in three different periods of gestation and fetal adiposity and newborn adiposity. The results show a different impact of the maternal RWG on the accumulation of fetal fat, according to the gestational period investigated. There was also a positive association between total GWG and mass fat, percentage of fat mass, and fat-free mass of the fetus, regardless of pre-gestational BMI. Women with insufficient total GWG had neonates with lower fat-free mass.


Assuntos
Composição Corporal , Recém-Nascido , Adiposidade , Feto , Ganho de Peso na Gestação , Obesidade Pediátrica
10.
Rio de Janeiro; s.n; 2021. ilus.
Tese em Português | ColecionaSUS | ID: biblio-1148238

RESUMO

Introdução: O pênfigo paraneoplásico é uma doença autoimune caracterizada pela produção de autoanticorpos por células tumorais neoplásicas. O primeiro sinal da doença são úlceras orais em 45% dos casos. Sua persistência e progressão são características de malignidade, reconhecida ou oculta. O difícil manejo dessa complicação, devido à doença de base não controlada, leva à piora dos sintomas e perda da qualidade de vida do doente. Objetivos: Relato de uma patologia rara, pouco relacionada a neoplasias sólidas, refratária a maioria dos tratamentos e com alta taxa de morbimortalidade. Métodos: Relato de caso de uma paciente com diagnóstico de carcinoma epidermoide de colo do útero, estadio IVa, com doença fora de controle e manifestações de pênfigo paraneoplásico cutâneo e mucoso. Resultados: A paciente apresentou o pênfigo paraneoplásico como complicação do câncer, com dificuldade de diagnóstico pela raridade da doença. Atualmente, sintomática com pouca resposta à corticoterapia. Conclusões: A raridade de algumas doenças torna o atraso no diagnóstico uma dificuldade ao tratamento. Assim como, o padrão de apresentação e a pouca experiência com patologias raras leva, muitas vezes, ao subdiagnóstico e subtratamento de nossos doentes, com perda da qualidade de vida


Background: Paraneoplastic pemphigus is an autoimmune disease characterized by autoantibody production by malignant tumor cells. The first sign of the disease is oral ulcer in 45% of cases. Their persistence and progression are features of malignancy, recognized or hidden. The difficult management of this complication due to uncontrolled underlying disease leads to the worsening of symptoms and loss of the patients' quality of life. Objective: Report a rare pathology, uncommonly related to solid neoplasms, refractory to most procedures and with high rates of morbidity and mortality. Methods: Case report of a patient diagnosed with squamous cell carcinoma of the cervix, stage IVa, with disease out of control and manifestations of skin and mucous paraneoplastic pemphigus. Results: The patient presented paraneoplastic pemphigus as a complication of the cancer, with a difficult diagnosis because of the rarity of the disease. Currently, symptomatic with little response to corticosteroid therapy. Conclusions: The uncommonness of some diseases makes the delay in diagnosing an obstacle to treatment. The presentation pattern and the little experience in rare diseases often lead to the underdiagnosis and undertreatment of our patients and loss of quality of life.


Assuntos
Humanos , Feminino , Adulto , Carcinoma de Células Escamosas/complicações , Pênfigo , Neoplasia Intraepitelial Cervical/complicações , Neoplasias
11.
São Paulo; s.n; 2021. 67 p.
Tese em Português | LILACS, PrevCan | ID: biblio-1147577

RESUMO

Introdução - Os cânceres orais são componentes do grupo de câncer de cabeça e pescoço que representa o sexto tipo de neoplasia maligna de maior incidência no mundo e com tendência de incremento das taxas de mortalidade para os próximos anos. Sua incidência está relacionada a fatores socioeconômicos e sua evolução está associada com a provisão de serviços de saúde. Apesar do esforço dispensado pelos sistemas de saúde, o câncer de cavidade bucal e de orofaringe ainda exerce grande impacto na morbimortalidade, sendo necessário manter a vigilância e prevenção constante. Objetivos - 1) Descrever a magnitude e a tendência das taxas de mortalidade por câncer de cavidade bucal e de orofaringe nos Estados do Brasil e Distrito Federal, entre os anos de 1996 e 2016. 2) Analisar a associação destas taxas com o desenvolvimento humano nos Estados do Brasil e Distrito Federal, 3) Comparar a tendência da mortalidade por câncer de orofaringe, que a literatura indica como sendo relacionada ao HPV, com a tendência da mortalidade por câncer de cavidade bucal, que a literatura indica como não sendo relacionada ao HPV, nos Estados do Brasil e Distrito Federal, entre os anos de 1996 e 2016. Métodos - Este é um estudo ecológico que avaliou dados oficiais georreferenciados sobre população, mortalidade e desenvolvimento humano. O Índice de Desenvolvimento Humano foi obtido através do Programa das Nações Unidas no Brasil. As taxas de mortalidade foram padronizadas por sexo e faixa etária utilizando como padrão a população mundial. Foi utilizada a regressão linear generalizada pelo método de Prais-Winsten. A classificação das taxas de mortalidade foi ascendente (p<0,05 e coeficiente de regressão positivo), declinante (p<0,05 e coeficiente de regressão negativo) ou estacionária (p>0,05). Resultados - A magnitude e as taxas de mortalidade do câncer de cavidade bucal e de orofaringe foram mais elevadas nos estados das regiões sul e sudeste. A tendência para ambos os tipos de câncer teve crescimento mais elevado da mortalidade nos estados das regiões norte e nordeste. A correlação entre os dois tipos de câncer foi positiva. Conclusão - As taxas de variação anual da mortalidade para os dois tipos de cânceres se mostraram análogas. No período inicial e final da série histórica a magnitude das taxas de mortalidade foi mais elevada nos estados das regiões Sul e Sudeste tanto para o câncer de cavidade bucal quanto para o câncer de orofaringe. Porém quando observada a tendência, aos estados das regiões Norte e Nordeste mostraram valores mais elevados.


Introduction - Oral cancers are components of the group of head and neck cancer that represent the sixth type of malignant neoplasia with the highest incidence in the world and with an increase on the trend of mortality rates for the next years. Its incidence is related to socioeconomic factors and its evolution is associated with the provision of health services. Despite the efforts made by health systems, cancer of the oral cavity and oropharynx still has a great impact on morbidity and mortality, and it is necessary to maintain constant surveillance and prevention. Objectives - 1) To describe the trend of mortality rates due to oral cavity and oropharyngeal cancer in the States of Brazil and the Federal District, between the years 1996 and 2016. 2) To analyze the association of these rates with human development in the States of Brazil and the Federal District. 3) Compare the trend of mortality from oropharyngeal cancer, which the literature indicates as being related to HPV, with the trend of mortality from oral cavity cancer, which the literature indicates as not being related to HPV, in the States of Brazil and the Federal District, between 1996 and 2016. Methods - This is an ecological study that evaluated official georeferenced data on population, mortality and human development. The Human Development Index was obtained through the United Nations Program in Brazil. Mortality rates were standardized by sex and age group using the world population as standard. Generalized linear regression by the Prais- Winsten method was used. The classification of mortality rates was ascending (p <0.05 and positive regression coefficient), declining (p <0.05 and negative regression coefficient) or stationary (p> 0.05). Results - The magnitude and mortality rates of cancer of the oral cavity and oropharynx were higher in the states of the South and Southeast regions. The trend for both types of cancer had a higher increase in mortality in the states of the North and Northeast regions. The correlation between the two types of cancer was positive. Conclusion - The annual percent rates in mortality for both types of cancers were analogous. In the initial and final period of the historical series, the magnitude of mortality rates was higher in the states of the South and Southeast regions for both oral cavity and oropharyngeal cancer. However, when the trend was observed, the states of the North and Northeast regions showed higher values.


Assuntos
Papillomaviridae , Neoplasias Bucais , Neoplasias Orofaríngeas , Mortalidade
12.
São Paulo; s.n; 2021. 69 p. ilust, tabelas.
Tese em Português | LILACS, PrevCan | ID: biblio-1222633

RESUMO

O carcinoma epidermóide (CEC) é a neoplasia maligna mais frequente em cavidade oral, representando aproximadamente 90% de todos os cânceres da boca. Esta neoplasia tem origem no epitélio de revestimento bucal, e a depender do subtipo e da sua localização, pode apresentar tendência marcante de invasão do tecido ósseo adjacente. Existe uma interação entre osso e neoplasia, e atenção principal deve ser dada aos reguladores relacionados à osteoclastogênese. As moléculas RANK/RANKL/OPG são fundamentais neste processo, e juntamente com a IL-6, promovem formação e ativação de osteoclastos, com consequente promoção da invasão mandibular. Neste sentido, o objetivo do estudo foi avaliar as características clínicas, radiográficas e histopatológicas dos pacientes submetidos a mandibulectomia para tratamento do carcinoma epidermóide oral, e correlacionar/associar com a expressão gênica na neoplasia de marcadores reguladores da invasão óssea. Foi realizado um estudo retrospectivo de pacientes tratados com algum tipo de mandibulectomia no A.C. Camargo Cancer Center durante o período de1990 a 2015. Um total de 220 casos foi selecionado, e destes, foram extraídos 40 casos, posteriormente submetidos as etapas de análise molecular. A análise molecular foi realizada por PCR quantitativa em tempo real (qPCR), por meio da mensuração de mRNA para os genes estudados, calibrados pelo gene endógeno GAPDH e por um pool de controle composto por RNA não neoplásico. Dos 220 pacientes incluídos na pesquisa, 161 eram do sexo masculino, a idade média foi de 60 anos, e 53,6% eram etilistas e 66,8% tabagistas. A invasão óssea da mandíbula foi observada através do laudo anatomopatológico em 77 pacientes, e foi associada à presença de margens comprometidas/exíguas e a localização da lesão (gengiva inferior, rebordo e região retro-molar). Ao final do estudo, 127 pacientes foram a óbito, e a média de sobrevida foi de 96,92 meses. Parâmetros clínicos, dos exames de imagem e histopatológicos foram significantemente associados com a sobrevida global, principalmente - tamanho do tumor, infiltração perineural, invasão óssea (imagem e anatomopatológico). Na análise multivariada, apenas invasão óssea e infiltração perineural aumentaram risco de óbito nos pacientes. Na análise molecular de expressão gênica foi possível avaliar que das 36 amostras do gene RANK, 16 eram downreguladas. Para RANKL, das 37 amostras, 28 estavam super expressas. Das 35 do gene da IL-6, 19 amostras eram downreguladas. E por fim, das 37 amostras do gene da OPG, 16 tinham expressão normal. A avaliação de associação entre a expressão dos genes analisados demostrou que o gene da IL-6 está associado a presença de invasão óssea, e que existe uma associação significativa entre as expressões do RANK, RANKL, OPG e IL-6. Maior sobrevida dos pacientes foi associada significativamente a uma expressão mais baixa de IL-6 (108,5 meses). Conclui-se que a invasão mandibular interfere na sobrevida global dos pacientes, e que este mecanismo de invasão óssea está associado com a expressão gênica dos genes RANK, RANKL, OPG e IL-6. A IL-6 downregulada nas células malignas está associada com maior sobrevida


Oral Squamous Cell Carcinoma (OSCC) is the most frequent malignant neoplasm in the oral cavity, representing 90% of all oral cancers. The tumor usually arises within the epithelium lining of the oral cavity, and in cases of certain subtype or location may reveal a tendency for invasion of the surrounding bone tissue. There is a relation between tumor and bone, and more attention should be given to the events related to osteoclastogenesis. The molecules RANK/RANKL/OPG are crucial in this process, and together with IL-6, promotes the formation and activation of osteoclasts, with influence on the mandibular invasion process. In this way, the aim of this study was to evaluate the clinical, demographic, imaging, and histopathology data of patients diagnosed with OSCC treated by mandibulectomy. Also, analyze the gene expression condition of the genes RANK, RANKL, OPG, and IL-6 on the tumor. A retrospective study was conducted on patients treated with mandibulectomy at the A.C. Camargo Cancer Center, between 1990 and 2015. Two hundred and twenty cases were retrieved, and 40 of them were selected for gene expression analysis. The mRNA expressions of the selected genes were determined by real-time polymerase chain reaction, extracted from the tumor, and calibrated by endogenous GAPDH and a control pool of non-neoplastic RNA. Among 220 patients, 161 were male, with a mean age of 60 years. 53.6% were alcohol users and 66.8% tobacco users. Mandible bone invasion was reported on 77 histopathology reports and associated with compromised margins and the site of the lesion (gingiva, alveolar ridge, and retromolar region). One hundred and twenty-seven patients died of the disease, and the mean overall survival rate was 96.92 months. Overall survival was associated with clinical, imaging, and pathological parameters, especially, tumor size, perineural growth, and bone invasion (both imaging and pathologic). Multivariate analysis revealed higher risk of death only to bone invasion and perineural growth. Gene expression analysis revealed - 16 downregulation of 36 RANK samples evaluated; 28 overexpression of 37 RANKL samples evaluated; 19 downregulation of 35 IL-6 analyzed, and 16 normal expression of 37 OPG samples evaluated. Association analysis revealed that IL-6 expression is associated with bone invasion, and there is also a significant association among the expression of RANK, RANKL, OPG, and IL-6. Higher overall survival rate was associated with an IL-6 down expression (108;5 months). In conclusion, mandibular invasion interferes with the patient's overall survivall rate, and the bone invasion mechanism is associated with gene expression of RANK, RANKL, OPG, and IL-6 on the tumor. IL-6 in downregulation expressed by malignant cells is associated with higher overall survivor rates


Assuntos
Humanos , Feminino , Gravidez , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Prognóstico , Carcinoma de Células Escamosas , Interleucina-6 , Receptor Ativador de Fator Nuclear kappa-B , Osteoprotegerina , Mandíbula
13.
Rio de Janeiro; s.n; 2021.
Tese em Português | ColecionaSUS | ID: biblio-1152060

RESUMO

Foram coletados dados de 103 pacientes submetidas a histerectomia radical por via robótica para tratamento de câncer colo uterino inicial no Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). A maioria da população era parda (51,5%). A mediana da idade em 41 anos. A mediana do tempo de internação em 1 dia. O IMC com mediana em 26,04. A maioria das pacientes foi submetida à histerectomia radical tipo III (46,6%), e à linfadenectomia pélvica em aproximadamente 95% dos casos. Houve 13,6% de complicação pós-operatória em 30 dias e a mais frequente foi a bexiga neurogênica. A curva de aprendizado dos cirurgiões não alterou o tempo cirúrgico, a sobrevida livre de doença e nem a sobrevida global. O tamanho tumoral teve impacto na frequência de recidiva, porém o tamanho estratificado em 2 cm não alterou a sobrevida global e sobrevida livre de doença.


We selected the medical records from 103 patients underwent to radical robotic hysterectomy for early cervical cancer at the Brazilian National Cancer Institute to conduct this review. We found that population was mostly brown (51.5%), median age was 41 years. The median length of stay was 1 day and median BMI was 26.04. Most patients underwent radical type III hysterectomy (46.6%), and pelvic lymphadenectomy was present in approximately 95% of cases. There were 13.6% of postoperative complications in 30 days and the most frequent was the neurogenic bladder. The surgeons' learning curve did not change the surgical time, nor did the disease-free survival and overall survival rate. The tumor size had an impact on recurrence frequency, but the stratified size at 2 cm did not change the overall survival and disease-free survival rate.


Assuntos
Humanos , Feminino , Adulto , Neoplasias do Colo do Útero , Procedimentos Cirúrgicos Robóticos , Histerectomia
15.
São Paulo; s.n; 2021. 53 p. ilust, tabelas.
Tese em Português | PrevCan | ID: biblio-1224545

RESUMO

Introdução: O tratamento padrão das pacientes com câncer de colo de útero estadio IIB a IVA é a quimiorradioterapia definitiva. Apesar do ganho de sobrevida global mostrado pelos estudos de fase III a adição de gencitabina à cisplatina na fase concomitante da radioterapia no tratamento do colo de útero localmente avançado ainda é controverso. Um dos principais motivos dessa controvérsia é o aumento da toxicidade hematológica. Objetivos: Descrever toxicidade hematológica da quimiorradioterapia com cisplatina e gencitabina em pacientes com câncer de colo de útero estadio IIB a IVA e comparar a toxicidade hematológica da cisplatina e gencitabina com cisplatina isolada, tratamento padrão. Casuística e Método: Estudo observacional, transversal e retrospectivo, com abordagem quantitativa. A amostra composta por prontuários de pacientes que foram atendidos no ambulatório do Centro de Oncologia da Santa Casa de Misericórdia de Maceió. Os dados foram inseridos e analisados através do programa estatístico SPSS. Resultados: Foram incluídas neste estudo 380 pacientes tratadas durante o período de janeiro de 2012 a dezembro de 2017, que preencherem os critérios de inclusão. A toxicidade hematológica de qualquer grau foi mais frequente no esquema de cisplatina com gencitabina que no esquema com cisplatina isolada (90,7% v 79,5%, respectivamente; P =0,03). A toxicidade grau 3 ou 4 foi mais frequente no esquema de cisplatina com gencitabina que com cisplatina isolada (18,1% v 11,7%, respectivamente; P =0,09). A sobrevida livre de progressão (SLP) em 3 anos foi de 77,3% para as pacientes que fizeram cisplatina semanal e 78% para cisplatina com gencitabina (P =0,58). Conclusão: A quimiorradioterapia com gencitabina associada à cisplatina apresentou uma maior toxicidade hematológica, quando comparada ao tratamento padrão


Introduction: The standard treatment of patients with cervical cancer from stage IIB to IVA is definitive chemoradiotherapy. Despite the improves overall survival shown by phase III studies the addition of gemcitabine to cisplatin in the concomitante phase of radiotherapy in the treatment of locally advanced cervical cancer is still controversial. One of the main reasons for this controversy is the increase in hematological toxicity. Objectives: Describe the hematologic toxicity of chemoradiotherapy with cisplatin and gemcitabine in patients with cervical cancer stage IIB to IVA and compare the hematologic toxicity of cisplatin and gemcitabine with isolated cisplatin, standard treatment. Method: Observational, cross- sectional and restrospective study with quantitative approach. The sample consists of the patient's medical records that were admitted at the ambulatory of the Oncology Center of Santa Casa de Misericórdia de Maceio. The data were inserted and analysed by the stastistical software SPSS. Results: A total of 380 treated patients during the period of january 2012 to december 2017, who met the inclusion criteria were included in this study. The hematologic toxicity of any grade was more frequent in the cisplatin with gemcitabine than isolated cisplatin (90,7% v 79,5%, respectivelly; P =0,03). The grade 3 or 4 of toxicity was more frequent in the cisplatin with gemcitabine than isolated cisplatin (18,1% v 11,7%, respectivelly; P =0,09). The progression-free survival (SLP) in 3 years was 77,3% to patients who used weekly cisplatin and 78% to cisplatin with gemcitabine (P= 0,58). Conclusion: The chemoradiotherapy with gemcitabine associated with cisplatin showed higher hematologic toxicity when compared to standard treatment


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Neoplasias do Colo do Útero , Tratamento Farmacológico , Toxicidade/efeitos adversos
16.
São Paulo; s.n; 2021. 27 p. ilust, tabelas.
Tese em Português | PrevCan | ID: biblio-1178900

RESUMO

Introdução: A neoplasia colorretal é a terceira neoplasia maligna mais diagnosticada no mundo e a quarta principal causa de mortalidade por câncer. A perda de massa muscular em pacientes oncológicos é o principal aspecto da desnutrição associada ao câncer. Associações entre sarcopenia e desfechos ruins, como mortalidade pós operatória elevada, toxicidade quimioterápica e sobrevida reduzida vem sendo descritas recentemente. Segundo o Grupo Europeu de Trabalho sobre Sarcopenia, a sarcopenia é caracterizada por baixa massa muscular associado a baixa força muscular e/ou baixo desempenho físico. É possível encontrar na literatura estudos que avaliam o impacto da baixa massa muscular diagnosticada pela tomografia computadorizada no prognóstico do paciente, porém poucos com avaliação de força muscular e desempenho físico na população oncológica. Objetivo: Avaliar a prevalência de sarcopenia em pacientes com câncer colorretal em estadiamento no A.C.Camargo Cancer Center. Metodologia: Foram avaliados os pacientes com câncer colorretal em estadiamento oncológico no A.C.Camargo Cancer Center, no período de maio de 2019 a março de 2020. Foram incluídos pacientes que realizaram exame de tomografia computadorizada de abdome e que possuíam imagens disponíveis para análise da composição corporal. Foi realizada a avaliação do teste de força muscular, desempenho físico, fadiga referida e foram coletados dados clínicos e nutricionais. Resultados: 31 pacientes foram incluídos, a maioria era do sexo masculino (54,8%) e com mediana de idade de 58 anos. A maior parte dos pacientes apresentava como diagnóstico a neoplasia maligna de cólon (77,4%) e estadio clínico II em 41,9% dos casos. A prevalência de provável sarcopenia foi de 22,6%, destes pacientes foram confirmados sarcopenia em 19,4% e por fim foram classificados 9,7% da amostra como sarcopênicos graves. Não encontramos associação significativa entre a presença de sarcopenia na nossa casuística com idade, sexo, estadiamento do tumor, características nutricionais, fadiga referida do paciente e complicações pós operatórias. Conclusões: Considerando os critérios estabelecidos pela Grupo Europeu de Trabalho sobre Sarcopenia, a prevalência de sarcopenia pré-operatória em pacientes com câncer colorretal em estadiamento no nosso estudo foi de 19,4%


Introduction: Colorectal cancer is the third most diagnosed malign neoplasm in the world and the fourth leading cause of cancer mortality. The loss of muscle mass in oncological patients is the main aspect of cancer-related malnutrition. Associations between sarcopenia and poor outcomes, such as high postoperative mortality, chemotherapy toxicity and reduced survival have been recently described. According to the European Working Group on Sarcopenia, sarcopenia is characterized by low muscle mass associated with low muscle strength and / or low physical performance. It is possible to find in literature studies that assess the impact of low muscle mass diagnosed by computed tomography on the patient's prognosis, however just a few with an assessment of muscle strength and physical performance in the oncological population. Objective: to evaluate the prevalence of sarcopenia in patients with colorectal cancer undergoing staging at A.C.Camargo Cancer Center. Methodology: Patients with colorectal cancer undergoing oncological staging at the A.C.Camargo Cancer Center, from May 2019 to March 2020, were evaluated. Patients who underwent abdominal CT scan and had images available for analysis of body composition. The evaluation of the muscle strength test, physical performance, referred fatigue and clinical and nutritional data were collected. Results: 31 patients were included, most were male (54.8%) and with a median age of 58 years old. Most patients were diagnosed with colon cancer (77.4%) and clinical stage II in 41.9% of cases. The prevalence of probable sarcopenia was 22.6%, of these patients sarcopenia was confirmed in 19.4% and ultimately 9.7% of the sample was classified as severe sarcopenia. We did not find a significant association between the presence of sarcopenia in our sample with age, sex, tumor staging, nutritional characteristics, referred patient fatigue and postoperative complications. Conclusions: Considering the criteria established by the European Working Group on Sarcopenia, the prevalence of preoperative sarcopenia in patients with colorectal cancer undergoing staging in our study was 19.4%


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Neoplasias Colorretais/cirurgia , Neoplasias Colorretais/diagnóstico , Sarcopenia/diagnóstico , Sarcopenia/epidemiologia , Complicações Pós-Operatórias , Cuidados Pré-Operatórios , Tomografia Computadorizada por Raios X , Estado Nutricional , Prevalência , Estudos Transversais , Estudos Prospectivos , Músculo Esquelético/diagnóstico por imagem , Fadiga Muscular , Força Muscular , Desempenho Físico Funcional , Estadiamento de Neoplasias
17.
São Paulo; s.n; 2021. 45 p. ilust, tabelas.
Tese em Português | PrevCan | ID: biblio-1247911

RESUMO

INTRODUÇÃO: Câncer de mama é a forma mais frequente de câncer feminino. Com a melhora gradativa dos métodos de diagnóstico e de tratamento, espera-se aumento da sobrevida e do crescimento das doenças cardiovasculares nessa população. O tratamento dessa neoplasia pode levar à cardiotoxicidade. OBJETIVOS: Avaliar a evolução cardiovascular em pacientes submetidas à radioterapia para tratamento de tumores primários da mama, acompanhadas no A.C.Camargo Cancer Center. MÉTODOS: Estudo de coorte retrospectivo, a partir de dados de prontuários, com análise em amostra de conveniência e não sequencial. Incluídas pacientes com neoplasia de mama, com idade maior ou igual a 65 anos e de qualquer tipo histológico e estadiamento no momento do diagnóstico, tratadas de 2002 a 2013, que permaneceram vivas após 1 ano do diagnóstico, e que tiveram, no mínimo, 1 ano de acompanhamento na instituição. RESULTADOS: Do total de 201 pacientes, a idade média no momento do diagnóstico foi de 72,2 + 4,8 anos e o tempo médio de seguimento de 68 + 32 meses. Fatores de risco para desenvolvimento de doença cardiovascular (DCV) estavam presentes em 165 pacientes (82,1%) ao diagnóstico do câncer e 31 pacientes (15,4%) já apresentavam histórico de DCV. A Fração de Ejeção do Ventrículo Esquerdo (FEVE) média após tratamento foi de 66 + 8 (p<0,001). Trinta e cinco pacientes (17,4%) apresentaram pelo menos um Evento Cardiovascular (ECV). O tempo médio entre diagnóstico do câncer e ocorrência de ECV foi de 34,6 + 35,6 meses. A mortalidade total foi de 9% (n=18), sendo de causa cardiovascular em 3 pacientes (1,5%). A sobrevida estimada pelo método de Kaplan-Meier foi significantemente afetada pela ocorrência de ECV (p=0,012). Na análise por regressão logística simples, hipertensão arterial sistêmica (HAS) provocou significante aumento da chance de ECV (OR=3,4; 95% IC 1,3-9,4; p=0,014), bem como a presença de doença cardíaca prévia (OR=4,03; 95% IC 1,7-9,4; p=0,001). Em regressão logística múltipla, HAS apresentou OR=2,7 (95% IC 0,9-7,6; p=0,057) para ocorrência de ECV, enquanto que presença de doença cardíaca prévia resultou em uma OR=3,1 (95% IC 1,3-7,6; p=0,009). Uso de drogas cardioprotetoras ao diagnóstico do câncer não apresentou relação com a incidência de ECV. A frequência de ECV foi maior nos pacientes submetidos ao tratamento com antracíclicos (n=64), porém sem diferença estatística em relação a quem não o fez (42,9% vs 30,2 %; p=0,2). A frequência de queda da FEVE maior do que 10% nos ecocardiogramas pré- e pós-tratamento foi mais alta nos pacientes que utilizaram antraciclina (9,3% vs 4,7%; p=0,004). A frequência de ECV foi significantemente maior entre aqueles com quedas maiores do que 10% na FEVE (16,6% vs 9%, p=0,033). Lateralidade, dose total de radiação e uso de terapia hormonal não afetaram a frequência de ECV. CONCLUSÕES: A frequência encontrada de novos eventos cardiovasculares em pacientes portadoras de doença cardiovascular antes do início do tratamento oncológico reforça a importância da presença de um time de especialistas em cardio-oncologia em centros oncológicos, com elaboração de rotinas para atuação em todos os níveis de cuidado com os pacientes com câncer


INTRODUCTION: Breast cancer is the most common form of female cancer. With the gradual improvement of diagnostic and treatment methods, it is expected to increase the survival and growth of cardiovascular diseases in this population. The treatment of this cancer can lead to cardiotoxicity. OBJECTIVES: To assess cardiovascular evolution of patients that underwent radiotherapy for the treatment of primary breast cancer and are followed up at the A.C.Camargo Cancer Center. METHODS: Retrospective cohort study, based on the review of from medical records from a convenience and non-sequential non-breast cancer patient sample. We included patients with breast cancer, aged 65 years or older, and with any histological breast carcinoma subtype and staging at the time of diagnosis, treated from 2002 to 2013, who remained alive after 1 year of diagnosis, and who had, at least, 1 year of follow-up at the institution. RESULTS: Among 201 patients, the average age at the time of diagnosis was 72.2 + 4.8 years and the average follow-up time was 68 + 32 months. Risk factors for the development of cardiovascular disease (CVD) were present in 165 patients (82.1%) at the time of cancer diagnosis and 31 patients (15.4%) already had a history of CVD. The mean left ventricular ejection fraction (LVEF) after treatment was 66 + 8 (p<0.001). Thirty-five patients (17.4%) had at least one Cardiovascular Event (ECV). The average time between cancer diagnosis and the occurrence of ECV was 34.6 + 35.6 months. Total mortality was 9% (n=18), being of cardiovascular cause in 3 patients (1.5%). The estimated overall survival was significantly affected by the occurrence of ECV (p=0.012). In the analysis by simple logistic regression, hypertension caused a significant increase in the chance of ECV (OR=3.4; 95% CI 1.3-9.4; p=0.014) and the presence of previous heart disease increased chance of ECV (OR=4.03; 95% CI 1.7-9.4; p=0.001). After multivariate logistic regression, hypertension resulted in an OR=2.7 (95% CI 0.9-7.6; p=0.057), while the presence of previous heart disease resulted in an OR=3.1 (95% CI 1.3-7.6; p=0.009). Use of cardioprotective drugs at the diagnosis of cancer was not associated with the incidence of ECV. The frequency of ECV was higher in patients undergoing treatment with anthracycline (n=64), but this difference was not statistically different (42.9% vs 30.2%; p=0.2). The frequency of LVEF fall greater than 10% in pre and post-treatment echocardiograms was higher in patients who used anthracycline (9.3% vs 4.7%; p=0.004). The frequency of ECV was significantly higher among those with falls greater than 10% in LVEF (16.6% vs 9%, p= 0.033). Laterality, total radiation dose and use of hormone therapy did not affect the frequency of ECV. CONCLUSIONS: The frequency found of new cardiovascular events in patients with cardiovascular disease before the start of cancer treatment reinforces the importance of the presence of a team of specialists in cardio-oncology in oncology centers, with the elaboration of routines to work at all levels of care for cancer patients


Assuntos
Humanos , Feminino , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Radioterapia , Neoplasias da Mama/terapia , Doenças Cardiovasculares/complicações , Sobreviventes/estatística & dados numéricos
18.
Fortaleza; s.n; dez. 2020. 170 p.
Tese em Português | LILACS, BDENF | ID: biblio-1252864

RESUMO

A utilização dos diagnósticos de enfermagem na prática clínica com segurança requer que eles sejam confiáveis, indicando a importância dos estudos de validação diagnóstica com vistas a revisá-los e testá-los clinicamente. Assim, o objetivo deste estudo foi desenvolver duas etapas do processo de validação de diagnósticos de enfermagem com o intuito de obter evidências de validade teórica e de conteúdo do diagnóstico Nutrição desequilibrada: menor do que as necessidades corporais no contexto de crianças com câncer. Essas etapas incluíram o desenvolvimento de uma Teoria de Situação Específica (TSE) e o processo de avaliação do conteúdo diagnóstico por juízes. A primeira etapa baseou-se na estrutura pré-existente do diagnóstico de enfermagem em questão contido na taxonomia da NANDA Internacional, no subcomponente Nutrição do modo fisiológico descrito no Modelo de Adaptação de Roy e numa revisão integrativa da literatura. Esta primeira etapa, desenvolvida de abril de 2017 a julho de 2018, ocorreu conforme as etapas: definição da abordagem para construir a TSE, definição de modelos conceituais a serem analisados, definição de conceitos chaves, desenvolvimento de um diagrama pictórico, construção de proposições e estabelecimento de relações causais entre os elementos e evidências para a prática. Como resultado novos atributos essenciais foram elencados. A partir disso, identificou-se 26 fatores clínicos antecedentes (FCA) e 22 fatores clínicos consequentes (FCC) correspondentes ao diagnóstico em estudo, sendo elaboradas definições conceituais e operacionais. A análise desses conceitos permitiram o desenvolvimento do diagrama do tipo causa e efeito, construção de 10 proposições e estabelecimento de efeitos causais. Assim, verificou-se uma diferença considerável entre os elementos elencados para TSE e os incluídos na NANDA internacional. Nesta, a definição do diagnóstico restringe-se à etapa de ingestão, são apenas sete os FCA e os 22 FCC são diferentes. A segunda etapa consistiu na avaliação do conteúdo diagnóstico por juízes e teve por finalidade verificar a adequação da etiqueta diagnóstica, a relevância dos FCA e FCC para o estabelecimento do diagnóstico e a clareza e precisão das definições conceituais e operacionais determinadas para TSE. Para esta etapa, utilizou-se como referencial metodológico o teorema da diversidade preditiva. A seleção dos 23 juízes baseou-se em parâmetros pré-estabelecidos, que levaram em conta experiência acadêmica e prática, classificando-os em cinco níveis de expertise. A coleta de dados ocorreu nos meses de fevereiro a junho de 2019. A medida de avaliação utilizada foi a pseudomediana das avaliações realizadas pelos juízes, ponderadas pelo nível de expertise de cada avaliador, adotando-se como ponto de corte um valor de 0,9 para o 9 Índice de Validação de Conteúdo, a fim de considerar a adequação de cada item avaliado individualmente. Quanto à adequação da nova etiqueta diagnóstica, 78,26% das juízas julgaram ser mais adequada a etiqueta e a definição elencadas para a TSE. Dos 22 FCC analisados, cinco não foram considerados relevantes, são eles: Apatia; Edema de membros inferiores; Petéquias, púrpuras ou equimoses; Fratura; e Organização Perceptual Insatisfatória. Os FCC Cabelo seco e quebradiço e Membranas mucosas pálidas não apresentaram, respectivamente, precisão da definição conceitual e precisão da definição operacional. Em relação aos FCA, um fator não foi submetido a análise, assim, dos 25 analisados, quatro não foram considerados relevantes, são eles: Não aceitação da doença, Solidão, Relações interpessoais perturbadas e Disgeusia. Este último, recomenda-se mantê-lo devido evidências em estudos robustos. As definições conceituais dos FCA Náuseas/vômitos e Padrão alimentar inadequado não apresentaram, respectivamente, clareza e precisão. Em relação às definições operacionais do FCA, Anorexia e Náuseas/vômitos não apresentaram precisão. Os 17 FCC julgados relevantes apresentaram IVC-G alta, concordância entre os juízes moderada e a consistência interna alta. O que também ocorreu para os 21 FCA julgados relevantes. Diante disso, foram feitas alterações nas definições conforme sugestões das juízas. Conclui-se que, de acordo com os métodos empregados, o presente estudo proporcionou o refinamento e aperfeiçoamento dos componentes do diagnóstico em estudo na população de crianças com câncer, composto, até esta etapa, por novos atributos essenciais, 22 FCA e 17 FCC. Dessa forma, dá subsídios a identificação da presença do diagnóstico na referida população com mais precisão. (AU)


Assuntos
Diagnóstico de Enfermagem , Criança , Estudo de Validação , Desnutrição , Oncologia
19.
Fortaleza; s.n; nov. 2020. 115 p.
Tese em Português | LILACS, BDENF | ID: biblio-1148351

RESUMO

Uma condição para desenvolvimento do câncer de colo uterino é a infecção pelo papilomavírus humano. Apesar da disponibilidade da vacina contra o vírus, observa-se que muitos adolescentes não aderem essa estratégia de cuidado. Nesse contexto, torna-se imprescindível o desenvolvimento de processos educativos acerca da vacinação. Assim, objetivou-se analisar a eficácia da intervenção educativa em saúde "Sai fora, HPV!" para o aumento do conhecimento, da atitude e da adesão de adolescentes à vacinação contra o papilomavírus humano por meio de estudo experimental, do tipo ensaio clínico randomizado controlado. O estudo dividiu-se em três fases: Construção e validação da tecnologia educativa; Análise da adesão das adolescentes à vacina contra o papilomavírus humano; Avaliação dos efeitos da intervenção educativa à adolescentes para adesão à vacina contra papilomavírus humano. Realizou-se em seis escolas municipais do Nordeste brasileiro de agosto de 2018 a janeiro de 2020. A amostra total foi de 238 adolescentes no pré-teste e 210 no pós-teste. Aplicou-se o inquérito conhecimento, atitude e prática pré e pós-intervenção. Para tratamento dos dados, realizou-se análise descritiva, teste de Qui-Quadrado, teste de McNemar e modelo de regressão logística. O nível descritivo utilizado foi de 5%. Esse estudo foi aprovado sob o parecer nº 2.645.679, registrado na Plataforma Internacional de Registros de Ensaios Clínicos e submetido no portal do Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos. O desenvolvimento da tecnologia educativa teve como base princípios para adequabilidade da comunicação escrita, utilizando-se referenciais teórico-metodológicos e embasamento na literatura científica. O projeto foi nomeado: "Sai fora, HPV!" e constituído por 21 textos educativos curtos relacionados à prevenção da infecção pelo papilomavírus humano, em especial à vacinação. No processo de validação com sete juízes, o índice de validação de conteúdo global equivaleu a 0,94, verificando-se concordância entre eles e considerando a etapa de validação adequada. A partir desse processo, totalizou-se 18 cartões-mensagem impressos. Quanto às características sociodemográficas, sexuais e reprodutivas das adolescentes, os grupos foram homogêneos em quase todas as variáveis. Antes da intervenção, pode-se observar que o conhecimento era inadequado e a atitude adequada em ambos os grupos. Após a aplicação da tecnologia, o conhecimento adequado foi maior no grupo intervenção. A atitude foi semelhante ao resultado anterior à intervenção, apesar de algumas variáveis sobre pensamentos acerca das vacinas em geral e se tomaria a vacina contra o papilomavírus humano apresentarem significância no grupo intervenção. Verificou-se também que o grupo intervenção teve uma frequência de prática avaliada em adequada maior que o grupo controle, e que a idade maior que 12 anos e o conhecimento e a atitude adequados explicam aproximadamente 70% da prática. Nesse contexto, conclui-se que a realização da intervenção com os cartões-mensagem do projeto "Sai fora HPV!" aumenta a adesão de adolescentes do sexo feminino à vacina contra o papilomavírus humano. Além disso, por ser uma tecnologia de baixo custo e simples de ser aplicada, pode ser incorporada no processo de cuidado em diversos ambientes, como escolas e instituições de saúde, sendo uma ferramenta importante para construção de saberes não só de adolescentes, mas também da família. (AU)


Assuntos
Adolescente , Enfermagem , Ensaio Clínico , Tecnologia Educacional , Vacinas contra Papillomavirus
20.
Cuenca; s.n; Universidad de Cuenca; 20200000. 45 p. ilus; tab. CD-ROM.
Tese em Espanhol | LILACS | ID: biblio-1102642

RESUMO

Introduction: A relevant aspect in pediatric anesthesia is the management of the airway. Anatomical differences in this population makes them more susceptible to devices designed for their management. Video laryngoscopy improves panoramic vision of the glottis. Objective: To compare the use of video laryngoscopy with direct laryngoscopy for orotracheal intubation in pediatric patients. Methods: With an observational descriptive design, 276 cases were studied, patients from 5 to 17 years old, undergoing planned surgery, with general anesthesia plus orotracheal intubation. The specialist decided on the handling device. The data was transcribed from the forms and analyzed with the SPSS 22.0 program. The descriptive analysis was based on median, mode, average, minimum value, maximum value. Standard deviation and range dispersion measurements. A value of p ≤ 0.05 was considered statistically significant. Results: The average age of the study was 9.83 years. With direct laryngoscopy 97.4% intubation was performed at the first attempt and with video laryngoscopy 88.4% (p = 0.003). In 94.2% of cases of direct laryngoscopy, a successful intubation was performed in less than 10 seconds, with video laryngoscopy it was 75.2% (p = 0.000). Complications occurred in 6.6% of intubations with video laryngoscopy versus 2.6% with conventional laryngoscopy (p = 0.103). 56.2% of specialists prefer direct laryngoscopy to manage a pediatric airway without predictors of difficulty. Conclusions: Video laryngoscopy provides additional support in routine airway management, always requiring prior knowledge and skills. The evidence to support one technique over another is insufficient.


Introduction: A relevant aspect in pediatric anesthesia is the management of the airway. Anatomical differences in this population makes them more susceptible to devices designed for their management. Video laryngoscopy improves panoramic vision of the glottis. Objective: To compare the use of video laryngoscopy with direct laryngoscopy for orotracheal intubation in pediatric patients. Methods: With an observational descriptive design, 276 cases were studied, patients from 5 to 17 years old, undergoing planned surgery, with general anesthesia plus orotracheal intubation. The specialist decided on the handling device. The data was transcribed from the forms and analyzed with the SPSS 22.0 program. The descriptive analysis was based on median, mode, average, minimum value, maximum value. Standard deviation and range dispersion measurements. A value of p ≤ 0.05 was considered statistically significant. Results: The average age of the study was 9.83 years. With direct laryngoscopy 97.4% intubation was performed at the first attempt and with video laryngoscopy 88.4% (p = 0.003). In 94.2% of cases of direct laryngoscopy, a successful intubation was performed in less than 10 seconds, with video laryngoscopy it was 75.2% (p = 0.000). Complications occurred in 6.6% of intubations with video laryngoscopy versus 2.6% with conventional laryngoscopy (p = 0.103). 56.2% of specialists prefer direct laryngoscopy to manage a pediatric airway without predictors of difficulty. Conclusions: Video laryngoscopy provides additional support in routine airway management, always requiring prior knowledge and skills. The evidence to support one technique over another is insufficient.


Assuntos
Humanos , Criança , Adolescente , Cirurgia Vídeoassistida/instrumentação , Laringoscopia/instrumentação
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA