Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Festa e conflito: visões do Brasil em Oswald de Andrade

Lima, Maria Rosalete Pontes.
Fortaleza; s.n; 2009. 180 p.
Tese em Português | BVS Pensamento Social, FIOCRUZ | ID: bps-498
Esta dissertação trata das visões sobre o Brasil e os brasileiros apresentadas pelo escritor Oswald de Andrade nas obras literárias Pau Brasil, de 1925, e Marco Zero I - a revolução melancólica, de 1943. A pesquisa fundamentou-se em uma reflexão teórica sobre a modernidade, a nação e a construção de identidades, voltando-se, em seguida, para elementos da tradição do pensamento social brasileiro que influenciaram o autor. A trajetória do indivíduo Oswald é outra fonte iluminadora em minha leitura dos textos, possibilitando o estabelecimento de vínculos entre vida, obra e sociedade. Assim, a interpretação de cada texto levou em conta o momento em que foi escrito, as questões norteadoras da época e as escolhas do autor. O primeiro livro é representativo de uma fase marcadamente vanguardista, experimentalista, escrito por um Oswald empresário, ligado ao Partido Republicano Paulista e reconhecido no meio intelectual da época. A outra obra é marcada por sua adesão ao Partido Comunista Brasileiro e por um processo de desqualificação do autor por seus antigos pares. Os quadros descritos nas duas obras compartilham alguns eixos temáticos, como a relação com o estrangeiro, a matriz nacionalista e a tentativa de registrar as idiossincrasias do português "brasileiro", da fala do povo. No entanto, o olhar que o autor desenvolve em cada obra é diferenciado, tendo como resultado Brasis diferentes, distantes. Em Pau Brasil realiza uma leitura mais sutil, atenuada, dos problemas e ressalta um Brasil exótico e de festa. Em Marco Zero, destaca os conflitos de diversas ordens - étnica, social, política. O paralelo entre as obras permitiu analisar a festa e o conflito, a celebração e a guerra, como eixos diferentes e complementares na construção nacional.(AU)
Biblioteca responsável: BR1273.1