Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Roberto Simonsen e a formação da ideologia industrial no Brasil: limites e impasses

Cepêda, Vera Alves.
São Paulo; s.n; 2004. 266 p.
Tese em Português | BVS Pensamento Social, FIOCRUZ | ID: bps-762
Este trabalho analisa a produção tórica de Roberto Cochrane Simonsen, industrial e líder do empresariado industrial brasileiro na primeira metade do século 20. O período histórico que viveu, fase crítica da transição industrial, e sua capacidade de análise fazem de sua obra um marco para a compreensão sobre o pensamento e a ação do segmento da burguesia industrial, na batalha de impor hegemonicamente às outras frações de classe (ligadas ao capital ou a trabalho) o seu projeto de classe. Como um dos poucos atores desse período que escreveu sobre as tarefas e desafios que se impunham no período à consolidação de um modelo econômico e um ordenamento político ligado aos interesses da industrialização, Simonsen tem importância singular enquanto produtor de uma memória histórica e na construção da ideologia da burguesia industrial. Sua intervenção prática perpassou inúmeros campos, da ação empresarial privada à vida pública, e nas duas áreas a sua aguda reflexão e capacidade de pensar adiante de seu tempo, se fizeram sentir. Em seus trabalhos verifica-se a presença de grande parte das tarefas impostas como fundamentais para a consolidação do modelo de capitalismo industrial - a racionalização do trabalho, a questão da proteção à indústria nascente (câmbio, crédito, políticas comerciais, infra-estrutura, planejamento), o desenvolvimento de uma ciência orientada para a solução dos problemas econômicos ( com a qualificação de trabalhadores - SESI/SENAI, e formação de uma elite de administradores - Escola Livre de Sociologia e Política)
Biblioteca responsável: BR1273.1