Your browser doesn't support javascript.
loading
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 3 de 3
Filter
Add filters








Type of study
Year range
1.
Rev. paul. pediatr ; 19(3): 122-126, set. 2001. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-363097

ABSTRACT

O refluxo vesicoureteral (RVU) é uma das patologias mais comuns da urologia pediátrica, apresentando alta incidência em crianças portadoras de infecção urinária. Vários estudos têm demonstrado o alto índice de resolução espontânea do RVU, sendo o grau inicial e a idade do paciente os dois principais fatores envolvidos na resolução espontânea. Este estudo tem como objetivo avaliar a incidência, o diagnóstico, a evolução e o tratamento do RVU diagnosticado durante o primeiro ano de vida. Foram avaliados, retrospectivamente, os prontuários de 814 pacientes portadores de RVU, dos quais 363 apresentavam idade menor que 12 meses no momento do diagnóstico. Desses, 269 (74,1 por cento) eram meninas e 94 (25,9 por cento) meninos. O quadro clínico mais freqüente foi a infecção urinária (71,3 por cento), seguida em menor freqüência por baixo ganho de peso (13,4 por cento), febre inexplicável (9 por cento), diagnóstico antenatal (3,8 por cento) e outros. Todos os pacientes foram submetidos à uretrocistografia miccional e foi graduado o RVU. Os parênquimas renais foram avaliados por cintilografia (DMSA) ou urografia excretora. O RVU foi de grau I em 26 pacientes, grau II em 134, grau III em 117, grau IV em 42 e grau V em 21. Todos os pacientes foram inicialmente mantidos em tratamento clínico. Durante o seguimento, 67 pacientes (18,4 por cento) necessitaram de cirurgia. Dos 274 pacientes mantidos em tratamento clínico, 255 apresentavam seguimento mínimo de 1 ano. A taxa de resolução espontânea nesse grupo foi de 85 por cento, sendo de 100 por cento no grau I, 86 por cento no grau II, 81 por cento no grau III, 41 por cento no grau IV e 0 por cento no grau V. O RVU diagnosticado durante o primeiro ano de vida apresenta peculiaridades quanto ao diagnóstico e evolução. A taxa de resolução espontânea do RVU é alta, justificando o tratamento clínico como conduta inicial desse grupo. As indicações de cirurgia devem ser individualizadas.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Infant, Newborn , Infant , Urinary Tract Infections/complications , Kidney Diseases , Vesico-Ureteral Reflux
2.
J. bras. med ; 81(1): 44-7, jul. 2001. ilus
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-296400

ABSTRACT

Fístulas arteriovenosas pós-biópsia renal ocorrem em até 15 por cento dos casos. No entanto, a grande maioria é assintomática. Naqueles casos em que há sintomatologia, a maior parte tem resulução espontânea, necessitando apenas tratamento de suporte. Nos raros casos em que a fístula não se fecha espontaneamente ou provoca sintomatologia importante, a arteriografia percutânea com embolização seletiva constitui-se no tratamento de escolha. Os autores descrevem um caso de fístula arteriovenosa pós-biópsia renal que evolui com hamatúria maciça e foi tratado com embolização seletiva via femoral percutânea com cianoacrilato e fazem uma revisão da literatura


Subject(s)
Humans , Embolization, Therapeutic/methods , Embolization, Therapeutic/trends , Arteriovenous Fistula/therapy , Hemostatic Techniques
3.
Rev. med. (Säo Paulo) ; 71(8): 128-33, set.-dez. 1992. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-136554

ABSTRACT

A colecistectomia continua sendo o tratamento mais eficaz e o de eleicao para a colecistopatia calculosa. Diante da tendencia natural a metodos cada vez menos invasivos, procurou-se estabelecer, no presente estudo, analise comparativa entre a colecistectomia laparoscopica (CL) e a colecistectomia por incisao de 4cm (minicolecistectomia-MC)...


Subject(s)
Humans , Male , Female , Adult , Middle Aged , Cholecystectomy , Cholelithiasis/therapy , Laparoscopy , Cholelithiasis , Laparoscopy/adverse effects
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL