Your browser doesn't support javascript.
loading
Avaliação dos pacientes que obtiveram alta do tratamento específico no período de janeiro/1987 a fevereiro/1995, no Setor de Dermatologia da UFMG / ?
Belo Horizonte; s.n; 1997. xii,217 p. tab, graf.
Tese em Português | SES-SP, LILACS, SES-SP, HANSEN, HANSENIASE, SESSP-ILSLACERVO, SES-SP | ID: biblio-1238584
Biblioteca responsável: BR191.1
Localização: [{"text": "BR191.1", "_a": "WC335.900", "_b": "M119a"}]
RESUMO
Uma variedade de manifestações dermatoneurológicas e psicossociais tem sido observadas em pacientes hansenianos, mesmo após o tratamento específico. É por esse motivo que, no presente trabalho, foram estudados pacientes hansenianos que já haviam recebido alta terapêutica no período de janeiro de 1987 a fevereiro de 1995. O estudo foi realizado no Ambulatório de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil. Avaliou-se o estado dos pacientes sob os aspectos clínicos e neurológicos, considerando as diferentes formas de tratamento e a classificação da hanseníase. Para tanto os pacientes foram avaliados em quatro períodos diferentes, antes do tratamento, momento da alta terapêutica, após o tratamento e exame proposto (realizado pela autora). Uma avaliação do aspecto psicossocial dos pacientes considerados neste estudo foi realizada no exame proposto. Foram analisados 243 prontuários e, embora tenham sido enviadas cartas de convocação para todos os pacientes, apenas 122 compareceram ao exame, sendo que, destes, 41 o fizeram de forma espontânea. Dos 122 pacientes examinados, 34,5 por cento eram paucibacilares e 65,5 por cento multibacilares, verificou-se também que 52,9 por cento haviam recebido esquema poliquimioterápico; outros 25,6 por cento esquema DNDS que, posteriormente, foi substituído por poliquimioterapia; e os restantes 21,5 por cento haviam recebido apenas esquema DDS. Foi observado somente um caso de recidiva. Observou-se, também, uma ocorrência maior de reação tipo I/II, de troncos nervosos espessados e de grau de incapacidade diferente de zero entre os pacientes multibacilares. Através da avaliação psicossocial, verificou-se que a maioria dos pacientes havia contado para a família sobre sua condição de portador de hanseníase. Pôde-se também constatar que um grande número de indivíduos que não se sentiam curados foi encontrado no grupo de pacientes que havia sofrido modificação terapêutica e naqueles que apresentaram reações. Quanto à auto-avaliação sobre cura da hanseníase, não se observaram diferanças significativas entre os pacientes com grau de incapacidade 0 ou 1 em relação aqueles com grau de incapacidade 2 ou 3. Observou-se ainda neste estudo que um grande número de pacientes se auto-discrimina.
Assuntos
Tema: Aspectos sociais / Complicações / Epidemiologia / Geral / Prevenção e Controle / Tratamento Medicamentoso Bases de dados: HANSEN / HANSENIASE / LILACS / Sec. Est. Saúde SP Assunto principal: Carência Psicossocial / Recidiva / Sinais e Sintomas / Hanseníase / Exame Neurológico Idioma: Português Ano de publicação: 1997 Tipo de documento: Tese
Tema: Aspectos sociais / Complicações / Epidemiologia / Geral / Prevenção e Controle / Tratamento Medicamentoso Bases de dados: HANSEN / HANSENIASE / LILACS / Sec. Est. Saúde SP Assunto principal: Carência Psicossocial / Recidiva / Sinais e Sintomas / Hanseníase / Exame Neurológico Idioma: Português Ano de publicação: 1997 Tipo de documento: Tese