Your browser doesn't support javascript.

Plataforma de Conhecimentos

PROGRAMA MAIS MÉDICOS

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Programa Mais Médicos e atenção à saúde em uma comunidade quilombola no Pará / The More Doctors Programme and the health care of a Pará state quilombola community

Pereira, Lucélia Luiz; Santos, Leonor Maria Pacheco.
Argumentum; 10(2)2018.
Artigo em Português | Coleciona SUS (Brasil) | ID: biblio-944154
O presente artigo discute a atenção à saúde na comunidade quilombola de Jurussaca, no Pará, bem como analisa as repercussões da implantação do Programa Mais Médicos nesta comunidade. Realizou-se estudo de caso qualitativo, constituído por duas etapas – exploratória e de coleta de dados – na comunidade por meio de entrevistas semiestruturadas e grupo focal. Os atores-chaves da pesquisa foram usuários quilombolas, profissionais de saúde, gestores da Secretaria Municipal de Saúde e representante do Conselho Municipal de Saúde. Foram realizadas 30 entrevistas semiestruturadas, sendo 24 com usuários quilombolas adultos, e 1 grupo focal. Adotou-se a técnica de análise de conteúdo, com foco nas etapas empregadas por Bardin: pré-análise, exploração do material, tratamento e interpretação dos resultados. Os resultados apontaram que tanto a comunidade quilombola quanto os gestores apoiam e avaliam positivamente a implantação do Programa Mais Médicos. Os entrevistados ressaltaram que, após o Programa, houve aumento na qualidade do atendimento e ampliação de visitas domiciliares. Em relação à atenção à saúde, foi constatada a insuficiência dos serviços de saúde para garantir um atendimento equitativo e integral à saúde dos usuários quilombolas. Verificou-se uma fragilidade dos vínculos entre a equipe da Estratégia de Saúde na Família e a comunidade e uma inversão da lógica assistencial com maior procura pela atenção hospitalar. Os quilombolas afirmaram a existência de racismo e discriminação no atendimento. Assim, percebeu-se a necessidade de os serviços de saúde compreenderem as especificidades das demandas das comunidades quilombolas e suas características socioculturais e fomentarem ações de combate ao racismo institucional.
This article discusses health care in the Maroon (quilombola) community of Jurussaca, in Pará state, and analyses the repercussions of the More Doctors Programme in this community. A two-stage qualitative case study was carried out in the community, exploratory and data collection, by means of semi-structured interviews and focal group. The key actors of the research were Maroon health clientele, health professionals, municipal health department managers and representatives of the municipal health council. Thirty semistructured interviews were carried out, 24 with Maroon adults, and one focal group. The technique of content analysis was adopted, focusing on the steps employed by Bardin: pre-analysis, text exploration, treatment and interpretation of the results. The results showed that both the Maroon community and the managers evaluated the program positively and supported its implementation. The interviewees pointed out that after the programme there was an increase in the quality of care and in home-visits. Regarding health care, the results showed the inadequacy of healthcare services in guaranteeing an equitable and integrated service to the health of the Maroon clientele. Weaknesses were identified in the links between the Family Health Strat egy team and the community and a reversal of the care logic, with greater demand for hospital care. The Maroons confirmed the existence of racism and discrimination in the healthcare services. Thus, healthcare services need to understand the specificities of the demands of the Maroon communities and their sociocultural characteristics and to encourage actions to counter institutional racism.
Biblioteca responsável: BR1.1