Your browser doesn't support javascript.

BVS Odontologia

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Avaliação de um gel contendo fluoreto e estanho como uma opção de tratamento profissional para o controle da erosão do esmalte e da dentina / Evaluation of a gel containing fluoride and stannous as an option for the professional treatment of enamel and dentin erosion

Pereira, Laís Gatti de Souza.
São Paulo; s.n; 20240103. 69 p.
Tese em Português | LILACS, BBO - odontologia (Brasil) | ID: biblio-1524322
Este estudo teve o objetivo de desenvolver um gel experimental contendo flúor e estanho, como uma opção de tratamento profissional, para ser utilizado na prevenção da erosão dental. Foram utilizados 50 fragmentos (4mm × 4mm × 2mm) de esmalte e 50 de dentina, obtidos de incisivos bovinos. Os fragmentos foram incluídos em resina acrílica, planificados e polidos. Em seguida, uma fita adesiva foi posicionada sobre a superfície polida desses espécimes, deixando uma janela de 4mm × 1mm exposta aos testes subsequentes. Os espécimes foram previamente erodidos (10min em solução de ácido cítrico a 1%, pH~2,4) e distribuídos aleatoriamente em cinco grupos experimentais (n=10 para cada substrato), de acordo com os seguintes tratamentos 1. F+Sn+HPMC Gel de fluoreto de sódio e cloreto de estanho experimental (7500 ppm F- e 15000 ppm Sn2+, pH=4,5); 2. F+HPMC Gel de fluoreto de sódio experimental (7500 ppm F-, pH=4,5); 3. Comercial Gel de flúor fosfato acidulado comercial - APF (12300 ppm F-, pH=3,2); 4. Placebo Gel placebo (Hidroxipropil MetilceluloseHPMC, sem componentes ativos); 5. Controle negativo sem tratamento; aplicados por 60 s. Na sequência, os espécimes foram submetidos a uma ciclagem de erosão-re-deposição mineral, que consistia em 5 min de imersão em solução de ácido cítrico a 0,3% (pH~2,6), seguido de imersão em saliva artificial por 60min, 4x/dia, durante 5 dias. A perda de superfície dos espécimes (PS em m) foi determinada com um perfilômetro óptico após 5, 10 e 20 dias de ciclagem. Os dados obtidos foram analisados com ANOVA de dois fatores de medidas repetidas, considerando um nível de significância de 5%. Para o esmalte, o placebo não diferiu do controle em nenhum tempo experimental, e ambos apresentaram significativamente a maior PS. Após 5 e 10 dias (F+Sn+HPMC)=(comercial)<(F+HPMC)<(placebo)=(controle). Após 20 dias (F+Sn+HPMC)=(F+HPMC)=(comercial)<(controle)=(placebo). Para dentina, no 5º dia (comercial)=(F+Sn+HPMC)=(F+HPMC)<(controle)=(placebo). No 10º dia, os grupos F+Sn+HMC, comercial e F+HPMC continuaram apresentando menor PS do que o controle e o placebo, porém, F+HPMC não diferiu significativamente desses dois últimos grupos. No 20º dia, somente o comercial apresentou menor PS que controle e placebo. Considerando as limitações desse estudo in vitro, pode-se concluir que o gel de F+Sn+HPMC foi capaz de controlar a progressão da erosão dental de maneira semelhante ao gel comercial, que possui 4800 ppm a mais de fluoreto em sua composição, exceto após 20 dias de desafio erosivo na dentina. Esse gel é uma alternativa clínica viável, podendo ser potencialmente utilizado em conjunto com produtos de uso diário, visando o aumento da proteção contra erosão em indivíduos com alto risco para erosão dental.
Biblioteca responsável: BR97.1