Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 1.101
Filtrar
Mais filtros











Filtros aplicados
Intervalo de ano de publicação
1.
São Paulo; s.n; 2020. 94 p. ilus, tabelas.
Tese em Português | LILACS, PrevCan | ID: biblio-1116246

RESUMO

INTRODUÇÃO: Fatores prognósticos em Linfoma de Células do Manto (LCM) foram definidos em época sem padronização de tratamento e menos conhecimento de patogenia. Entre estes conhecimentos a participação da angiogênese ainda tem sido pouco estudada. Assim, a identificação de novos fatores prognósticos e melhor definição do impacto da angiogênese no LCM podem auxiliar na terapêutica e caracterizar grupos com maior risco de óbito. OBJETIVO: Avaliar a microdensidade vascular (MDV) em pacientes com LCM tratados no A.C.Camargo Cancer Center e relacioná-la a fatores que impactem na sobrevida global(SG). MATERIAL E MÉTODOS: Estudo retrospectivo, unicêntrico, transversal em portadores de LCM não indolente em cujas amostras histológicas foi quantificada MDV através de CD34 e avaliada angiogênese através de HIF-∝ e VEGF. Também foram consideradas variáveis demográficas, clínicas, laboratoriais, índices prognósticos e dados de tratamento e resposta ao tratamento. Modelo de riscos proporcionais de Cox simples foi ajustado para descrever a relação entre variáveis independentes e tempo até o óbito. Seleção das variáveis para modelo de regressão de Cox múltiplo foi considerada a partir dos resultados do modelo de Cox simples. RESULTADOS: No período de 2006 a 2014 analisamos 63 pacientes. A maioria foi do sexo masculino (68.3%) com estádio IV (81%). A mediana de idade foi de 64 anos e mediana de MIPI e MIPI-b de 5,7 e 6,2 respectivamente. Citarabina em alta dose foi utilizada em 44,4% dos pacientes e 36,5 % dos pacientes realizaram TACTH. O tempo mediano de seguimento foi 72,34 meses e a mediana de sobrevida global (SG) foi de 93,91 meses. Dos 63 pacientes iniciais, 34 dispunham de amostras para análise de MDV. A média e mediana de MDV foi de 14,88 e 3,5 vasos/mm2 respectivamente e 64,71% dos pacientes apresentaram VEGF e HIF-∝ ≥10%. Em análise univariada nenhum parâmetro de angiogenese apresentou significância estatística. Idade, hemoglobina , albumina, número de leucócitos, linfócitos, plaquetas, valores de MIPI e Ki-67 apresentaram significância estatística para SG. Em análise multivariada idade, concentração de albumina e plaquetas apresentaram significância permitindo estabelecer que pacientes com idade superior a 70 anos possuíram risco 8 vezes maior (HR=8,025; valor p=0,0101) de ir à óbito em relação aqueles com idade menor ou igual a 70 anos. Para cada incremento de unidade de albumina houve redução de 79,9% (HR=0,201; valor p=0,005) no risco de óbito mantido a idade constante enquanto pacientes com contagem de plaquetas acima de 146x109/l tiveram redução de risco de óbito em 78% (HR=0,231; valor p=0,003). CONCLUSÃO: Os resultados do presente estudo permitem concluir que a angiogênese não demonstrou ser um valor preditivo de óbito e que parâmetros diferentes dos habitualmente utilizados associam-se a maior risco de óbito. Tais achados devem ser validados em uma coorte mais ampla de pacientes.


INTRODUCTION: Mantle Cell Lymphoma (MCL) prognostic factors were defined in a no standardized treatment and less well-known pathogenesis time. Among them, angiogenesis has been little studied. Therefore, angiogenesis impact better definition and new prognostic factors can define higher death-risk groups and help MCL patients' management. PURPOSE: To evaluate microvascular density (MDV) in MCL patients treated at the AC Camargo Cancer Center as well as identify demographic, clinical and laboratory factors that impact on overall survival (OS). MATERIAL AND METHODS: We conducted a retrospective, single-center and cross-sectional study. We included all non-indolent MCL patients who underwent immuno-chemotherapy. MDV was quantified by CD34 analysis and angiogenesis was determined by HIF-∝ and VEGF markers. We took into account demographic, clinical, laboratory, prognostic indexes, treatment and response to treatment variables. Cox's proportional hazards model was adjusted to data to describe variables and time until death relationship. Variables selection for multiple Cox regression analysis model was considered from simple Cox model results. RESULTS: From 2006 to 2014, we analyzed 63 patients. The majority were male (68.3%) and Ann Arbor stage IV (81%) and they were 64 years old median age with median MIPI= 5.7 and MIPI-b= 6.2. High dose cytarabine was used in 44.4% of patients and 36.5% underwent TACTH. Median follow-up was 72.34 months and median overall OS was 93.91 months. Of 63 patients, 34 had samples for MDV analysis. The mean and median MDV was 14.88 and 3.5 vessels / mm2, respectively and 64.71% of patients had VEGF and HIF-∝ ≥10%. In univariate analysis, no angiogenesis parameter showed statistical significance. Age, hemoglobin, albumin, leukocytes, lymphocytes, platelets, MIPI and Ki-67 values were statistically significant for overall survival. In multivariate analysis, age, albumin concentration and platelet count were statistically significant, allowing the establishment of a predictive model. Patients over 70 years old had more than 8 times increased death-risk (HR = 8.025; p = 0.0101) in relation to those with less than or equal to 70 years old. For each albumin unit increment a reduction of 79.9% (HR = 0.201; p-value = 0.005) is expected in death-risk while patients with platelet count above 146 x 109/l had a 78% reduction in death-risk in relation to those with platelet count equal to or less than this value (HR = 0.231; p-value = 0.003). CONCLUSION: Angiogenesis has not been shown to have death predictive value. Diferent parameters from those commonly used are associated with higher death-risk. Such findings should be validated in a broader cohort of patients.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Idoso , Prognóstico , Imuno-Histoquímica , Linfoma de Célula do Manto , Inibidores da Angiogênese
2.
São Paulo; s.n; 2020. 77 p. ilus.
Tese em Português | LILACS, PrevCan | ID: biblio-1116247

RESUMO

Introdução: O Câncer de Pênis configura-se como uma neoplasia maligna do sistema urogenital, diretamente associado ao desenvolvimento socioeconômico de uma população, refletindo dificuldades no acesso ao sistema de saúde e falta de medidas preventivas. Traz consigo sérias implicações de ordem física, emocional, social e familiar. Apresenta desproporcional distribuição geográfica mundial, nacional e regional, com maior magnitude em regiões economicamente desfavorecidas. Sua incidência é maior em homens com idade acima de 50 anos. No Brasil concentra 2% de todos os tipos de câncer masculino, sendo mais frequente nas regiões norte e nordeste. Desta forma, é uma questão de interesse para a saúde pública pelo seu potencial de prevenção por meio de medidas, comportamentais, assistenciais. Seu prognóstico favorável depende da precocidade do diagnóstico em função da estreita relação das características histopatológicas para o adequado tratamento. O conhecimento das características epidemiológicas nacionais, regionais deste câncer é primordial para a proposição de políticas de saúde pública para o seu controle. Objetivos: Conhecer o perfil epidemiológico do Câncer de Pênis no estado de Mato Grosso e os seus aspectos histopatológicos nos pacientes diagnosticados em Mato Grosso e no Hospital do Câncer de Mato Grosso na série histórica de 2010 a 2015 (janeiro a dezembro), estabelecendo associações entre as variáveis analisadas: variáveis demográficas; hábitos de vida e variáveis referentes ao tumor; tratamento, seguimento dos casos e mortalidade por Câncer de Pênis. Materiais e Métodos: Estudo observacional, longitudinal, analítico de caso-controle (série histórica de 2010 a 2015) com a utilização de dados do Registro Hospitalar de Câncer (RHC), prontuários, laudos histopatológicos. A amostra foi composta por homens com Câncer de Pênis diagnosticados em Mato Grosso e especificamente na Fundação Hospital do Câncer de Mato Grosso. A análise dos dados foi por meio do Teste χ2 com significância de 5% (p < 0,05). Resultados: Os resultados da análise dos dados do RHC, revelaram que no período em análise houve o registro de 61 casos de Câncer de Pênis em Mato Grosso sendo 0,68% do total das neoplasias entre os homens, estando aquém dos resultados divulgados pelo INCA que apresenta o Câncer de Pênis com 2,0% do total de câncer entre os homens. Os indígenas no Mato Grosso foram representados por 1,64% dos casos de Câncer de Pênis, resultado superior ao encontrado em vários outros estudos. Os resultados demostraram que 91,8% dos casos foram classificados como Câncer de Pênis SOE, portanto acima do recomendado (< 3,0%). Houve diagnóstico microscópico, em 100%, dos diagnósticos, sendo um indicador positivo (≥ 95,0) pautado nas padronizações nacionais e internacionais do INCA e da Candian Cancer Surveillance. Em relação à mortalidade por Câncer de Pênis em homens residentes em Mato Grosso, o ano de 2012 foi o que apresentou a maior taxa bruta de mortalidade 0,43/100.000 homens), estando acima da taxa bruta de mortalidade por Câncer de Pênis no Brasil no ano de 2018 com 0,33/100.000 homens, caracterizando-se como situação preocupante, por ser um tipo raro de câncer. Os resultados obtidos demonstram que a Fundação Hospital do Câncer de Mato Grosso foi a responsável por atender 71,44% dos casos de Câncer de Pênis ocorridos em Mato Grosso, sendo a localização primária SOE registrada em 92,50% dos casos. Quanto ao tipo histológico 70,0% dos casos era Carcinoma Epidermóide. Os indígenas representaram 2,5%. Quanto à procedência dos pacientes 77,50% era proveniente de regiões do interior do estado. Conclusão: O Câncer de Pênis relaciona-se ao autocuidado, por meio da higiene intima, busca rotineira pelos serviços de saúde, entre outros fatores. Seu prognóstico depende da precocidade do diagnóstico. É reconhecido que o homem utiliza menos os serviços disponíveis na Atenção Básica à Saúde, se comparado com o segmento feminino, o que determina, entre outros fatores o diagnóstico tardio do Câncer de Pênis. Os resultados apresentados, reforçam as razões para exploração dos aspectos epidemiológicos, e proposições políticas para efetivar a prevenção e diagnóstico precoce desta neoplasia na Atenção Básica.


Introduction: Penile Cancer is a malignant neoplasm of the urogenital system, directly associated with the socioeconomic development of a population, reflecting difficulties in accessing the health system and lack of preventive measures. It has serious physical, emotional, social and family implications. It presents a disproportionate geographical distribution worldwide, nationally and regionally, with greater magnitude in economically disadvantaged regions. Its incidence is higher in men over 50 years of age. In Brazil it concentrates 2% of all types of male cancer, being more frequent in the north and northeast regions. Thus, it is a matter of interest to public health because of its potential for prevention through measures, behavioral, assistance. Its favorable prognosis depends on the early diagnosis due to the close relationship of histopathological characteristics for adequate treatment. Knowledge of the national and regional epidemiological characteristics of this cancer is essential for proposing public health policies for its control. Objectives: To know the epidemiological profile of Penile Cancer in the state of Mato Grosso and its histopathological aspects in patients diagnosed in Mato Grosso and at the Cancer Hospital of Mato Grosso (HC) in the historical series from 2010 to 2015 (January to December), establishing associations between the variables analyzed: demographic variables; lifestyle and variables related to the tumor; treatment, follow-up of cases and mortality from Penile Cancer. Materials and Methods: Observational, longitudinal, analytical case-control study (historical series from 2010 to 2015) using data from the Hospital Cancer Registry (RHC), medical records, histopathological reports. The sample consisted of men with Penile Cancer diagnosed in Mato Grosso and specifically at the Cancer Hospital Foundation of Mato Grosso. Data analysis was performed using the χ2 test with a 5% significance level (p <0.05). Results: The results of the analysis of the RHC data revealed that in the period under analysis there was a record of 61 cases of Penile Cancer in Mato Grosso, being 0.68% of the total neoplasms among men, being below the results published by the INCA that presents Penile Cancer with 2.0% of the total cancer among men. The indigenous people in Mato Grosso were represented by 1.64% of the cases of Penile Cancer, a result superior to that found in several other studies. The results showed that 91.8% of the cases were classified as WOS Penile Cancer, therefore above the recommended (<3.0%). There was a microscopic diagnosis, in 100% of the diagnoses, being a positive indicator (≥ 95.0) based on the national and international standards of INCA and Candian Cancer Surveillance. Regarding mortality from Penile Cancer in men living in Mato Grosso, 2012 was the year with the highest gross mortality rate of 0.43 / 100,000 men), being above the crude mortality rate from Penile Cancer in Brazil in 2018 with 0.33 / 100,000 men, characterized as a worrying situation, as it is a rare type of cancer. The results obtained demonstrate that the Hospital do Câncer de Mato Grosso Foundation was responsible for attending 71.44% of the Penile Cancer cases that occurred in Mato Grosso, with the primary WOS location being registered in 92.50% of the cases. As for the histological type, 70.0% of the cases were squamous cell carcinoma. The indigenous represented 2.5%. Regarding the origin of the patients, 77.50% came from the interior of the state. Conclusion: Penile Cancer is related to self-care, through intimate hygiene, routine search for health services, among other factors. Its prognosis depends on the early diagnosis. It is recognized that men use less of the services available in Primary Health Care, when compared to the female segment, which determines, among other factors, the late diagnosis of Penile Cancer. The results presented, reinforce the reasons for exploring the epidemiological aspects, and political proposals to effectively prevent this neoplasia in Primary Care.


Assuntos
Humanos , Masculino , Neoplasias Penianas , Perfil de Saúde , Inquéritos e Questionários , Saúde do Homem , Estudo Observacional
3.
Rio de Janeiro; s.n; 2020. 254 p.
Tese em Português | LILACS, PrevCan | ID: biblio-1119172

RESUMO

O presente estudo trata do dimensionamento de recursos humanos para cuidados paliativos oncológicos. As justificativas estão assentadas em argumentos como a transição epidemiológica do câncer associada ao envelhecimento da população e as estimativas mundiais de escassez de profissionais para a saúde. O principal objetivo deste trabalho foi contribuir para o dimensionamento dos recursos humanos de saúde no âmbito dos cuidados paliativos em oncologia. Os objetivos específicos foram revisar metodologias de dimensionamento de recursos humanos utilizadas para cuidados paliativos; analisar a carga de trabalho dos recursos humanos de saúde em uma unidade complexa de cuidados paliativos oncológicos e elaborar recomendações de dimensionamento e padrões de atividades no processo de trabalho de cuidados paliativos em oncologia. Foi realizada uma investigação quanti-qualitativa, descritiva e exploratória ancorada na perspectiva funcionalista, com base na pesquisa bibliográfica com uso de revisão integrativa e estudo documental. Acresceu-se ao processo investigativo estudo de caso com utilização de entrevista semiestruturada se utilizando de análise temática de conteúdo e aplicação da ferramenta WISN com utilização de software. Os resultados evidenciaram que há carência de literatura específica para dimensionamento de pessoal em cuidados paliativos oncológicos; que os papéis e atribuições definidos para profissionais desta área são genéricos e não traduzem a complexidade do cotidiano; que não há um padrão de atividades estipulado por categoria; e que a mensuração da carga de trabalho pode auxiliar o planejamento dos serviços. O produto da pesquisa foi uma definição de atividades-padrão para cada grupo profissional, análise e comparação das atividades por categorias, por setores, por turnos de trabalho e recomendações para incluir os recursos humanos como parte fundamental de uma política nacional de cuidados paliativos. Concluiu-se que a ferramenta WISN é aplicável para o planejamento de recursos humanos em instituições oncológicas de cuidados paliativos e permite vários desdobramentos para análise que podem ser utilizados com outros métodos consagrados na literatura.


Assuntos
Cuidados Paliativos/organização & administração , Planejamento em Saúde/organização & administração , Carga de Trabalho , Serviço Hospitalar de Oncologia , Mão de Obra em Saúde
4.
São Paulo; s.n; 2020. 99 p. figuras, tabelas.
Tese em Português | LILACS, PrevCan | ID: biblio-1102465

RESUMO

A síndrome do Xeroderma Pigmentoso (XP) ocorre frente à herança monogênica e bialélica de variantes germinativas patogênicas de perda ou redução de função em genes das vias de reparo por excisão de nucleotídeos ou síntese translesão. Consequentemente, é estabelecida deficiência na correção de lesões induzidas, principalmente por radiação ultravioleta, favorecendo alta sensibilidade à radiação solar e risco aumentado para o desenvolvimento de múltiplas lesões cutâneas pré-malignas e malignas. Visto que a heterogeneidade na manifestação clínica da síndrome é uma questão em discussão na literatura, para investigar este aspecto propusemos avaliar o perfil de variantes germinativas e variantes somáticas de tumores cutâneos e não cutâneos de indivíduos portadores de XP. Foi realizado o sequenciamento de alto desempenho utilizando a plataforma NextSeq (Illumina) para avaliar as regiões codificantes de 114 genes selecionados pela sua relevância em desordens dermatológicas, tumorigênese e fisiologia cutânea e resposta de dano ao DNA. Seis pacientes com fenótipo clínico da síndrome do XP e portadores de variantes germinativas clinicamente relevantes nos genes XPC ou POLH/XPV foram avaliados no estudo. Variantes germinativas de significado incerto foram identificadas, em heterozigose, no DNA de leucócito de cinco dos seis pacientes avaliados ocorrendo nos genes DNAH11, PCDHB3, RGS22, SLC27A5, TTN e UGT2B10 e nenhuma das variantes identificadas apresentou perda de heterozigose do alelo selvagem nos tecidos tumorais. O polimorfismo de risco para carcinoma basocelular de pele (CBC) rs3769823[A] no gene CASP8 não foi identificado em apenas um caso do estudo, o qual desenvolveu o menor número de tumores. O polimorfismo de risco rs1126809[A] no gene TYR foi detectado apenas no caso que apresentou o maior número de CBC. Amostras de DNA de nove CBCs de tecido armazenado em parafina e duas amostras de tumor gástrico de uma mesma peça cirúrgica, de tecido armazenado em parafina e congelado a fresco, foram avaliadas de forma pareada com o DNA de leucócito correspondente, para pesquisa de variantes somáticas. Variantes somáticas não foram identificadas na amostra de CBC da paciente XP-C com fenótipo menos agressivo da síndrome. O total de 235 variantes missense e 29 variantes de perda de função foram identificadas em 71 genes para sete amostras de CBC, mínimo de 11 e máximo de 127 variantes por amostra, com 85,2% destas apresentando frequência alélica ≥20%. Com exceção de um CBC, mais de 95% das variantes somáticas identificadas representam alterações tipicamente fotoinduzidas (C:G>T:A e G:C>T:A). Embora pacientes XP acumulem maior número de mutações devido deficiência no mecanismo de reparo, não observamos carga mutacional diferente do observado em CBCs esporádicos. Vinte e sete genes apresentaram variantes somáticas em mais de uma amostra de CBC. Nenhum gene foi compartilhado entre as sete amostras de CBC. Entre os genes alterados em maior número de tumores estão incluídos genes drivers de CBC (LATS1, NOTCH2, PTCH1, PTPN14 e TP53), bem como genes não clássicos na carcinogênese do CBC (APC, FLG e TTN). Uma variante driver em SMO foi recorrente em três CBCs de um mesmo paciente. Duas variantes somáticas foram identificadas no tumor gástrico de tecido congelado a fresco ocorrendo nos genes GLI3 e RB1, não sendo as mesmas detectadas no tecido armazenado em parafina. Nesse trabalho, ressalta-se a heterogeneidade na manifestação clínica da síndrome do XP e a identificação de dois polimorfismos de risco, bem como destaca-se o papel central das vias Sonic Hedgehog e Hippo na carcinogênese do CBC de pacientes XP (AU)


The Xeroderma Pigmentosum (XP) syndrome occurs on base of biallelic inheritance of pathogenic germline variants of loss of function or function reduction in genes that plays role in nucleotide excision repair and translesion synthesis. Consequently, patients are deficient in correct DNA lesions mainly induced by ultraviolet radiation, present high sensitivity to solar radiation and increased risk for the development of multiple premalignant and malignant skin lesions. Since the heterogeneity in the clinical manifestation is under constantly discussion in the literature, to investigate it we proposed to explore the profile of germline variants and somatic variants in skin and non-skin tumors from XP patients. High-performance sequencing using the NextSeq (Illumina) platform was performed to assess the coding regions of 114 genes selected for their relevance in dermatological disorders, skin carcinogenesis, cutaneous physiology and DNA damage response. Six patients with clinical phenotype of XP syndrome and carriers of clinically relevant germline variants in the XPC or POLH/XPV genes were evaluated in the study. Heterozygous germline variants of uncertain significance were identified in the leukocyte DNA from five of the six patients occurring in DNAH11, PCDHB3, RGS22, SLC27A5, TTN and UGT2B10 genes. None of the identified variants showed loss of heterozygosity of the wild allele in tumor tissues. The CASP8 risk polymorphism for basal cell carcinoma of the skin (BCC) rs3769823[A] was not identified in only one case of the study which developed the minor number of tumors. The TYR risk polymorphism rs1126809[A] was detected only in the case with the highest number of BCC. Somatic variants were investigated in DNA from nine samples of BCCs (tissue stored in paraffin) and two samples of gastric tumor from the same surgical (tissue stored in paraffin and fresh frozen), all paired with the corresponding leukocyte DNA. Somatic variants were not identified in the BCC sample of XP-C patient with a less aggressive syndrome phenotype. A total of 235 missense variants and 29 loss of function variants were identified in 71 genes for seven BCC samples. A minimum of 11 and a maximum of 127 variants per sample were detected, with 85.2% showing an allelic frequency ≥20%. Except for one BCC, more than 95% of the identified somatic variants represented typically photoinduced mutations (C:G>T:A and G:C>T:A). Although XP patients accumulate a greater number of mutations due to deficiency in the repair mechanism, we did not observe different mutational load compared with sporadic BCCs. Twenty-seven genes showed somatic variants in more than one BCC sample. Genes shared between the seven BCC samples were not found. Among the altered genes in a greater number of tumors, it was identified BCC driver genes (LATS1, NOTCH2, PTCH1, PTPN14 and TP53), as well as genes non-classical for BCC carcinogenesis (APC, FLG and TTN). A driver variant in SMO was recurrent in three BCCs from the same patient. Two somatic variants in GLI3 and RB1 genes were identified occurring only in the fresh frozen tissue of gastric tumor, not in the tissue stored in paraffin. In this work, the heterogeneous clinical manifestation of XP syndrome is highlighted, as well as the identification of two risk polymorphisms. In addition, this work emphasizes the central role of the Sonic Hedgehog and Hippo pathways in BCC carcinogenesis of XP patients.


Assuntos
Humanos , Masculino , Pessoa de Meia-Idade , Neoplasias Cutâneas , Neoplasias Gástricas , Xeroderma Pigmentoso , Carcinoma Basocelular , Reparo do DNA , Sequenciamento de Nucleotídeos em Larga Escala , Raios Ultravioleta
5.
São Paulo; s.n; 2020. 31 p. figuras, tabelas.
Tese em Português | LILACS, PrevCan | ID: biblio-1102466

RESUMO

INTRODUÇÃO: O carcinoma de pênis (CaPe) é uma doença devastadora do ponto de vista físico e psicológico. Sua etiopatogenia é pouco conhecida e o tratamento limitado. Existem evidências do papel de células do sistema imune, como macrófagos e linfócitos no prognóstico desses tumores. Com o avanço do conhecimento da imunoterapia, esta possibilidade se abre para os casos avançados de CaPe. Um dos biomarcadores preditivos para o seu uso é a expressão da proteína ligante (PD-L1) ao receptor programado de morte celular (PD-1). No momento, pouco se sabe sobre o padrão de imunoexpressão deste biomarcador no CaPe e sua relação com as características clinico-patológicos destes pacientes. OBJETIVO: Avaliar a presença, por imunohistoquímica de PD-L1 em CaPe, a relação de linfócitos nos microambiente tumoral e a relação com variáveis clínico-patológicas em pacientes com CaPe. METODOLOGIA: Por imunohistoquímica foi avaliada a presença de PD-L1 em células tumorais e células inflamatórias: macrófagos, CD4, CD8 e CD20 em biopsias de 49 pacientes com diagnostico prévio de CaPe. Os dados foram analisados utilizando o programa R versão 3.5. O teste exato de Fisher foi empregado para comparação estatística entre a expressão de PD-L1 em células tumorais e macrófagos, CD4, CD8 e CD20 e nas variáveis clínico-patológicas. RESULTADOS: Em relação às características clínico-patológicas, 55,1% dos pacientes eram casados, 61,2% foram submetidos a penectomia parcial, 71.4% não necessitou de esvaziamento linfonodal, sendo 49% localizado na glande. A histologia usual para esse tumor estava presente em 64,6% dos pacientes. Em relação ao processo de invasão da neoplasia a outros tecidos, 81,6% apresentaram invasão ao corpo esponjoso, 75,5% não apresentou invasão à uretra, 89,8% não apresentou invasão vascular. As células tumorais do CaPe expressaram PD-L1 em 19% dos casos. Esta se associou positivamente com o predomínio de células CD4 e CD20 no microambiente tumoral. CONCLUSÃO: Por imunohistoquímica PD-L1 foi expresso em cerca de um quinto dos casos e se associou a uma resposta imune anérgica. Embora expresso na minoria dos casos, a capacidade da célula neoplásica ter o inibidor de check-point com o mecanismo de evasão da resposta imune levanta a possibilidade de se testar a imunoterapia como estratégia terapêutica em casos selecionados (AU)


INTRODUCTION: Penile carcinoma (PeCa) is a physically and psychologically devastating disease. Knowledge of its etiopathogenesis and its treatment is limited. There is evidence of the role of immune system cells such as macrophages and lymphocytes in the prognosis of these tumors. With the advance of immunotherapy knowledge, this possibility opens up for advanced cases of PeCa. One of the predictive biomarkers for its use is the expression of the binding protein (PD-L1) to the programmed cell death receptor (PD-1). At the moment, little is known about the immunoexpression pattern of this biomarker on PeCa and its relationship with the clinical and pathological characteristics of these patients. OBJECTIVE: To evaluate the presence, by immunohistochemistry of PD-L1 in PeCa, the relationship of macrophages and lymphocytes in the tumor microenvironment and the relationship with clinical-pathological variables in patients with PeCa. METHODOLOGY: The presence of PD-L1 in tumor cells and inflammatory cells: macrophages, CD4, CD8 and CD20 cells in biopsies of 49 patients with the previous diagnosis of PeCa were evaluated. The data were analyzed using the R version 3.5 program. Fisher's exact test was used for statistical comparison between the expression of PD-L1 in tumor cells and macrophages, CD4, CD8, and CD20 cells and in the clinical-pathological variables. RESULTS: Regarding the clinical and pathological characteristics, 55.1% of the patients were married, 61.2% underwent partial penectomy; 71.4% did not require lymph node dissection and 49% of which were located in the glans. The usual histology for this tumor was present in 64.6% of the patients. Regarding the process of invasion of the neoplasm to other tissues, 81.6% presented invasion to the spongy body of penis; 75.5% did not present invasion to the urethra and 89.8% did not show vascular invasion. Tumor cells from CaPe expressed PD-L1 in 19% of cases. This was positively associated with the predominance of CD4 and CD20 cells in the tumor microenvironment. CONCLUSION: By immunohistochemistry PD-L1 was expressed in about one-fifth of the cases and was associated with an anergic immune response. Although expressed in a minority of cases, the ability of the neoplastic cell to have the checkpoint inhibitor with the immune response evasion mechanisms raises the possibility of testing immunotherapy as a therapeutic strategy in selected cases.


Assuntos
Humanos , Feminino , Idoso , Neoplasias Penianas , Pênis/cirurgia , Imuno-Histoquímica , Imunoterapia
6.
São Paulo; s.n; 2020. 75 p. figuras, tabelas.
Tese em Português | LILACS, PrevCan | ID: biblio-1102483

RESUMO

Introdução: A incidência e o impacto preditivo e prognóstico da expressão de PD-L1 por imunoistoquimica em pacientes com câncer gástrico submetidos a tratamento perioperatório é incerto. Também não há dados concretos sobre o efeito da quimioterapia neoadjuvante sobre esta expressão. Nesta coorte objetivamos determinar a expressão de PD-L1 pelo Combined Positive Score (CPS) em amostras de biópsias de neoplasias gástricas pré-neoadjuvância e em peças cirúrgicas após este tratamento e correlacionar estes achados com a resposta à quimioterapia pré-operatória e com os resultados de sobrevida observados. Método: Esta é uma coorte retrospectiva de pacientes com câncer gástrico e de transição gastro-esofágica que receberam tratamento neoadjuvante e cirurgia com intuito curativo no A.C.Camargo Cancer Center de 2007 a 2017. Pacientes submetidos à esofagectomia como procedimento principal, com tumores de coto gástrico e com histologias mistas foram excluídos. Dados clínicos foram coletados dos prontuários e de banco de dados prospectivo mantido pelo Núcleo de Cirurgia Abdominal. Amostras da biópsia pré tratamento e de áreas representativas da neoplasia colhidas das peças cirúrgicas após a neoadjuvância e representadas em TMA foram analisadas por IHQ utilizando-se o anticorpo 22C3 PharmDx da DAKO com os resultados analisados pelo CPS. A sobrevida global e livre de doença foram calculadas pelo método de Kaplan-Meier e a regressão de Cox foi usada para calcular os HR crus e ajustados para fatores prognósticos. Resultado: Duzentos e setenta pacientes foram incluídos, com mediana de idade de 58,9 anos, 51,5% estadiados como cT3-T4N+, 45% com histologia difusa, sendo que 87,8% completaram o tratamento neoadjuvante. A análise patológica pós-neoadjuvância revelou 13% de casos com resposta completa e 53% com regressão tumoral inferior a 50%. Com um seguimento mediano de 60,3 meses, as sobrevidas global e livre de doença medianas não foram atingidas. O porcentual de casos PD-L1 positivos nas biópsias foi 11,4% e em peças cirúrgicas foi 18,6% com CPS mediano de 3 (IQR 2,0 ­ 7,5) e 9 (IQR 5,0 ­ 20,0) respectivamente. Em 18,9% dos casos com amostras pareadas, as mesmas foram classificadas como PD-L1 negativas nas biópsias e positivas na peça cirúrgica pós-neoadjuvância. A expressão proteica do PD-L1 não esteve associada nem à resposta patológica nem aos resultados de sobrevida. Conclusão: A expressão proteica de PD-L1 em pacientes com câncer gástrico e de TEG submetido à quimioterapia perioperatória é baixa e significativamente diferente quando analisada nas biópsias pré-tratamento e nas peças cirúrgicas. Em nossa casuística, esta expressão não apresentou impacto na resposta patológica e nos resultados de sobrevida observados (AU)


Background. The incidence, prognostic and predictive impacts of PD-L1 IHC expression in locally advanced gastric cancer is uncertain as well as the effect of preoperative treatment on this expression. We aimed to determine the expression of PD-L1 by CPS in the pre-treatment biopsy and surgical specimens of patients with gastric cancer who received neoadjuvant therapy and its association with pathological response and survival outcomes. Method. Retrospective cohort of patients treated at a cancer center from 2007 to 2017. Patients with confirmed gastric or GEJ adenocarcinoma who received neoadjuvant treatment and curative-intent surgery were included. Gastric stump tumors and those who had a total esophagectomy were excluded. Clinical data were obtained from medical charts. Biopsy samples and a tissue microarray with the most representative areas of the surgical specimen were used to evaluate PD-L1 IHC expression with 22C3 phamDx antibody. Results were analyzed using the CPS score. Overall and DFS survival included the Kaplan-Meier product-limit estimator and a Cox regression was used to obtain crude and adjusted HR for prognostic factors. Results. 270 patients were included: median age was 58.9 years, most (51.5%) had cT3-T4N+ stages, 45% had diffuse histology and 87.8% completed the preoperative regimen. 13% had a pCR, while 53% had minimal tumor regression. With a median follow-up of 60.3 months (CI 95% 54.7 ­ 65.8), the median OS and DFS were not reached. 11.4% of biopsies and 18.6% of surgical specimens had positive CPS, with a median score of 3 (IQR 2,0 ­ 7,5) and 9 (IQR 5.0 ­ 20.0) respectively. In 18.9% of paired samples the PD-L1 expression was found to be negative in the biopsy sample and positive in the surgical specimen. PD-L1 expression was neither associated with pathologic response after neoadjuvant chemotherapy, nor with survival outcomes. Conclusion. PD-L1 expression on the setting of locally advanced gastric cancer was low and it was different when biopsy and surgical specimens were compared. No impact on survival results could be detected.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Prognóstico , Neoplasias Gástricas , Imuno-Histoquímica , Estudos Retrospectivos , Terapia Neoadjuvante
7.
São Paulo; s.n; 2020. 52 p. figuras, tabelas.
Tese em Português | PrevCan | ID: biblio-1099779

RESUMO

O Linfoma da Zona Marginal Extra-Nodal do estômago (Linfoma "MALT" gástrico, do inglês "Mucosa-associated Lymphoid Tissue"), está intimamente associado à infecção pelo Helicobacter pylori (H. pylori). A avaliação de resposta após o tratamento para erradicação do H. pylori requer um seguimento prolongado, com realização de biópsias gástricas de controle. Infiltrados linfoides residuais podem persistir por longos períodos após o tratamento de erradicação, e a avaliação histopatológica quanto à caracterização da presença ou ausência de doença residual pode apresentar dificuldades de interpretação. Em 2003, o Groupe d'Etude des Lymphomas de l'Adulte (GELA) estabeleceu um sistema de graduação histológica (escore "GELA") para avaliação de biópsias pós-tratamento de pacientes com linfoma do tipo "MALT" gástrico. O propósito do nosso estudo foi o de validar o uso deste escore em uma coorte brasileira de 24 pacientes tratados por linfoma MALT gástrico. Observamos uma concordância inter-observador moderada (k = 0,409), com concordância entre todos os avaliadores em apenas 41,6% dos casos. Observou-se que as divergências de avaliação ocorrem nos 3 parâmetros morfológicos utilizados para a definição do escore "GELA" final. Agrupando-se as categorias "Resposta Completa" e "Provável Doença Residual Mínima", foi atingida uma concordância substancial entre os avaliadores (0,743). Conclui-se que o sistema "GELA" possui potencial para uso na prática clínica, uniformizando a linguagem entre patologistas, endoscopistas e clínicos, devendo, entretanto, ter maior penetração e treinamento entre a comunidade de patologistas (AU)


Gastric Marginal Zone Lymphoma (or gastric MALT lymphoma) is an indolent B-cell neoplasm closely associated with Helicobacter pylori (H. pylori) infection. Evaluation of response after treatment for H. pylori eradication requires prolonged follow-up with control biopsies. Residual lymphoid infiltrates may persist for long periods, and histopathological evaluation for the characterization of the presence or absence of residual disease may present interpretation difficulties. In 2003, the Groupe d'Etude des Lymphomas de l'Adulte (GELA) established a histological grading system ("GELA" score) for evaluation of follow-up biopsies of gastric MALT lymphoma. The purpose of our study was to independently validate the use of this histological grading score in a Brazilian cohort of 24 patients treated for gastric MALT lymphoma. We observed moderate interobserver agreement (k = 0.409), with agreement among all evaluators in only 41.6% of cases. We observed that the divergences occur in the 3 morphological parameters used to define the final "GELA" score. When we grouped the categories of "Complete Remission" and "Probable Minimal Residual Disease", we achieved substantial agreement between the observers (k = 0.743). We conclude that the "GELA" system has potential for use in clinical practice, standardizing language among pathologists, endoscopists and clinicians, but should have greater penetration and training among the pathologist community (AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Neoplasias Gástricas , Biópsia , Linfoma de Zona Marginal Tipo Células B , Gradação de Tumores
8.
São Paulo; s.n; 2020. 55 p. figuras, tabelas.
Tese em Português | PrevCan | ID: biblio-1099770

RESUMO

Introdução: O Tromboembolismo Pulmonar (TEP) é uma entidade clínica e patológica caracterizada pela obstrução de coágulos sanguíneos na circulação pulmonar. Estes coágulos geralmente são oriundos da circulação venosa sistêmica estando intrinsecamente ligada à trombose venosa profunda (TVP), com redução ou escassez do fluxo sanguíneo para a área afetada, podendo levar o paciente rapidamente a morte. O TEP é evento muito comum em pacientes hospitalizados e com câncer. Hoje seu diagnóstico é definido pelas técnicas de ANGIO-TC de tórax (padrão ouro) e I/P por SPECT-CT. A técnica de I/P por SPECT-CT vem demonstrando alta acurácia para o diagnóstico de TEP, e por ser uma técnica de baixa dose de radiação e com definição tomográfica é de grande valia considera-la para o diagnóstico de TEP em pacientes oncológicos que frequentemente estão sendo submetidos a procedimentos de radiação e quimioterápicos. Objetivos: O objetivo do presente estudo é analisar o desempenho diagnóstico e a concordância entre os exames realizados pelas técnicas de Inalação/Perfusão Pulmonar por SPECT-CT e da ANGIO-TC de Tórax no diagnóstico do TEP em um Centro Oncológico. Avaliar o perfil dos pacientes e o Impacto na conduta médica. Métodos: Estudo de coorte descritivo, retrospectivo, quantitativo, qualitativo e unicêntrico; realizado através da análise de exames de Tomografia Computadorizada de Tórax-Protocolo para Pesquisa de TEP com contraste venoso iodado, realizados no Setor da Tomografia. E da análise dos exames de I/P por SPECT-CT com a inalação do DTPA99m e administração endovenosa do Macro-Agregado de Albumina99m ou MAA99m no Serviço de Medicina Nuclear do Departamento de Imagem do A.C.Camargo Câncer Center de Janeiro de 2015 a Maio de 2018. Resultados: Foi analisado um total de 410 exames e 363 pacientes. Duzentos e noventa e nove pacientes foram diagnosticados como negativos pra TEP e 64 pacientes como positivos pra TEP. Trezentos e trinta e cinco pacientes realizaram o exame de ANGIO-TC de tórax, 75 realizaram o exame de I/P pulmonar por SPECT-CT e 47 pacientes realizaram os dois exames. Oitenta por cento dos pacientes oncológicos apresentaram mais de uma das comorbidades além do câncer, sendo as mais prevalentes e que demonstraram associação com o diagnóstico de TEP o histórico de TEP/TVP, o Uso de anticoagulantes, Doenças pulmonares pré-existentes e HAS. Os tipos de câncer que demonstraram associação com o diagnóstico de TEP foram Câncer de pulmão, pâncreas e cérebro. Sendo mais prevalente o Câncer de pulmão nos pacientes com suspeita e diagnóstico de TEP. Os métodos de I/P pulmonar por SPECT-CT e ANGIO-TC de tórax obtiveram uma boa concordância nos resultados, e não houve impacto na conduta médica mediante o diagnóstico e tratamento nos dois Grupos analisados. Conclusão: Os métodos de I/P pulmonar por SPECT-CT e ANGIO-TC de tórax demonstraram ser ambos confiáveis e com alta acurácia para o diagnóstico do TEP em pacientes oncológicos. O SPECT-CT demonstrou ótima acurácia para o diagnóstico de TEP negativo podendo ser preferível e mais indicado para afastar TEP em pacientes oncológicos dada a sua menor radiação, porém para o diagnóstico de TEP positivo a ANGIO-TC de tórax ainda é mais indicada (AU)


Introduction: Pulmonary thromboembolism (PTE) is a clinical and pathological entity characterized by obstruction of blood clots in the pulmonary circulation. These clots usually come from the systemic venous circulation and are intrinsically linked to deep vein thrombosis (DVT), with reduced or scarce blood flow to the affected area, which can lead the patient quickly to death. PTE is a very common event in hospitalized patients with cancer. Today its diagnosis is defined by the techniques of ANGIO-TC of thorax (gold standard) and I/P by SPECT-CT. The technique of I/P by SPECT-CT has demonstrated high accuracy for the diagnosis of PTE, and because it is a technique of low radiation dose and with tomographic definition is of great value to consider it for the diagnosis of PTE in oncologic patients who are often undergoing radiation and chemotherapy procedures. Objectives: The objective of this study is to analyze the diagnostic performance and agreement between the tests performed by the inhalation/perfusion Pulmonary SPECT-CT and the ANGIO-TC Chest techniques in the diagnosis of PTE in an Oncologic Center. To evaluate the profile of patients and the impact on medical conduct. Methods: Descriptive, retrospective, quantitative, qualitative and unicentric cohort study; performed through the analysis of Thoracic Computed Tomography-Protocol for PTE Research with iodinated venous contrast, performed in the Tomography Sector. And the analysis of SPECT-CT I/P exams with inhalation of DTPA99m and intravenous administration of Macro-Agregado de Albumina99m or MAA99m at the Nuclear Medicine Service of the Imaging Department of the A.C.Camargo Cancer Center from January 2015 to May 2018. Results: A total of 410 tests and 363 patients were analyzed. Two hundred and ninety-nine patients were diagnosed as negative for TEP and 64 patients as positive for TEP. Three hundred and thirty-five patients underwent ANGIO-TC chest exam, 75 underwent SPECT-CT lung I/P exam and 47 patients underwent both exams. Eighty percent of oncologic patients presented more than one of the comorbidities besides cancer, being the most prevalent and that showed association with the diagnosis of PTE the history of PTE/TVP, the use of anticoagulants, pre-existing lung diseases and SAH. The types of cancer that demonstrated association with the diagnosis of PTE were Lung, pancreas and brain cancer. Lung cancer is more prevalent in patients with suspected and diagnosed PTE. The lung I/P methods by SPECT-CT and ANGIO-TC of thorax obtained a good agreement in the results, and there was no impact in the medical conduct through diagnosis and treatment in the two Groups analyzed. Conclusion: The methods of pulmonary I/P by SPECT-CT and ANGIO-TC of thorax demonstrated to be both reliable and with high accuracy for the diagnosis of PTE in oncologic patients. The SPECT-CT showed excellent accuracy for the diagnosis of negative PTE and may be preferable and more indicated to rule out PTE in oncologic patients due to its lower radiation, but for the diagnosis of positive PTE the chest ANGIO-TC is even more indicated (AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Perfusão , Embolia Pulmonar/diagnóstico por imagem , Estudos Retrospectivos , Estudos de Coortes , Tomografia Computadorizada com Tomografia Computadorizada de Emissão de Fóton Único , Angiografia por Tomografia Computadorizada
9.
São Paulo; s.n; 2020. 60 p. figuras, tabelas, quadros.
Tese em Português | PrevCan | ID: biblio-1099767

RESUMO

Introdução: Linfomas de Hodgkin (LH) e Linfomas Não Hodgkin (LNH) são as neoplasias hematológicas mais frequentes e possuem uma marcada variabilidade em seu comportamento. Embora normalmente sejam quimiossensíveis e cursem com altas taxas de cura, uma pequena parcela dos pacientes terá recidiva da doença ou terá doença refratária ao tratamento inicial. Neste contexto, a quimioterapia de altas doses (condicionamento) seguida de consolidação com transplante autólogo de medula óssea (TAUMO) é ainda a opção padrão de tratamento. Os condicionamentos baseados em carmustina, como a combinação de Carmustina, Etoposídeo, Citarabina e Melfalano (BEAM), são os mais utilizados. Entretanto, em consequência do recente desabastecimento do melfalano e da carmustina, houve a necessidade de substituir o BEAM por Bussulfano, Ciclofosfamida e Etoposídeo (BUCYE), outro esquema com tolerância e resposta aparentemente semelhantes. Objetivos: Comparar a sobrevida global (SG) e sobrevida livre de progressão (SLP) de pacientes portadores de LH e LNH recaídos ou recidivados submetidos a tratamento com os esquemas de condicionamento BEAM e BUCYE para transplante autólogo de medula óssea. Materiais e métodos: Estudo baseado na avaliação retrospectiva de 122 prontuários médicos de pacientes com LH e LNH refratários ou recidivados, submetidos ao TAUMO com os esquemas BEAM ou BUCYE, tratados no A. C. Camargo Cancer Center de Janeiro de 2009 a Maio de 2017. SG e SLP foram calculadas pelo método de Kaplan-Meier e os tempos para o evento entre os grupos foram comparados através do teste de log-rank. O perfil de toxicidade, assim como os dados de enxertia, foi avaliado através dos testes de Mann-Whitney e qui-quadrado. Resultados: A coorte foi dividida em dois grupos, aqueles submetidos ao BEAM (n=77) e aqueles submetidos ao BUCYE (n=45). A mediana de idade foi de 42 anos. As demais características clínicas foram semelhantes entre os grupos. Em relação ao perfil de toxicidade, observamos um maior tempo de permanência hospitalar (p=0,004) e uma maior frequência de mucosite grau≥2 (p=0,01) no grupo BUCYE. A mediana de enxertia neutrofílica para o grupo BEAM e BUCYE foi de 10 e 9 dias respectivamente. Para enxertia plaquetária, a mediana foi de 10 dias para ambos grupos. Não houve diferença na SG ou SLP entre os pacientes tratados com BEAM ou BUCYE, independente do diagnóstico. Conclusão: BEAM e BUCYE são bem tolerados e possuem perfil de toxicidade, enxertia e sobrevida semelhante, exceto pelo maior tempo de internação e maior taxa de mucosite associada ao BUCYE. Portanto, o condicionamento BUCYE pode ser considerado como uma alternativa ao regime BEAM (AU)


Introduction: Hodgkin's (HL) and non-Hodgkin's (NHL) lymphomas are the most frequent hematological neoplasms and have a marked variability in their behavior. Although they usually are chemosensitive and attend with high cure rates, a small portion of the patients will relapse or be refractory to the initial treatment. In this context, high-dose chemotherapy followed by consolidation with autologous stem cell transplantation (AHSCT) is still the standard of care. Carmustine-based conditioning regimens, which includes the combination of Carmustine, Etoposide, Cytarabine and Melphalan (BEAM) are mostly used. However, due to the shortage of carmustine and melphalan, replacing BEAM by Busulfan, Cyclophosphamide and Etoposide (BUCYE), another regimen with apparently similar tolerance and response, has been needed. Objectives: The main objective of this study was to compare the overall survival (OS) and progression-free survival (PFS) of patients with relapsed or recurrent HL and NHL treated with BEAM or BUCYE as conditioning regimens and undergoing AHSCT. In addition, OS and PFS according to the lymphoma's type, related to each regimen, was evaluated. Methods: We retrospectively reviewed 122 medical records of patients with refractory or relapsed HL and NHL submitted to AHSCT with BEAM or BUCYE conditioning regimens, treated at A. C. Camargo Cancer Center from January of 2009 to May of 2017. OS and PFS between the groups, were calculated using the Kaplan-Meier method and compared by the log rank test. Toxicity and engraftment data were evaluated with Mann-Whitney and chi-square tests. Results: The cohort was divided in two groups, those undergoing BEAM conditioning (n=77) and those submitted to BUCYE conditioning (n=45). The median age was 42 years. Most clinical characteristics were similar in both groups. Regarding the toxicity profile, we observed, a longer in-hospital stay (p=0,004) and a higher frequency of mucositis grade≥2 (p=0,01) in the BUCYE group. The median time for neutrophils engraftment in the BEAM and BUCYE groups was 10 and 9 days (p=0,40) respectively. For platelets engraftment, the median time was 10 days for both groups (p=0,35). No significant difference in overall survival or progression-free survival was observed among patients treated with BEAM or BUCYE, regardless of diagnosis. Conclusion: BEAM and BUCYE are well tolerated and have similar toxicity profile, as well as similar engraftment time and survival, except for a higher rate of mucositis and a longer in-hospital stay associated with BUCYE. Therefore, BUCYE conditioning regimen can be considered as an alternative to BEAM (AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adolescente , Recidiva , Transplante Autólogo , Linfoma não Hodgkin , Bussulfano , Doença de Hodgkin , Carmustina , Transplante de Medula Óssea , Condicionamento Pré-Transplante
10.
São Paulo; s.n; 2020. 120 p. figuras, tabelas, quadros.
Tese em Português | PrevCan | ID: biblio-1099762

RESUMO

O adenocarcinoma ductal do pâncreas é a quarta causa associada a câncer mais comum de morte no mundo ocidental. A presença de células tumorais circulantes (CTCs) no sangue pode ser considerada como um potencial fator prognóstico. Assim, o estudo de componentes que contribuem para sua formação de metástases tem se mostrado promissor. CTCs representam, em tempo real, a progressão tumoral, permitindo o monitoramento da eficácia terapêutica. O presente projeto teve por objetivo detectar CTCs presentes no sangue periférico de pacientes com adenocarcinoma ductal de pâncreas, avaliar a expressão de proteínas relacionadas à transição epitélio-mesênquima (TEM) tais como a mesotelina, vimentina, Metaloproteinase de Matriz 2 (MMP2) e o Receptor Beta do Fator de Crescimento Transformador I (TGFß-RI) e correlacionar com a resposta ao tratamento e sobrevida livre de progressão. Ainda, tentamos correlacionar os níveis de CTCs e expressão dos miRNAs destas células com sobrevidas livre de progressão (SLP) e global (SG). Foram analisadas amostras de sangue de 9 pacientes com adenocarcinoma de pâncreas (10 ml de sangue periférico) antes do início do tratamento e após 60 e 120 dias. As CTCs foram detectadas pelo sistema ISET (Rarecells, France) e depois caracterizadas por imunocitoquímica . Para análise de miRNAS das CTCs, foram colhidos em paralelo, leucócitos periféricos dos mesmos pacientes e de indivíduos saudáveis, como controle. Para essa análise, utilizamos apenas o material da coleta baseline. A extração do material foi realizada com um kit comercial (Qiagen) e a avaliação da expressão dos microRNAs com TaqMan Low Density Array (TLDA) em pool. As análises das proteínas envolvidas na TEM na coleta baseline, indicam que as CTCs expressavam predominantemente MMP2 (77,77%), seguida de TGFß-RI (44,44%), vimentina (33,33%) e mesotelina (22,22%). No primeiro grupo de acompanhamento de 5 pacientes, as CTCs expressaram MMP2 e vimentina (80%), TGFß-RI (60%) e mesotelina (20%). Comparadas ao grupo de 8 pacientes do segundo seguimento, as CTCs expressaram MMP2 (50%), vimentina (25%) e TGF-RI (12,5%). Constatamos que 3/9 pacientes no presente estudo progrediram (33,33%). Em dois pacientes, foram encontrados microêmbolos tumorais circulantes (MTC) e ambos apresentaram Trombose Venosa Periférica (TVP), mostrando que talvez haja uma correlação entre MTC e TVP. Encontramos dois microRNAs altamente expressos nas CTCs dos pacientes aqui avaliados, ambos envolvidos na estimulação do processo de TEM: hsa-miR-203a-3p e hsa-324-5p. Não houve diferença estatisticamente significante no número de casos com presença de proteína ou correlação com outros fatores, embora a MMP2 tenha sido altamente expressa nas três coletas, seguida por TGFß-RI e vimentina. Também não encontramos qualquer correlação entre as variáveis analisadas e SLP e SG. Neste trabalho foi possível encontrar CTCs em todos os 9 pacientes com câncer de pâncreas. Devido ao baixo número de pacientes incluídos e curto tempo de follow-up, não conseguimos ver correlação entre níveis de CTCs e expressão de proteínas e SLPe SG, mas continuaremos acompanhando o pacientes. Encontramos correlação entre presença de MTC e TEP. E conforme esperávamos, encontramos microRNAs relacionados à TEM altamente expressos em CTCs de pacientes com câncer de pâncreas (AU)


Ductal adenocarcinoma of the pancreas is the fourth most common cancer-associated cause of death in the Western world. The presence of circulating tumor cells (CTCs) in the blood can be considered as a potential prognostic factor. Thus, the study of components that contribute to metastases formation has shown to be promising. CTCs represent, in real time, tumor progression, allowing monitoring of therapeutic efficacy. The aim of this project was to detect CTCs present in the peripheral blood of patients with pancreatic ductal adenocarcinoma, to evaluate the expression of proteins related to the epithelial-mesenchymal transition (TEM) such as mesothelin, vimentin, Matrix Metalloproteinase 2 (MMP2) and Transforming Growth Factor Beta Receptor I (TGFß-RI) and correlate with response to treatment, progression-free survival (PFS) and overall survival (OS). Still, we tried to correlate the levels of CTCs and expression of miRNAs of these cells with progression-free and global survival. Blood samples from 9 patients with pancreatic adenocarcinoma (10 ml of peripheral blood) were analyzed before the start of treatment and after 60 and 120 days. CTCs were detected by the ISET system (Rarecells, France) and then characterized by immunocytochemistry. For analysis of the CTCs miRNAs, peripheral leukocytes from the same patients and healthy individuals were collected in parallel as a control. For this analysis, we used only the material from the baseline collection. The extraction of the material was made with a commercial kit (Qiagen) and the evaluation of the expression of the microRNAs with TaqMan Low Density Array (TLDA) in pool. The analysis of proteins involved in TEM in the baseline collection, indicates that CTCs expressed predominantly MMP2 (77.77%), TGFß-RI (44.44%), vimentin (33.33%) and mesothelin (22.22%). In the first follow-up group of 5 patients, CTCs expressed MMP2 in (80%), vimentin and TGFß-RI in (60%) and mesothelin (20%). Compared to the group of 8 patients in the second follow-up, CTCs expressed MMP2 in (50%), vimentin (25%) and TGF-RI in (12.5%). We found that 3/9 patients in the present study progressed (33.33%). In two patients, circulating tumor microemboli (CTM) were found and both had Peripheral Venous Thrombosis (PVT), showing that there may be a correlation between CTM and PVT. We found two microRNAs highly expressed in the CTCs of the patients evaluated here, both involved in the stimulation of the TEM process: hsa-miR-203a-3p and hsa-324-5p. There was no statistically significant difference in the number of cases with protein or correlation with other factors, although MMP2 was highly expressed in the three collections, followed by TGFß-R1 and vimentin. We also found no correlation between the variables analyzed and PFS and OS. In this work, it was possible to find CTCs in all 9 pancreatic cancer patients. Due to the low number of patients included and short follow-up time, we were unable to see a correlation between CTC levels and protein expression and PFS and OS, but we will continue to monitor the patients. Here, we found a correlation between the presence of CTM and PVT. As we expected, we found TEM-related microRNAs highly expressed in CTCs of patients with pancreatic cancer (AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Neoplasias Pancreáticas , Biomarcadores Tumorais , MicroRNAs , Transição Epitelial-Mesenquimal , Biópsia Líquida , Células Neoplásicas Circulantes
11.
São Paulo; s.n; 2020. 42 p. figuras, tabelas, quadros.
Tese em Português | PrevCan | ID: biblio-1099758

RESUMO

Introdução: Sarcomas são tumores raros e com apresentação heterogênea. São divididos em dois grandes grupos: tumores ósseos e de partes moles. A ocorrência na parede torácica é rara representando 8% de todos os sarcomas. O tratamento de escolha é a ressecção com margens ampliadas e quando ocorre a invasão de estruturas profundas, a toracectomia é indicada. A reconstrução do arcabouço ósseo é realizada com materiais de síntese proporcionando estabilidade e é seguida de da reconstrução de partes moles com retalhos musculares, musculocutâneos ou locais ao acaso. Objetivo: descrever os diferentes tipos de reconstrução, complicações e índice de complicações das cirurgias plásticas reparadoras realizadas em pacientes submetidos a toracectomias devido a ressecções oncológicas por sarcomas da parede torácica. Método: Estudo retrospectivo, observacional descritivo, com análise dos prontuários dos pacientes no A.C. Camargo Cancer Center. Foram analisados os retalhos utilizados, as complicações relacionadas aos retalhos e complicações clínicas. Resultados: Foram encontrados 22 pacientes: 12 do gênero masculino e 10 do gênero feminino. e a média de idade foi de 43 anos. Sarcomas primários representaram 81,8% da amostra. O tipo histológico mais frequente foi o condrossarcoma, com 7 pacientes. Em 17 casos os tumores foram encontrados no arcabouço torácico, em 4 no esterno e em 1 na região dorsal. Ressecção cirúrgica ampliada foi realizada em 20 pacientes (90,9%). A área média do defeito resultante da ressecção oncológica foi de 179,22 cm2, e a da massa tumoral, 45,10cm2. A área média dos retalhos foi de 97,4cm2. Material de síntese foi utilizado em 16 pacientes (72,7%). Retalhos cutâneos locais foram usados em 11 pacientes (50%), retalhos musculocutâneos, em 4 pacientes, sendo 3 de latíssimo do dorso (13,6%) e um do músculo reto do abdome com ilha de pele vertical (4,5%). Retalhos microcirúrgicos foram utilizados em 5 pacientes (22,7%) e retalho muscular de peitoral maior foi utilizado em 2 pacientes. Complicações relacionadas aos retalhos foram encontradas em 6 pacientes (27,3%) sendo Infecção a mais frequente, com 4 casos. O tamanho do defeito foi a única variável que apresentou relação com o aumento de complicações nos retalhos. Complicações clínicas estavam presentes em 9 pacientes (40,9%). Recorrência local ocorreu em 7 casos (31,8%) e metástases a distância ocorreram em 5 pacientes. A sobrevida global encontrada foi de 81,8% e a sobrevida livre de doença em 5 anos foi de 50%. Conclusão: A associação entre cirurgia plástica e a cirurgia torácica é preponderante para o tratamento cirúrgico dos sarcomas extensos da parede torácica. Os retalhos musculares, musculocutâneos e locais ao acaso são eficazes para a reconstrução das partes moles do tórax com baixo índice de complicações (AU)


Introduction: Sarcomas are rare tumors with a heterogeneous presentation. They are divided into two major groups: bone and soft tissue tumors. The occurrence in the chest wall is rare, representing 8% of all sarcomas. The treatment of choice is resection with wide margins and when invasion of deep structures occurs, thoracectomy is indicated. The reconstruction of the thoracic framework is performed with synthetic materials providing stability and is followed by the reconstruction of soft tissues with muscle, musculocutaneous or random flaps. Objective: To describe the different types of reconstruction, complications and complication rate of reconstructive plastic surgery performed on patients undergoing thoracectomies due to oncological resections due to chest wall sarcomas. Method: Retrospective, observational, descriptive study, with analysis of patients' medical records at A.C. Camargo Cancer Center. The flaps used, flap-related complications and clinical complications were analyzed. Results: 22 patients were found: 12 male and 10 female. and the average age was 43 years. Primary sarcomas represented 81.8% of the sample. The most frequent histological type was chondrosarcoma, with 7 patients. In 17 cases, tumors were found in the thoracic framework, in 4 in the sternum and in 1 in the dorsal region. Wide surgical resection was performed in 20 patients (90.9%). The mean area of the defect resulting from the oncological resection was 179.22 cm2, and that of the tumor mass, 45.10 cm2. The mean flap area was 97.4 cm2. Synthetic material was used in 16 patients (72.7%). Local skin flaps were used in 11 patients (50%), musculocutaneous flaps in 4 patients, 3 of which were latissimus dorsi (13.6%) and one of the rectus abdominis muscle with a vertical skin island (4.5%). Microsurgical flaps were used in 5 patients (22.7%) and muscle pectoralis flaps were used in 2 patients. Flap-related complications were found in 6 patients (27.3%), with infection being the most frequent, with 4 cases. The resulting defect size was the only variable that was related to the increase in complications in the flaps. Clinical complications were present in 9 patients (40.9%). Local recurrence occurred in 7 cases (31.8%) and distant metastases occurred in 5 patients. The overall survival found was 81.8% and the disease-free survival at 5 years was 50%. Conclusion: The association between plastic surgery and thoracic surgery is preponderant for the surgical treatment of extensive chest wall sarcomas. Muscle, musculocutaneous and random flaps are effective for the reconstruction of the soft parts of the chest with a low rate of complications (AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Sarcoma/cirurgia , Procedimentos Cirúrgicos Reconstrutivos , Parede Torácica , Retalho Miocutâneo/cirurgia , Estudos Retrospectivos , Estudo Observacional
12.
São Paulo; s.n; 2020. 38 p. figuras, tabelas.
Tese em Português | PrevCan | ID: biblio-1102178

RESUMO

Introdução: Com o envelhecimento da população e aumento na incidência de doenças crônicas como o câncer, tornou-se indiscutível o aumento na demanda por serviços de alta complexidade como as Unidades de Terapia Intensiva pelos pacientes muito idosos. Metodologia: O presente estudo, fundamentado na análise retrospectiva e descritiva de prontuários de pacientes, com abordagem quantitativa dos dados, tem como objetivo principal descrever as características clínicas e a sobrevida a curto (90 dias) e longo prazo (1 ano) de pacientes muito idosos (80 anos ou mais) admitidos nas Unidades de Terapia Intensiva do A.C.Camargo Cancer Center no período entre março/2011 a dezembro/2017. Secundariamente, objetivamos identificar fatores de risco para a mortalidade nestes dois períodos. Resultados: Foram incluídos 1.679 pacientes no estudo, com idade média de 84,2 anos, e predomínio do sexo masculino (52,5%). Os tipos de tumores sólidos locorregionais (56,9%) e sólidos metastáticos (37%) foram os mais prevalentes e as localizações mais comuns foram Câncer Colorretal e canal anal (18,1%) e Cavidade oral/faringe/laringe (9,2%). A maioria dos pacientes eram provenientes do Centro Cirúrgico (59,7%), seguidos da Enfermaria (20,4%). A maioria das internações foi secundária a procedimentos pós-operatórios eletivos (54,6%). Durante a estadia na UTI, o delirium ocorreu em 541 (32,2%) pacientes, 188 (11,2%) pacientes necessitaram de ventilação mecânica invasiva por 24h ou mais, 286 (17%) necessitaram de vasopressores por 24h ou mais e 59 (3,5%) pacientes necessitaram de Terapia de Substituição renal. As taxas de mortalidade hospitalar, em 90 dias e em 1 ano foram de 26,2%, 32,7% e 41,3%, respectivamente. Na regressão logística, os tipos de tumores sólidos metastáticos (OR: 2,93, IC 95% 2,30 - 3,73) e hematológicos (OR: 1,97, IC 95% 1,22 - 3,23) em relação ao tipo de câncer sólido locorregional e delirium (OR: 2,17, IC 95% 1,70 - 2,77) em relação ao paciente que não teve delirium na UTI, foram associados a mortalidade em 90 dias, enquanto que, internação clínica (OR: 4,50, IC 95% 3,51 - 5,76) em relação à cirurgia eletiva, tumores sólidos metastáticos (OR: 2,95, IC 95% 2,31 - 3,76) e tumores hematológicos (OR: 1,97, IC 95% 1,21 - 3,21) em relação aos tumores sólidos locorregionais e delirium (OR: 2,13, IC 95% 1,67 - 2,72) em relação ao paciente que não teve delirium na UTI, foram associados a mortalidade em 1 ano. Conclusão: Pacientes muito idosos com câncer admitidos na UTI não parecem ter piores desfechos em pacientes idosos não oncológicos, quando comparados com os dados da literatura. Admissões não eletivas e disfunções orgânicas durante a estadia na UTI são independentemente associadas a maior mortalidade hospitalar (AU)


Introduction: With the aging of the population and an increase in the incidence of chronic diseases such as cancer, there has been an indisputable increase in the demand for highly complex services such as Intensive Care Units by very elderly patients. Methodology: The present study, based on a retrospective and descriptive analysis of patient records, with a quantitative approach to the data, aims to describe the clinical characteristics and the short (90 days) and long-term (1 year) survival of very elderly (80 years or older) admitted to the Intensive Care Units of A.C.Camargo Cancer Center between March / 2011 to December / 2017. Secondly, we aim to identify risk factors for mortality in these two periods. Results: 1,679 patients were included in the study, with a mean age of 84.2 years, with a predominance of males (52.5%). The types of locoregional solid tumors (56,9%) and metastatic solids (37%) were the most prevalent and the most common locations were Colorectal Cancer and anal canal (18,1%) and Oral / pharynx / larynx (9,2%). Most patients were from the Surgical Center (59.7%), followed by the Infirmary (20.4%). Most hospitalizations were secondary to elective postoperative (54,6%). During the ICU stay, delirium occurred in 541 (32.2%) patients, 188 (11.2%) patients required invasive mechanical ventilation for 24 hours or more, 286 (17%) required vasopressors for 24 hours or more and 59 (3.5%) patients required renal replacement therapy. The hospital mortality rates, in 90 days and in 1 year, were 26.2%, 32.7% and 41.3%, respectively. In logistic regression, the types of metastatic (OR: 2.93, 95% CI 2.30 - 3.73) and hematological (OR: 1.97, 95% CI 1.22 - 3.23) tumors in relation to the type of solid regional cancer and delirium (OR: 2.17, 95% CI 1.70 - 2.77) in relation to the patient who did not have delirium in the ICU, were associated with 90-day mortality, while clinical hospitalization ( OR: 4.50, 95% CI 3.51 - 5.76) in relation to elective surgery, metastatic tumors (OR: 2.95, 95% CI 2.31 - 3.76) and hematological tumors (OR: 1.97, 95% CI 1.21 - 3.21) in relation to solid regional cancer and delirium (OR: 2.13, 95% CI 1.67 - 2.72) in relation to the patient who did not have delirium in the ICU, were associated with 1-year mortality. Conclusion: Very elderly cancer patients admitted to the ICU do not appear to have worse outcomes than elderly non-cancer patients, when compared with literature data. Non-elective admissions and organ dysfunctions during ICU stay are independently associated with highest hospital mortality.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Idoso de 80 Anos ou mais , Sobrevida , Idoso , Estudos Retrospectivos , Unidades de Terapia Intensiva , Neoplasias
13.
São Paulo; s.n; 2020. 67 p. figuras, tabelas.
Tese em Português | PrevCan | ID: biblio-1102200

RESUMO

Introdução: O mesotelioma maligno é uma doença rara e agressiva que tem origem no mesotélio e está comumente associada à exposição ao amianto. As opções terapêuticas são limitadas devido ao estágio avançado no qual a maioria dos pacientes é diagnosticado e à má resposta aos tratamentos sistêmicos existentes. Espera-se que a incidência deste tumor aumente na próxima década. Estudos adicionais são necessários para melhor compreensão de sua patogênese e para o desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas. Material e métodos: Foi realizado levantamento retrospectivo dos dados de pacientes diagnosticados com mesotelioma maligno pleural e peritoneal, tratados no A.C.Camargo Cancer Center desde de 1998 até dezembro de 2018. Os dados demográficos, clínicos e de tratamento foram coletados a partir das informações contidas em prontuário, codificadas e registradas em ficha de coleta específica. Sobrevida global foi calculada pelo método de Kaplan-Meier e comparada entre os subgrupos de interesse pelo teste de log-rank. Para a análise do infiltrado inflamatório foram selecionadas 25 amostras de mesotelioma pleural e 25 de mesotelioma. A avaliação da composição do infiltrado inflamatório foi realizada numa amostra independente de 47 casos incluídos num TMA disponível no acervo do A.C.Camargo Cancer Center, com anticorpos contra CD3, CD8, CD4, CD68, CD163, FOXP3 e CD20. A intensidade do infiltrado e o número de células do infiltrado foram comparados pelo teste Mann-Whitney. Resultados: Identificamos 146 casos de mesotelioma. O mesotelioma pleural foi mais frequente em pacientes do sexo masculino e em pacientes com história prévia de exposição ao amianto. Os pacientes com mesotelioma pleural também apresentaram pior performance status ao diagnóstico e receberam radioterapia mais frequentemente. Já os pacientes com mesotelioma peritoneal apresentavam-se mais frequentemente no estádio IV. O infiltrado inflamatório foi mais intenso no compartimento pleural (estromal) dos mesoteliomas pleurais e observou-se um maior número de células com marcação para CD68 também neste subgrupo. Os pacientes com mesotelioma pleural apresentaram pior sobrevida global. A performance clínica esteve associada à sobrevida global nos tumores de ambas topografias. Os pacientes portadores de mesotelioma pleural que receberam radioterapia apresentaram maior sobrevida global. Conclusão: Os mesoteliomas pleurais e peritoneais estão associados a características clínicas distintas. Observaos uma diferença na intensidade e composição do infiltrado inflamatório nos mesoteliomas pleurais, possivelmente relacionada à infiltração por macrófagos. O mesotelioma peritoneal está associado com melhor sobrevida apesar de um maior número de pacientes ser diagnosticado em estádio avançado. A performance clínica influencia significativamente a sobrevida dos pacientes com mesotelioma (AU)


Introduction: Malignant mesothelioma is a rare and aggressive disease that originates in the mesothelium and is commonly associated with exposure to asbestos. Therapeutic options are limited due to the advanced stage in which most patients are diagnosed and the poor response to existing systemic treatments. The incidence of this tumor is expected to increase in the next decade in Brazil. Additional studies are needed to better understand its pathogenesis and to develop new therapeutic strategies. Material and Methods: We retrospectively collected data from patients diagnosed with malignant pleural and peritoneal mesothelioma, treated at the A. C. Camargo Cancer Center from 1998 to 2018. Demographic, clinical and treatment data were recovered from medical records, coded and recorded in a specific form. Overall survival was calculated using the Kaplan-Meier method and compared between subgroups of interest using the log-rank test. For the analysis of the inflammatory infiltrate, 25 samples of pleural mesothelioma and 25 of mesothelioma were selected. The evaluation of the composition of the inflammatory infiltrate was performed in an independent sample of 47 cases (pleural and peritoneal), included in a TMA available in the Pathology arquive of A. C. Camargo Cancer Center, using antibodies against CD3, CD8, CD4, CD68, CD163, FOXP3 and CD20. The intensity of the infiltrate and the number of cells of the infiltrate were compared using the Mann-Whitney test. Results: We identified 146 cases of malignant mesothelioma. Pleural mesothelioma was more frequent among male patients and patients with a previous history of asbestos exposure. Patients with pleural mesothelioma had also poorer performance status at diagnosis and received radiation therapy more frequently. Patients with peritoneal mesothelioma were more frequently diagnosed in stage IV. Pleural mesotheliomas were associated with a more intesnse inflammatory infiltrate in the pleural (stromal) compartment and a larger number of CD68 positive cells. Patients with pleural mesothelioma had worse overall survival. Clinical performance was associated with overall survival in both topography, and patients with pleural mesothelioma who received radiotherapy had longer overall survival. Conclusion: Pleural and peritoneal mesotheliomas are associated with different clinical characteristics. We observed a difference in the intensity and composition of the inflammatory infiltrate in pleural mesotheliomas, possibly related to macrophage infiltration. Peritoneal mesothelioma is associated with better survival despite the fact that more patients are diagnosed at an advanced stage. Clinical performance significantly influences the survival of patients with mesothelioma.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Idoso , Imuno-Histoquímica , Estudos Retrospectivos , Inflamação , Mesotelioma
14.
São Paulo; s.n; 2020. 30 p. tabelas.
Tese em Português | PrevCan | ID: biblio-1102990

RESUMO

Introdução: O manejo da dor pela equipe de enfermagem é primordial, um atendimento priorizado valorizando as queixas, identificando a dor em todos os aspectos, buscando métodos para avaliação e planejamento de cuidados para ter sucesso no manejo da dor. Objetivo: Avaliar o conhecimento da equipe de enfermagem com relação ao manejo da dor de pacientes oncológicos internados em clínica médica e cirúrgica. Metodologia: Trata-se de um estudo prospectivo, com análise quantitativa de dados obtidos por meio de um questionário aplicado aos profissionais da enfermagem das unidades de internação no hospital A.C.Camargo Cancer Center durante o período de novembro de 2018 a janeiro de 2019. Os dados foram analisados com auxílio estatístico por meio da ferramenta de captura de dados RedCap com a realização dos testes de qui-quadrado ou o teste exato de Fisher, quando apropriado. Resultados: Foram incluídos 280 profissionais de enfermagem, sendo 101 auxiliares, 70 técnicos e 109 enfermeiros. Eram do sexo feminino 71,6% (220), média de idade 35 anos e com 5 anos a média de tempo de contratação. Em relação ao conhecimento da equipe de enfermagem, 191 (68,2%) afirmou saber a diferença entre dor aguda e dor crônica, 175 (62,5%) conhecem e empregam como instrumento de avaliação da dor a escala verbal numérica em pacientes capazes de verbalizar, porém quando questionados quanto ao instrumento de avaliação em pacientes sedados, os resultados mostraram a divisão de opiniões entre os profissionais, prevalecendo os que não tiveram opinião a respeito (101-36,1%), seguida dos que utilizam as três escalas simultaneamente: escala verbal numérica, de cores e de expressões faciais (74-26,4%). Quanto ao tempo de reavaliação do paciente após medida de alivio,144 (51,4%) faz nova avaliação em 1 hora. Sobre os efeitos adversos dos opióides, os 269 (96,1%) sabem reconhecer corretamente e 214 (76,4%) acreditam que o paciente fala a verdade quando refere dor, no entanto, concordaram que os opioides causam dependência. Conclusão: A equipe de enfermagem mostrou conhecimento adequado para manejo da dor, porém, a própria equipe reconheceu em uma das perguntas que esse manejo é apenas satisfatório. Ressalta-se que a escala de dor é padronizada na instituição e que apenas 62,5% conhecem a escala. É de suma importância o profissional ter domínio cientifico sobre a dor, impacto e como manejar de forma adequada, para que possamos proporcionar ao paciente um tratamento seguro e efetivo


Introduction: Management of pain by the nursing team is paramount, giving priority to prioritizing complaints, identifying pain in all aspects, seeking methods for assessing and planning care to be successful in pain management. Objective: To evaluate the knowledge of the nursing team regarding the pain management of cancer patients admitted to medical and surgical clinics. Objective: To evaluate the knowledge of the nursing team regarding the pain management of cancer patients admitted to medical and surgical clinics. Method: This is a prospective study, with quantitative analysis of data obtained through a questionnaire applied to nursing professionals in the inpatient units at the A.C.Camargo Cancer Center hospital from November 2018 to January 2019. The data were analyzed with statistical assistance using the Redcap data capture tool with chi-square tests or Fisher's exact test, when appropriate. Results: 280 nursing professionals were included, 101 assistants, 70 technicians and 109 nurses. 71.6% (220) were female, with an average age of 35 years and the average time of hiring at 5 years. Regarding the knowledge of the nursing team, 191 (68.2%) stated that they know the difference between acute pain and chronic pain, 175 (62.5%) know and use the numerical verbal scale in pain assessment instruments in capable patients to verbalize, but when asked about the assessment instrument in sedated patients, the results showed the division of opinions among professionals, prevailing those who had no opinion about it (101-36.1%), followed by those who use the three scales simultaneously: verbal numerical, color and facial expression scale (74-26.4%). Regarding the patient's reassessment time after relief measure, 144 (51.4%) made a new assessment in 1 hour. Regarding the adverse effects of opioids, 269 (96.1%) know how to recognize correctly and 214 (76.4%) believe that the patient speaks the truth when referring to pain, however, they agreed that opioids cause dependence. Conclusion: The nursing team showed adequate knowledge for pain management, however, the team itself recognized in one of the questions that this management is only satisfactory. It should be noted that the pain scale is standardized at the institution and that only 62.5% know the scale. It is of utmost importance that the professional has scientific control over pain, impact and how to manage it properly, so that we can provide the patient with a safe and effective treatment


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Dor/enfermagem , Inquéritos e Questionários , Estudos Retrospectivos , Manejo da Dor , Pacientes Internados , Neoplasias
15.
São Paulo; s.n; 2020. 17 p. tabelas.
Tese em Português | PrevCan | ID: biblio-1116241

