Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 2 de 2
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Intervalo de ano de publicação
1.
Londrina; s.n; 2013. 49 p. ilus.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-681497

RESUMO

Essa dissertação foi dividida em dois capítulos: no capítulo 1 avaliou-se a evolução do processo inflamatório local em resposta a presença de pastas endodônticas e; no capítulo 2 avaliaram-se os efeitos das pastas endodônticas sobre a viabilidade de odontoblastos, células da câmara pulpar, órgão do esmalte e tecidos periapicais. Em ambos os estudos foram utilizados 60 incisivos centrais superiores direitos de ratos Wistar, machos. Os animais foram aleatoriamente divididos em 5 grupos (n=12), sendo que em 1 grupo (controle negativo) os animais não foram submetidos a pulpectomia. Nos demais grupos, após a pulpectomia os condutos foram preenchidos de acordo com o curativo intracanal selecionado para cada grupo: vaselina (controle positivo); pasta à base de iodofórmio com Rifocort® (popularmente conhecida como pasta Guedes-Pinto); pasta à base de iodofórmio com extrato de guaco e; pasta à base de iodofórmio com óleo de copaíba. Decorridos 14 dias, 6 ratos de cada grupo foram eutanasiados e submetidos ao processamento histológico. O mesmo procedimento foi realizado nos outros 6 ratos de cada grupo após 28 dias. No estudo do capítulo 1 realizou-se fotomicroscopia das seguintes áreas: germe dentário; polpa incisal e polpa apical; camada odontoblástica próxima a incisal e; ligamento periodontal. Após a análise estatística pelos testes de Fischer e qui-quadrado (p<0,05), os resultados demonstraram que a pasta à base de iodofórmio com Rifocort® manteve mais áreas de infiltrado inflamatório nos tempos avaliados; a pasta à base de extrato de guaco apresentou aumento de áreas de infiltrado inflamatório tardio e; a pasta à base de óleo de copaíba apresentou menos áreas de infiltrado inflamatório. Conclui-se que as pastas a base de iodofórmio com extratos naturais foram mais promissoras que o controle positivo e a pasta a base de iodofórmio com Rifocort®, sendo que a com óleo de copaíba apresentou a melhor atividade antiinflamatória...


Assuntos
Animais , Ratos , Fabaceae , Mikania , Iodoformium , Plantas Medicinais , Pulpectomia , Dente Decíduo
2.
Bauru; s.n; 2011. 122 p. ilus, tab.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-865838

RESUMO

A cavidade bucal é um habitat microbiano complexo que apresenta mais de 500 espécies bacterianas como componentes da microbiota. A saúde periodontal está estabelecida quando há equilíbrio entre os microrganismos patogênicos e o hospedeiro. O digluconato de clorexidina é um dos antimicrobianos bucais mais utilizados, no entanto, essa substância tem sido associada a alguns efeitos colaterais indesejáveis. Os óleos de copaíba e de melaleuca tem sido estudados como importantes fitoterápicos, devido aos seus diversos efeitos, entre eles ação antibacteriana. Partindo-se do princípio de que o óleo copaíba e de melaleuca possuem atividade antimicrobiana e de que não há dados suficientes na literatura utilizando esses fitoterápicos sobre Porphyromonas gingivalis e Fusobacterium nucleatum, foram preparados testes de Concentração Inibitória Mínima (CIM) e Concentração Bactericida Mínima (CBM) das bactérias Fusobacterium nucleatum (ATCC 25586) e Porphyromonas gingivalis (ATCC 3327) frente ao digluconato de clorexidina e aos óleos provindos de Copaifera officinalis e de Melaleuca alternifólia. Realizaram-se ainda testes para determinação de Concentração Subinibitória (CS) e ensaios para determinar a capacidade de autoagregação e coagregação dessas bactérias expostas às concentrações subinibitórias das soluções testadas. Como controles foram utilizados apenas meio de cultura e meio de cultura acrescido de Tween 80. Todos os óleos utilizados tiveram sua composição analisada por cromatografia gasosa acoplada à espectrometria de massa. O óleo de melaleuca, após identificação de sua composição, apresentou, respectivamente, os seguintes constituintes em maiores concentrações: terpin-4-ol, -terpineno, -terpineno, terpinoleno e 1,8-cineol. O óleo de copaíba apresentou como principais constituintes, respectivamente, trans-cariofileno, germacreno B, -humuleno, germacreno D e -copaeno. Os resultados obtidos como CIM para F.nucleatum foram semelhantes à CBM em todas as...


The oral cavity is a complex microbial habitat that has more than 500 bacterial species as components of the microbiota. Periodontal health is established when there is equilibrium between pathogens and host. The chlorhexidine digluconate is one of the most commonly used oral antibiotics, however, this substance has been associated with some undesirable side effects. Copaiba and melaleuca oils have been studied as important herbal medicines because of their effects, including antibacterial action. Based on the principle that the copaiba oil and tea tree have an antimicrobial activity and that is no sufficient data in the literature using these herbal medicines against Porphyromonas gingivalis and Fusobacterium nucleatum, Minimum Inhibitory Concentration (MIC) and minimum bactericidal concentration (MBC) tests of Fusobacterium nucleatum (ATCC 25586) and Porphyromonas gingivalis (ATCC 3327) related to chlorhexidine digluconate and oils coming from Copaifera officinalis and Melaleuca alternifolia, were prepared. Assays were performed to determine the subinibitory concentration and the capacity of those bacteria to autoaggregation and coaggregation when exposed to subinibitory concentrations, previously tested. Medium and medium added Tween 80 were used as a control. All oils used had their composition analyzed by gas chromatography-mass spectrometry. The tea tree oil mainly chemical compounds were identified as terpin-4-ol, -terpinen, -terpinen, terpinolene and 1,8-cineole while copaiba oil presented as its main constituents trans-caryophyllene, germacrene B, -humulene, germacrene D and -copaene. The MIC results for F.nucleatum were similar to the CBM data in all solutions. For the bacterium P. gingivalis, all solutions tested inhibited bacterial growth, however, the results obtained during the determination of CBM showed that the copaiba oil was bacteriostatic. All solutions tested inhibited the autoaggregation process but only...


Assuntos
Anti-Infecciosos Locais/farmacologia , Fabaceae/química , Fusobacterium nucleatum , Óleo de Melaleuca/farmacologia , Porphyromonas gingivalis , Anti-Infecciosos Locais/análise , Cromatografia , Óleo de Melaleuca/análise
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA