Biblioteca Virtual em Saúde

Pesquisa | Influenza A (H1N1)

  • BIREME | OPAS | OMS logo
 
1.

Fatores associados à Síndrome Respiratória Aguda Grave em uma Região Central do Brasil/ Factors associated with Severe Acute Respiratory Syndrome in a Brazilian central region

Autor(es): Araujo, Kamilla Lelis Rodrigues de; Instituto de Patologia Tropical e Saúde PúblicaAquino, Érika Carvalho de; Instituto de Patologia Tropical e Saúde PúblicaSilva, Lara Lívia Santos da; Instituto de Patologia Tropical e Saúde PúblicaTernes, Yves Mauro Fernandes
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;25(supl.2): 4121-4130, Mar. 2020. tab, graf
LILACS - Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde ID: 1133178
Resumo: Resumo A Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) deve ser notificada e investigada. O objetivo do estudo foi analisar o perfil epidemiológico e fatores associados à internação e óbitos por SRAG notificados em Goiás. Estudo de coorte retrospectiva, com dados das fichas de investigação do Sistema de Informação de Agravos de Notificação Influenza Web. Métodos de análise multivariada foram realizados para verificar a associação entre variáveis de exposição com os desfechos internação em UTI e óbito. Entre 2013 e 2018 foram notificados 4.832 casos de SRAG em Goiás. O principal diagnóstico etiológico foi influenza A (22,3%) com o subtipo A (H1N1pdm09) predominante, seguido pelo Vírus Sincicial Respiratório. 34,6% dos pacientes necessitaram de internação em UTI e 19% evoluíram para o óbito. Maior tempo de início do tratamento com antiviral foi associado à maior chance de internação em UTI, enquanto a não vacinação prévia contra a influenza, maior tempo para início do antiviral e idade mais avançada foram associados à maior chance de óbito. O estudo mostrou uma elevada frequência de doenças respiratórias provocadas pelo vírus Influenza no estado de Goiás e que a gravidade da síndrome, caracterizada pela internação em UTI e óbitos, está associada com o tempo de início do tratamento com o antiviral, o status vacinal e a idade do paciente.
Abstract Severe Acute Respiratory Infection (SARI) is a notifiable syndrome that must be investigated. This study aimed to analyze the epidemiological profile and factors associated with SARI-related hospitalization and deaths reported in Goiás. Retrospective cohort study, with data from the investigation files of the Notifiable Diseases Information System's Influenza Web. Multivariate analysis methods were employed to verify the association between exposure variables with the outcomes of ICU admission and death. A total of 4,832 SARI cases were reported in Goiás from 2013 to 2018. The primary etiological diagnosis was Influenza A (22.3%) with the predominant subtype A (H1N1pdm09), followed by the Respiratory Syncytial Virus. A total of 34.6% of the patients required ICU admission, and 19% died. A longer time to start treatment with antivirals was associated with a higher likelihood to have an ICU admission, while a previous non-vaccination against Influenza, longer time to start treatment, and older age were associated with a higher likelihood to suffer death. The study showed a high frequency of respiratory diseases caused by the Influenza virus in Goiás and that the severity of the syndrome, characterized by ICU admission and deaths, is associated with the start of antiviral treatment vaccine status, and patient's age.