RESUMO

Introdução: O tratamento padrão para o carcinoma espinocelular do canal anal (CECA) localizado é a quimiorradioterapia definitiva (QRT). Uma metanálise de estudos publicados conduzidos pelo nosso grupo mostrou taxas significativamente mais baixas de sobrevida livre de doença (SLD) e sobrevida global (SG) em três anos entre os pacientes HIV positivos. Nosso objetivo foi comparar o resultado dos tratamentos entre os grupos de pacientes HIV positivos e HIV negativos. Materiais e Métodos: É um estudo de coorte comparativa multicêntrica retrospectiva de pacientes com diagnóstico histológico de CECA localizado que receberam QRT definitiva. As características e os resultados dos pacientes foram comparados de acordo com o status do HIV. Os objetivos primários do estudo foram tempo para obtenção da resposta completa (RC) e SLD. Os objetivos secundários foram as taxas de RC aos 6 meses e após 6 meses, taxas de RC entre os regimes ACT-II (cisplatina mais 5-FU) e Nigro (mitomicina mais 5-FU), de acordo com o status HIV, eventos adversos G3/G4, padrões de recaída, cirurgia de resgate e taxas de colostomia. Resultados: De junho de 2001 a setembro de 2018, foram incluídos 185 pacientes: 43 (30,2%) eram HIV positivos e 142 (69,8%) eram HIV negativos. As taxas gerais de RC foram de 67,4% e 91,5% para pacientes HIV positivos e negativos, respectivamente (p <0,001). O acompanhamento médio foi de 47,8 meses e o tempo médio para atingir a RC foi de 7,8 meses (intervalo de confiança de 95% [IC]: 5,7 - 10,5), para os pacientes HIV positivo versus 4,89 meses (IC de 95%: 4,54 - 5,25), para os pacientes HIV negativo (p <0,001). Os tempos médios de SLD foram 79,7 meses (IC 95%: 56,8 - 102,6) e 127,9 meses (IC 95%: 112,6 - 143,2), para pacientes HIV positivos e negativos, respectivamente (p = 0,02). Houve uma tendência para maior toxicidade G3/G4 no grupo HIV positivo. Conclusões: Pacientes com HIV positivo demoram mais tempo para atingir a RC e apresentam pior SLD em comparação aos pacientes HIV negativo. Esses achados têm implicações clínicas, pois esperar mais tempo para definir uma resposta completa entre os pacientes HIV positivo podem evitar amputações anorretais desnecessárias.


Background: The standard treatment for localized squamous cell carcinoma of the anal canal (SCCA) is definitive chemoradiotherapy (ChRT). A meta-analysis of published studies conducted by our group showed significantly lower rates of disease-free survival (DFS) and overall survival (OS) at three years among HIV-positive patients. We aimed to compare detailed treatment outcomes between the group of HIV-positive and negative patients. Methods: Retrospective multicenter comparative cohort of consecutive patients with histological diagnosis of localized SCCA who received definitive ChRT. Patients' characteristics and outcomes were compared according to HIV status. The primary endpoints were time to achieve complete response (CR) and DFS time. Results: From Jun/2001 to Sep/2018, 185 patients were included: 43 (30.2%) were HIV-positive and 142 (69.8%) were HIV-negative. The overall CR rates were 67.4% and 91.5% for HIV-positive and negative patients, respectively (p <0.001). The median follow-up was 47.8 months and the median time to achieve CR was 7.8 months (95% Confidence Interval [CI]: 5.7 - 10.5) for HIV-positive vs 4.89 months (95% CI: 4.54 - 5.25) for HIV-negative (p <0.001). The median DFS times were 79.7 months (95% CI: 56.8 - 102.6) and 127.9 months (95% CI: 112.6 - 143.2) for HIV-positive and HIV-negative patients, respectively (p =0.02). There was a trend toward greater G3/G4 toxicity in the HIV-positive group. Conclusions: Patients with HIV-positive take longer to achieve CR and present worse DFS. These findings have clinical implications because waiting longer to define CR among these patients may prevent unnecessary anorectal amputations.


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Neoplasias do Ânus , Carcinoma de Células Escamosas , Estudos Retrospectivos , HIV , Quimiorradioterapia
16.
São Paulo; s.n; 2019. 56 p. ilust, tabelas.
Tese em Português | LILACS, PrevCan | ID: biblio-1049747

RESUMO

Introdução: Nas últimas décadas, progressos significativos foram feitos no manejo do carcinoma de células renais no cenário de doença avançada ou metastática. O uso de imunoterápicos estão aumentando tendo em vista que as células inatas e adaptativas do sistema imune desempenham um papel importante na regulação do crescimento do câncer. Objetivos: Os autores avaliaram as expressões imuno-histoquímicas de FOXP3, CD4 e CD8 e seus impactos prognósticos na sobrevida global e as compararam com fatores clínicos e patológicos. Metodologia: As expressões imuno-histoquímicas de FOXP3, CD4 e CD8 foram analisadas em 103 casos de carcinomas renais de células claras dispostos em tissue microarray. Para análise de seu impacto na sobrevida e associação com variáveis clínicas, dados epidemiológicos e clínicos foram coletados. Resultados: Em uma análise univariada, a razão de linfócitos CD4+/CD8+ apresentou impacto na sobrevida câncer específica (SCE) (p=0,045). Conclusão: A relação de linfócitos CD4+/CD8+ esteve associada a piores taxas de SCE. Nenhuma das variáveis clínicas e anatomopatológicas estudadas mostrou relação significativa com linfócitos positivos para FOXP3, CD4 e CD8 (AU)


Introduction: Significant progress has been made in the management of renal cell carcinoma during the last decades in the advanced or metastatic scenario. The use of immunotherapy is increasing as innate and adaptive cells of the immune system play an important role in regulating cancer growth. Objectives: The authors evaluated the immunohistochemical expressions of FOXP3, CD4 and CD8 and their prognostic impacts on overall survival and compared them with clinical and pathological factors. Methodology: Epidemiological and clinical data were collected. Immunohistochemical expressions were analyzed in 103 cases arranged in tissue microarray. Results: In a univariate analysis, the CD4+/CD8+ lymphocyte ratio impacted cancer-specific survival (ECS) (p = 0.045). Conclusion: The ratio of CD4+/CD8+ lymphocytes was associated with worse ECS rates. None of the clinical and anatomopathological variables studied showed a significant relationship with FOXP3, CD4 and CD8 positive lymphocytes (AU)


Assuntos
Carcinoma de Células Renais , Adenocarcinoma de Células Claras , Inflamação , Neoplasias Renais
17.
São Paulo; s.n; 2019. 85 p. ilust, quadros.
Tese em Português | LILACS, PrevCan | ID: biblio-1049749

RESUMO

O perfil de expressão gênica tem passado do cenário da pesquisa básica para a prática clínica, sendo cada vez mais utilizado como ferramenta na classificação de subtipos moleculares do câncer. No entanto, deve-se ter cautela ao interpretar as assinaturas gênicas, uma vez que os métodos de manuseio e preservação da amostra podem afetar a expressão gênica. "Isquemia fria", quando aplicada à coleta e preservação de tecidos para pesquisa, refere-se ao período transcorrido desde a retirada do órgão do corpo e coleta da amostra, até o momento do seu congelamento em nitrogênio líquido. O objetivo geral deste trabalho foi avaliar o impacto do tempo de isquemia fria na expressão gênica global pela técnica de microarray em um modelo animal. Avaliamos 3 órgãos (pulmão, fígado e rim) de 52 camundongos (Mus musculus C57Bl/6), gerando 312 tecidos submetidos a diferentes tempos de isquemia (zero ou referência, 15, 30, 45 e 60 minutos). A expressão gênica global foi avaliada na plataforma SurePrint G3 Mouse GE 8x60K Microarray, que cobre o genoma completo do camundongo. Como resultado deste trabalho, os RNA totais extraídos tiveram alta qualidade (RIN médio de 9,4) e observamos alterações em genes que podem ser atribuídas ao processo isquêmico per se (p<0.05 e fold-change |2|). Alguns desses genes são conhecidamente relacionados ao câncer: fatores de transcrição (Fos, Hif3A), oncogenes (Ret, Srsf3), supressores tumorais (Btg1, Hnf1a), genes envolvidos no reparo do DNA, diferenciação e atividades de quinase. Esses genes devem ser olhados com cautela nas assinaturas genômicas para um desempenho analítico mais confiável. Foram encontradas variações de expressão gênica relacionadas a processos de controle de íons intracelulares e controle do pH. Evidenciou-se a importância da criopreservação imediata do tecido, ou, pelo menos, o mais rápido possível após a coleta, visando minimizar os efeitos de variação da expressão gênica decorrentes da isquemia (AU)


Gene expression profile has been moved from basic research to clinical practice, and it is increasingly being used as a tool in the classification of molecular subtypes in cancer. However, caution should be exercised when interpreting gene signatures, as sample handling and preservation methods may affect gene expression. "Cold ischemia", when applied to tissue collection and preservation for research, refers to the period from organ removal from the body and sample collection until it is frozen in liquid nitrogen. The general objective of this work was to evaluate the impact of cold ischemia time on global gene expression by microarray technique in an animal model. We evaluated 3 organs (lung, liver and kidney) from 52 mice (Mus musculus C57Bl / 6), generating 312 tissues submitted to different ischemia times (zero or reference, 15, 30, 45 and 60 minutes). Global gene expression was evaluated on the SurePrint G3 Mouse GE 8x60K Microarray platform that covers the complete mouse genome. As a result of this work, the extracted total RNAs had high quality (mean RIN of 9.4) and we evidenced changes in genes that can be attributed to the ischemic process per se (p <0.05 and fold-change | 2 |). Some of these genes are known to be related to cancer: transcription factors (Fos, Hif3A), oncogenes (Ret, Srsf3), tumor suppressors (Btg1, Hnf1a), genes involved in DNA repair, differentiation and kinase activities. These genes should be viewed with caution in genomic signatures for more reliable analytical performance. Gene expression variations related to intracellular ion control and pH control processes were observed. The importance of immediate tissue cryopreservation, or at least as soon as possible after collection, was evidenced in order to minimize the effects of gene expression variation resulting from ischemia (AU)


Assuntos
Animais , Masculino , Feminino , Criopreservação , Expressão Gênica , Controle Analítico de Qualidade , Bancos de Espécimes Biológicos , Análise em Microsséries , Criobiologia , Isquemia/cirurgia
18.
São Paulo; s.n; 2019. 124 p. ilust, tabelas.
Tese em Português | LILACS, PrevCan | ID: biblio-1049745

RESUMO

O câncer de próstata é a segunda neoplasia maligna mais comum no mundo. Apesar do emprego do rastreamento populacional com o uso do PSA (Prostate specific antigen) ter proporcionado diminuição na mortalidade pela doença, sua validade tem sido questionada em alguns grandes estudos. A da falta de políticas de prevenção efetivas e de dados brasileiros sobre o comportamento do câncer de próstata desfavorecem a análise sobre a realidade dessa população. As opções terapêuticas curativas para o câncer de próstata em seus estágios iniciais incluem a prostatectomia radical, radioterapia, ablação prostática com ultrassom de alta frequência (HIFU), todas elas relacionadas a complicações e sequelas funcionais, as quais podem ser diminuídas com o uso de técnicas minimamente invasivas, porém acarretando impacto no aumento de custos das fontes pagadoras. O presente estudo analisa a relação custoefetividade de um programa de rastreamento populacional de câncer de próstata na cidade de São Paulo (SP ­ Brasil), bem como custo-efetividade das cirurgias (aberta e robótica); a relação de custo minimização entre radioterapia e terapia ablativa (HIFU), e os custos de hormonioterapia, quimioterapia e outras terapias sistêmicas paliativas realizadas no A.C.Camargo Cancer Center entre os anos de 2013 e 2018. A análise dos resultados demonstrou que o rastreamento populacional e a prostatectomia radical robótica são custo-efetivas em relação ao não rastreamento e à prostatectomia aberta, segundo os padrões de cálculo estabelecidos pela OMS (AU)


Prostate cancer is the second most common malignancy in the world. Despite of prostate specific antigen (PSA) based population screening had shown mortality reduction, its validity has been questioned in some large studies. The lack of effective Brazilian prevention policies and data on prostate cancer behavior undermine a population's reality analysis. Curative treatment options for initial prostate cancer include radical prostatectomy, radiotherapy and high frequency ultrasound prostate ablation (HIFU), all of them related to complications and functional sequelae, which can be diminished by using minimally invasive techniques, however, affecting the rising costs of paying sources. This study analyzes the cost-effectiveness of a prostate cancer population screening program in the city of São Paulo (SP - Brazil), as well as the cost-effectiveness of surgeries (open and robotic approaches); a minimized-cost relationship between radiotherapy and ablative therapy (HIFU), and general costs of hormone therapy, chemotherapy and other palliative systemic therapies performed at the A.C.Camargo Cancer Center between 2013 and 2018. Results demonstrated that PSA based population screening and Robotic radical prostatectomy are cost-effective compared to not-screening population and open prostatectomy, according to WHO calculation standards (AU)


Assuntos
Neoplasias da Próstata , Avaliação da Tecnologia Biomédica , Economia da Saúde , Programas de Rastreamento , Análise Custo-Benefício , Antígeno Prostático Específico , Custos e Análise de Custo
19.
São Paulo; s.n; 2019. 247 p. ilus, tab, quadros.
Tese em Português | LILACS, PrevCan | ID: biblio-1007843

RESUMO

O hepatoblastoma, câncer de fígado mais comum na infância, é um tumor embrionário que se supõe surgir da interrupção da diferenciação hepática durante a embriogênese. O genoma deste tipo tumoral carrega poucas alterações somáticas, principalmente aneuploidias cromossômicas e mutações em CTNNB1. Essa relativa escassez de mutações somáticas representa um desafio à estratificação de risco dos pacientes e ao desenvolvimento de terapias direcionadas. Neste trabalho, investigamos por sequenciamento de exoma o espectro de mutações somáticas em um grupo de 10 hepatoblastomas, pareados com suas respectivas amostras germinativas, incluindo um caso de tumor congênito. Os dados genômicos revelaram que os hepatoblastomas tem número reduzido de mutações somáticas codificadoras não-sinônimas (média de ~6 variantes/tumor, com exclusão do caso congênito), totalizando 94 mutações (92 diferentes) nos 10 tumores, mapeadas em 87 genes. Apenas três genes apresentaram mutações detectadas em mais de uma amostra, CTNNB1, CX3CL1 e CEP164. As mutações foram validadas pelo sequenciamento de um painel composto pelos genes identificados no exoma, também utilizado para investigar estes genes em um grupo adicional de 12 tumores; apenas mutações em CTNNB1 foram detectadas neste grupo adicional. Mutações somáticas em CTNNB1 foram detectadas em ~54% do grupo estudado (22 hepatoblastomas): sete variantes patogênicas do tipo nucleotídeo único (SNV) ou indel foram identificadas em oito hepatoblastomas (~36%), uma delas nunca previamente descrita (A21_S33del); deleções intragênicas foram detectadas por sequenciamento Sanger em quatro outros tumores (~18%). A proteína ß-catenina foi avaliada por imunohistoquímica, apresentando translocação para o núcleo, o que indica ativação da via WNT; esse resultado também foi observado em tumores nos quais mutações em CTNNB1 não foram detectadas. O principal achado do estudo do exoma de hepatoblastomas foi a identificação de uma mutação somática recorrente no éxon 3 do gene CX3CL1 (A235G), observada em dois diferentes tumores. A análise de expressão gênica e proteica de CX3CL1 e de seu receptor CX3CR1 revelou aumento de expressão de CX3CL1 em hepatoblastomas; este resultado foi replicado em duas coortes independentes. O detalhamento da análise evidenciou um padrão bimodal: (a) linfócitos infiltrados em regiões tumorais de inflamação pós-quimioterapia eram negativos para essas proteínas, que deveriam estar expressas neste tipo celular em condições normais, enquanto as células tumorais as expressavam; (b) nas áreas de necrose tumoral pós-quimioterapia, houve detecção das proteínas CX3CL1/CX3CR1 nos linfócitos, mas não nas células tumorais. Em conjunto, estes resultados sugerem que a ativação da via CX3CL1/CX3CR1 ocorre em parte dos hepatoblastomas, independentemente da detecção de mutações, o que parece ser um achado relevante, potencialmente relacionado a inflamação e/ou resistência à quimioterapia. Adicionalmente, três assinaturas mutacionais foram detectadas nos hepatoblastomas, duas delas com predomínio das assinaturas do COSMIC, HB-S1 (COSMIC 1 e 6, presentes em todos os tipos de câncer) e HB-S2, com similaridades à assinatura COSMIC 29, relacionada apenas a carcinoma oral de células escamosas (gengivo-bucal) associado ao hábito de mascar tabaco; uma nova assinatura mutacional foi observada em um subconjunto de hepatoblastomas (HB-S3), com padrão inespecífico de pequeno aumento de mutações C>A. As assinaturas mutacionais já relatadas para câncer de fígado não foram evidentes nestes hepatoblastomas, sugerindo um processo mutacional diferente em sua origem. Por fim, análise de mutações germinativas no caso de hepatoblastoma congênito levou à identificação de variantes germinativas em genes de predisposição a câncer (BRCA1 e FAH), levantando a questão do papel da predisposição genética no desenvolvimento destes tumores embrionários (AU)


Hepatoblastoma, the most common liver cancer in infancy, is an embryonal tumor supposed to arise from differentiation impairment during embryogenesis. Hepatoblastomas genomes carry few somatic changes, mainly chromosomal aneuploidies and mutations in the CTNNB1 gene. This relative paucity of somatic mutations poses a challenge to risk stratification and development of targeted therapies. In this work, we investigated the burden of somatic mutations in a cohort of 10 hepatoblastomas paired with their respective germline samples, including a case of congenital tumor. Data revealed a low number of non-synonymous somatic coding mutations (mean of ~6 variants/tumor), totalizing 94 mutations in the 10 tumors, mapped in 87 genes; only three genes exhibited mutations detected in more than one sample, CTNNB1, CX3CL1 and CEP164. Target sequencing was used for validation and screening of the mutated genes in an additional group of 12 tumors; only CTNNB1 mutations were detected in this additional group. CTNNB1 mutations were detected in ~54% of the cohort (22 hepatoblastomas): seven single nucleotide variant or indel mutations were identified in eight hepatoblastomas (~36%), including the A21_S33del mutation, not previously reported; intragenic deletions were detected by Sanger sequencing in 4 tumors (~18%). The ß-catenin protein was evaluated by immunohistochemistry, presenting translocation to the nucleus, indicating activation of the WNT pathway; this result was also observed in tumors without CTNNB1 mutations. The main finding of the exome study was the identification of a recurrent somatic mutation in the exon 3 of the CX3CL1 gene (A235G) in two different hepatoblastomas. Gene expression and protein analysis of CX3CL1 and its receptor CX3CR1 revealed increased expression of CX3CL1 in hepatoblastomas, a result that was replicated in two independent cohorts. A bimodal pattern of expression was observed: (a) lymphocytes infiltrated in tumor regions of inflammation post-chemotherapy were negative for these proteins, which should be expressed in this cell type under normal conditions, while the tumor cells expressed them; (b) in areas of tumor necrosis after chemotherapy, CX3CL1/CX3CR1 proteins were detected in lymphocytes, but not in tumor cells. Taken together, these results suggest that activation of the CX3CL1/CX3CR1 pathway occurs in part of the hepatoblastomas, regardless of mutation detection, potentially related to inflammation and/or resistance to chemotherapy. Additionally, three mutational signatures were detected, two of them with a predominance of signatures of COSMIC, HB-S1 (COSMIC 1 and 6, present in all types of cancer) and HB-S2 (COSMIC 29 signature, related only to oral cell carcinoma gingival-buccal associated with the habit of chewing tobacco). A new mutational signature was observed in a subset of hepatoblastomas (HB-S3), with a non-specific pattern of small increase in C>A mutations. Mutational signatures already reported for liver cancer were not evident in these hepatoblastomas, suggesting a different mutational process. Finally, an exploration of germline mutations in the congenital hepatoblastoma led to the identification of variants in genes of cancer predisposition (BRCA1 and FAH), raising the question of the role of genetic predisposition in the development of these embryonal tumors (AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Síndrome , Hepatoblastoma , Carcinoma Embrionário , Genômica , Quimiocina CX3CL1 , Via de Sinalização Wnt , Sequenciamento Completo do Exoma , Neoplasias Hepáticas/fisiopatologia , Neoplasias Hepáticas/genética , Mutação/genética
20.
São Paulo; s.n; 2019. 34 p. ilus, tab, quadros.
Tese em Português | LILACS, PrevCan | ID: biblio-1007846

RESUMO

Introdução: A avaliação da resposta à quimioterapia de indução (QI) com regimes triplos, incluindo taxane, cisplatina e 5 fluorouracil (TPF) em carcinoma de células escamosas de cabeça e pescoço localmente avançado (CECCPLA) é geralmente realizada após 2 ciclos de quimioterapia usando critérios morfológicos. Preocupações em relação ao perfil de toxicidade do TPF sugerem um benefício potencial de uma abordagem de avaliação de resposta precoce. Objetivo: o objetivo deste estudo é avaliar a utilidade de se avaliar precocemente a resposta tumoral por método funcional e morfológico com uso do PET-SCAN em pacientes portadores de CECCPLA tratados com QI seguido de radioteapia após o primeiro ciclo de QI. Métodos: Pacientes com CECCPLA que se submeteram ao QI com TPF foram avaliados prospectivamente. Os procedimentos de estadiamento incluíram imagem locorregional e de tórax, exame endoscópico e PET-SCAN. Pacientes foram avaliados para resposta tumoral após o segundo ciclo da QI e ao término do tratamento, conforme conduta estabelecida para a prática clínica. No dia 14 do primeiro ciclo, um segundo PET- SCAN foi realizado e os médicos e pacientes foram cegados para os seus resultados. Todos os pacientes assinaram consentimento para participação do estudo. Resultados: Entre fevereiro de 2010 e julho de 2013, 49 pacientes portadores de CECCPLA estádio III / IVA-B CECCPLA foram recrutados. Após um seguimento mediano de 44,3 meses, pacientes cujos achados de PET-SCAN não registraram aumento no Stardard Uptake Value (SUV) máximo dos linfonodos regionais apresentaram melhor sobrevida livre de recidiva (HR = 0,18; IC95% 0,056-0,585; p = 0,004) e sobrevida global (HR = 0,14, IC 95% 0,040-0,498; p = 0,002) e foram considerados respondedores. Neste subgrupo, os pacientes que atingiram pelo menos 45% de redução no SUV máximo do tumor primário apresentaram melhor sobrevida livre de progressão tumoral (HR = 0,23, IC 95% 0,062-0,854; p = 0,028) e sobrevida global (HR = 0,11, IC 95% 0,013 -0,96; p = 0,046). Conclusão: Estes resultados sugerem um potencial papel da avaliação da resposta tumoral precoce com PET-SCAN em pacientes com CECCPLA submetidos a QI. Aumento no SUV máximo do linfonodo regional e diminuição insuficiente na captação do tumor primário predizem pior evolução clínica (AU)


Introduction: Evaluation of induction chemotherapy (IC) response with triplet taxane, cisplatin and 5 fluorouracil containing regimen (TPF) in locally advanced head and neck squamous cell carcinoma (LASCCHN) is usually performed after 2 cycles of chemotherapy using morphological criteria. Concerns regarding the TPF toxicity profile suggest a potential benefit of an early tumor response assessment approach. Objective: The objective of this study is to evaluate the usefulness of early evaluation of tumor response by functional and morphological method using PET-SCAN patients with LASCCHN treated with IC followed by radiotherapy after the first IC cycle. Methods: Patients with LASCCHN who underwent IC with TPF were prospectively evaluated. Staging procedures included standard primary neck tumor and chest imaging, endoscopic examination and PET-SCAN. Patients were evaluated for tumor response after the second cycle of IC and at the end of treatment, according to established practice guidelines. On day 14 of the first cycle, a second PET-SCAN was performed and physicians and patients were blinded to their exam findings. Results: Between February 2010 and July 2013, 49 patients staged AJCC III / IVA-B LASCCHN were recruited. After a median follow-up of 44.3 months, patients with no increase in the regional maximum lymph node SUV had better relapse-free survival (HR = 0.18, 95% CI 0.056-0.585, p = 0.004) and overall survival (HR = 0.14, 95% CI 0.040-0.498, p = 0.002) and were considered responders. Among cases considered responders, patients who achieved at least 45% reduction of SUV in the primary tumor presented improvement in progression-free (HR = 0.23, 95% CI 0.062-0.854, p = 0.028) and overall survival (HR = 0.11, 95% CI 0.013 -0.96, p = 0.046). All patients provided informed consent for study participation. Conclusion: These results suggest an important role of the evaluation of the early response with PET-SCAN in patients with LASCCHN undergoing IC. Increase in the regional SUV maximum and insufficient decrease in primary tumor uptake predict worse clinical outcome (AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Papillomaviridae , Radioterapia , Carcinoma de Células Escamosas , Quimioterapia de Indução , Tomografia Computadorizada com Tomografia por Emissão de Pósitrons , Neoplasias de Cabeça e Pescoço
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA