Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 3 de 3
Filtrar
Mais filtros

País/Região como assunto
Ano de publicação
Intervalo de ano de publicação
1.
Brasília; IPEA; 2021. 28 p. ilus.(Nota Técnica / IPEA. Dirur, 22).
Monografia em Português | LILACS, ECOS | ID: biblio-1152605

RESUMO

Nesta NT, a abordagem se voltará ao período que compreende desde os primeiros casos e óbitos no país, até 30 de novembro de 2020. Terá como objetivo retomar algumas hipóteses levantadas na NT nº 16 (Pêgo et al., 2020), elaborada com base em informações até 15 de abril de 2020, e avançar na prospecção de tendências. Encontra-se organizada em cinco seções, sendo a primeira esta introdução. Na segunda, serão atualizadas a leitura da posição do país no contexto geral da pandemia, a análise dos números registrados e a distribuição de casos e óbitos no território. A terceira discorrerá sobre os impactos do fechamento das fronteiras com os países limítrofes, particularmente em relação aos arranjos transfronteiriços. Na quarta seção, a abordagem particularizará as relações transfronteiriças e vulnerabilidades dos povos indígenas frente à Covid-19. A NT será finalizada, em sua quinta seção, com algumas considerações sínteses ou complementares.


Assuntos
Coronavirus , Infecções por Coronavirus , Pandemias , Política Pública , Sistema Único de Saúde , Brasil
2.
Brasília; IPEA; 2021. 28 p. ilus.(Nota Técnica / IPEA. Dirur, 21).
Monografia em Português | ECOS, LILACS | ID: biblio-1152603

RESUMO

Nesta NT, a abordagem se voltará ao período que compreende desde os primeiros casos e óbitos no país até 30 de novembro de 2020. Terá como objetivo retomar algumas hipóteses levantadas na NT n° 16/2020 (Pêgo et al., 2020), elaborada com base em informações até 15 de abril de 2020, e avançar na prospecção de tendências. Encontra-se organizada em cinco seções, sendo a primeira esta introdução. Na segunda seção, será atualizada a análise das medidas e decisões das esferas de governo, federal e estaduais, no enfrentamento à Covid-19 e das medidas econômicas dos estados, segundo grandes regiões, culminando com os números sobre a evolução dos óbitos nas Unidades da Federação (UF). A terceira seção está dedicada à vulnerabilidade socioespacial e ao direito à moradia durante a pandemia, com ênfase nas precárias condições de enfrentamento em regiões carentes das periferias metropolitanas. Na quarta seção, a análise se volta ao enfrentamento da Covid-19 por meio do desenvolvimento de vacinas e de agentes terapêuticos, abordando sucintamente as reincidências pandêmicas. Na quinta e última seção, estarão as considerações finais.


Assuntos
Adaptação Psicológica , Coronavirus , Infecções por Coronavirus , Mortalidade , Pandemias , Vacinas , Vulnerabilidade Social , Brasil
3.
Tempo Mundo (Brasília) ; (23): 203-233, 2020.
Artigo em Português | ECOS, ColecionaSUS | ID: biblio-1150267

RESUMO

Atualmente, o Sars-COV-2 se encontra disseminado por uma vasta área geográfica no mundo. A trajetória da pandemia após cruzar as fronteiras do território brasileiro (terrestre e litorânea), acompanhada de uma avaliação das medidas adotadas para sua contenção e os principais conflitos observados e apresentados no presente estudo, cumpre o objetivo de apontar questões atuais e futuras de políticas públicas para o enfrentamento da pandemia nas fronteiras brasileiras. Os resultados das análises realizadas demonstram que as áreas de maior concentração e adensamento populacional urbanos foram as mais afetadas pela contaminação do vírus. No entanto, a Covid-19 não poupou municípios menores, o que se observa pelo seu alastramento no território seguindo os caminhos da mobilidade rodoviária, fluvial e aérea no interior do Brasil. Sobre seu reflexo na área de fronteira, observa-se tanto um conflito interfederativo, com um quadro de descompasso entre medidas do governo federal e unidades subnacionais, quanto a inexistência de diálogos e acordos com os países vizinhos. Como sugestões, apontam-se a criação de instrumentos, protocolos, medidas e mecanismos para o enfrentamento da crise da pandemia da Covid-19 em áreas de fronteira terrestre e litorânea do Brasil.


Nowadays Sars-COV-2 is spread over a vast geographical area in the world. The trajectory of the pandemic after crossing the borders of the Brazilian territory (land and coastal), accompanied by an assessment of the measures adopted for its containment and the main conflicts observed and presented in the present study, fulfill the objective of pointing out current and future public policy issues to tackle the pandemic on Brazilian borders. The results of the analyzes carried out demonstrate that the areas with the highest concentration and urban population density were the most affected by virus contamination. However, Covid-19 did not spare smaller municipalities, which is observed by its spread in the territory following the paths of road, river and air mobility in the interior of Brazil. Regarding its reflection in the border area, there is both an inter-federative conflict, with a picture of mismatch between measures of the federal government and subnational units, and the absence of dialogues and agreements with neighboring countries. As suggestions, we point out the creation of instruments, protocols, measures and mechanisms to face the Covid-19 pandemic crisis in land and coastal borderline areas of Brazil.


Actualmente la Sars-COV-2 se extiende sobre una vasta área geográfica en el mundo. La trayectoria de la pandemia después de cruzar las fronteras del territorio brasileño (terrestre y costero), acompañada de una evaluación de las medidas adoptadas para su contención y los principales conflictos observados y presentados en el presente estudio, cumplen el objetivo de señalar los problemas de política pública actuales y futuros para hacer frente a la pandemia en las fronteras brasileñas. Los resultados de los análisis realizados demuestran que las áreas con mayor concentración y densidad de población urbana fueron las más afectadas por la contaminación viral. Sin embargo, el Covid-19 no perdonó a los municipios más pequeños, lo que se observa por su extensión en el territorio siguiendo los caminos de la movilidad por carretera, río y aire en el interior de Brasil. En cuanto a su reflejo en el área fronteriza, existe un conflicto interfederativo, con un desajuste entre las medidas del gobierno federal y las unidades subnacionales, y la ausencia de diálogos y acuerdos con los países vecinos. Como sugerencias, señalamos la creación de instrumentos, protocolos, medidas y mecanismos para enfrentar la crisis pandémica de Covid-19 en las zonas fronterizas terrestres y costeras de Brasil.


Assuntos
Brasil , Coronavirus , Infecções por Coronavirus , Pandemias
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA