Your browser doesn't support javascript.

Plataforma de Conhecimentos

PROGRAMA MAIS MÉDICOS

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Physicians’ circularity in health regions in Brazil / Circularidade dos médicos nas regiões de saúde no Brasil

Seixas, Paulo Henrique; Uchimura, Liza Yurie Teruya; d’Ávila, Viana, Ana Luiza; Silva, Rodrigo Calado da.
Rev. bras. saúde mater. infant; 17(supl.1)2017. ilus, map
Artigo em Inglês, Português | Coleciona SUS (Brasil) | ID: biblio-946120
Objectives: to characterize the medical circularity in Brazil and to discuss the case in the North and South Barretos regions, São Paulo. Methods: a cross-sectional study using secondary data from the national registrations and a case study of physician’s sample in the North-Barretos and South-Barretos regions. Results: in the health regions in Brazil, on an average, 45% of the physicians in activities circulate in more than one region. The Capitals of the States have more stable physicians while more than 50% of the medical workforce work in other regions. The professionals with the greatest tendency to move from one work place to another are those who work in surgical specialties in services to uphold the diagnostic and therapy. Conclusions: there is a high circulation of physicians among the regions, with distinct characteristics between geographical and health regions. In case of Barretos area, the professionals move from one workplace to another according to their professional association and specialized practice.
Objetivos: caracterizar a circularidade médica no Brasil e a discutir o caso das regiões Norte-Barretos e Sul-Barretos, São Paulo. Métodos: estudo transversal com uso de dados secundários de cadastros nacionais e estudo de caso de uma amostra de médicos nas regiões Norte-Barretos e Sul-Barretos. Resultados: em média, nas regiões de saúde do Brasil, 45% dos médicos em atividades circulam em mais de uma região. As capitais dos estados têm médicos mais estáveis, enquanto que mais de 50% da força de trabalho médica atua em outras regiões. Os profissionais com maior tendência de mudança são aqueles que trabalham em especialidades cirúrgicas em serviços para apoiar o diagnóstico e a terapia. Resultados: em média, nas regiões de saúde do Brasil, 45% dos médicos em atividades circulam em mais de uma região. As capitais dos estados têm médicos mais estáveis, enquanto que mais de 50% da força de trabalho médica atua em outras regiões. Os profissionais com maior tendência de mudança são aqueles que trabalham em especialidades cirúrgicas em serviços para apoiar o diagnóstico e a terapia. Conclusões: há uma alta circulação de médicos entre as regiões, com características distintas entre regiões geográficas e regiões de saúde. No caso de Barretos, os profissionais se movimentam em função de sua associação profissional e de especialidades praticadas.
Biblioteca responsável: BR1.1