Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 1 de 1
Filtrar
Mais filtros


Tipo de estudo
Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Rev. bras. leprol ; 37(1/4): 17-39, 1970. ilus, tab
Artigo em Português | SES-SP, HANSEN, SESSP-ILSLACERVO, SES-SP | ID: biblio-1229776

RESUMO

Os autores apresentam seus resultados no tratamento de 10 pacientes lepromatosos com a kanamicina, na dose de 1,0 grama diária por um período de 90 dias. Tendo em vista a toxicidade da droga, realizaram exames hematológicos, de urina, e ORL (otorrinoloringológicos) durante a experimentação e observaram albuminúria transitória em 6 pacientes e comprometimento auditivo em 8, evidenciável pela audiometria. Apesar disto somente um paciente revelou sintomatologia aparente com tonturas, surdez, zumbido, sendo obrigado a suspender o medicamento. Nos demais pacientes, o dano cólceovestibular foi nas frequências mais altas fora dos limites da conversação social, não sendo percebido pelos mesmos. Os resultados cl¡nicos foram idênticos aos observados com outros antibióticos tais como rifamicina e oxitetraciclina, sendo bastante evidentes nos primeiros 30 dias, os casos em franca piora cl¡nica. Os autores chamam a atenção sobre as alterações morfológicas precoces dos bacilos nos casos estudados e negativação baciloscópica em 3 pacientes. Consideram ser a kanamicina dotada de atividade bactericida para o bacilo de Hansen, particularmente evidente nos germes alongados caracter¡sticos dos casos piorados. Os exames histopatológicos confirmaram os resultados cl¡nico-baciloscópicos por eles conseguidos. Os fenômenos reacionais tipo ENL foram descritos e não se manifestaram na maioria dos pacientes. Concluem considerando a droga dotada de alta toxicidade para o ouvido, devendo o seu uso ser sempre acompanhado de vigilância clínica cuidadosa e sempre que poss¡vel com controle audiométrico. Não sendo evidentemente um medicamento que se prestasse para "campanha de massa" o seu emprêgo contudo deveria ser recomendado para os casos que não respondem aos tratamentos clássicos ou se acham em franca piora clínica, até a remissão das lesões reativadas. O período de tratamento não deveria ultrapassar 30 dias quando a droga fosse usada isoladamente, porque foi dentro desse per¡odo que...


Assuntos
Masculino , Feminino , Humanos , Canamicina/biossíntese , Canamicina/farmacologia , Canamicina/uso terapêutico , Hanseníase/fisiopatologia , Hanseníase/reabilitação , Hanseníase/tratamento farmacológico
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA