Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 10 de 10
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados
Intervalo de ano de publicação
1.
Arch. Health Invest ; 7(12): 530-534, dez. 2018. tab
Artigo em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-994937

RESUMO

Introdução: a candidose oral é uma doença oportunista que acomete principalmente pacientes imunossuprimidos e usuários de prótese dentária total. Apesar da eficácia terapêutica dos antifúngicos utilizados atualmente para o tratamento desta doença, essas drogas apresentam muitos efeitos adversos relacionados à dose. Além disso, tem-se observado um aumento da resistência microbiana para esses agentes. Baseado nisso, uma fonte de busca promissora de princípios ativos alternativos para o tratamento da candidose oral são os produtos naturais. Objetivo: revisar a literatura sobre ensaios clínicos com produtos naturais para o tratamento da candidose oral, a fim de responder se existe evidência que os produtos naturais podem ser utilizados como tratamento alternativo para esta doença. Material e método: foi realizada uma síntese de todos os ensaios clínicos com produtos naturais para tratamento da candidose indexados banco de dados Pubmed. Resultado: seguindo os critérios de inclusão e exclusão entraram nesta revisão 6 estudos. Os estudos avaliaram a eficácia dos produtos naturais quanto aos parâmetros clínicos e micológicos e grau de satisfação do paciente. Conclusão: apesar da pouca quantidade de ensaios clínicos nesta temática, há evidência de que os produtos naturais podem ser usdos para tratar a candidose oral, especialmente alho, mamona, româ e melaleuca(AU)


Introduction: oral candidiasis is an opportunistic disease that mainly affects immunosuppressed patients and users of total dental prosthesis. Despite the therapeutic efficacy of currently used antifungals for the treatment of this disease, these drugs have many dose related adverse effects. In addition, an increase in microbial resistance has been observed for these agents. Based on this, a promising source of alternative active principles for the treatment of oral candidosis are the natural products. Objective: to review the literature on clinical trials with natural products for the treatment of oral candidosis in order to answer if there is evidence that natural products can be used as an alternative treatment for this disease. Material and method: a synthesis of all clinical trials with natural products for the treatment of candidiasis indexed Pubmed database was performed. Results: following the inclusion and exclusion criteria, 6 studies were included in this review. The studies evaluated the efficacy of the natural products regarding clinical and mycological parameters and degree of patient satisfaction. Conclusion: despite the limited amount of clinical trials on this subject, there is evidence that natural products can be used to treat oral candidosis, especially garlic, castor oil, pomegranate, and melaleuca(AU)


Introducción: la candidose oral es una enfermedad oportunista que afecta principalmente a los pacientes inmunosuprimidos ya los usuarios de prótesis dentales totales. A pesar de la eficacia terapéutica de los antifúngicos utilizados actualmente para el tratamiento de esta enfermedad, estos medicamentos presentan muchos efectos adversos relacionados con la dosis. Además, se ha observado un aumento de la resistencia microbiana para estos agentes. En base a esto, una fuente de búsqueda prometedora de principios activos alternativos para el tratamiento de la candidiasis oral son los productos naturales. Objetivo: revisar la literatura sobre ensayos clínicos con productos naturales para el tratamiento de la candidiasis oral, a fin de responder si existe evidencia que los productos naturales pueden ser utilizados como tratamiento alternativo para esta enfermedad. Material y método: se realizó una síntesis de todos los ensayos clínicos con productos naturales para el tratamiento de la candidose indexada base de datos Pubmed. Resultado: siguiendo los criterios de inclusión y exclusión entraron en esta revisión 6 estudios. Los estudios evaluaron la eficacia de los productos naturales en cuanto a los parámetros clínicos y micológicos y grado de satisfacción del paciente. Conclusión: a pesar de la poca cantidad de ensayos clínicos en esta temática, hay evidencia de que los productos naturales pueden ser utilizados para tratar la candidose oral, especialmente ajo, ricino, granada y melaleuca(AU)


Assuntos
Candidíase Bucal/terapia , Melaleuca , Cymbopogon , Lythraceae , Alho , Produtos Biológicos , Candida albicans , Candidíase Bucal , Ricinus , Citrus
2.
Arch. Health Invest ; 7(11): 486-491, nov. 2018.
Artigo em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-994792

RESUMO

As plantas medicinais têm demonstrado elevado poder de cura em estado natural, além disso, esse conhecimento tradicional sobre o uso das plantas e de suas propriedades terapêuticas no combate a doenças vêm sendo transmitida entre as gerações. A busca por novos produtos com maior atividade terapêutica, tem estimulado a realização de pesquisas com produtos naturais no meio odontológico para o tratamento de doença periodontal. Logo, objetivou-se apresentar uma revisão da literatura de espécies vegetais como Malva Sylvestris, Vitis Vinífera e Punica Granatum, comuns do cotidiano no tratamento da periodontite. A periodontite é uma doença inflamatória crônica decorrente da resposta imunológica do hospedeiro à presença de fatores microbianos, causando dano tecidual, resultando em formação de bolsas periodontais, reabsorção do osso alveolar, e perda de tecidos de sustentação. O estudo trata-se de uma revisão bibliográfica do tipo narrativa e foi realizada uma seleção de artigos científicos recuperados a partir das bases de dados: BVS Brasil (Biblioteca Virtual em Saúde), Scielo (Scientific Eletronic Library Online), Pubmed (National Center for Biotechnology Information) e Portal Periódico Capes no período de 05 a 28 de Fevereiro de 2018. Conclui-se que a Malva, Uva e Romã possuem ação terapêutica e estão entre os fitoterápicos com grande influência na cavidade bucal, que funcionam como auxiliares no tratamento de afecções orais sendo alternativas de fácil acesso, já que a atuação profissional frente à ação farmacológica dos vários medicamentos fitoterápicos e contraindicações tem sido importante nos últimos anos(AU)


Medicinal plants have shown high healing power in the natural state, and this traditional knowledge about the use of plants and their therapeutic properties in the fight against diseases has been transmitted between the generations. The search for new products with greater therapeutic activity has stimulated research with natural products in the dental environment for the treatment of periodontal disease. Therefore, it was aimed to present a review of the literature of plant species such as Malva Sylvestris, Vitis Vinífera and Punica Granatum, common daily in the treatment of periodontitis. Periodontitis is a chronic inflammatory disease resulting from the host's immune response to the presence of microbial factors, causing tissue damage, resulting in formation of periodontal pockets, alveolar bone resorption, and loss of supporting tissues. The study is a bibliographical review of the narrative type and a selection of scientific articles retrieved from the databases: VHL Brasil (Virtual Health Library), Scielo (Scientific Electronic Library Online), Pubmed (National Center for Biotechnology Information) and Portal Periódico Capes from 05 to 28 February 2018. It is concluded that Malva, Grape and Pomegranate have therapeutic action and are among herbal medicines with great influence in the oral cavity, which function as auxiliaries in the treatment of oral diseases being alternatives of easy access, since the professional action against the pharmacological action of the various herbal medicines and contraindications has been important in recent years(AU)


Las plantas medicinales han demostrado un elevado poder de curación en estado natural, además, ese conocimiento tradicional sobre el uso de las plantas y de sus propiedades terapéuticas en el combate a enfermedades vienen siendo transmitidas entre las generaciones. La búsqueda de nuevos productos con mayor actividad terapéutica, ha estimulado la realización de investigaciones con productos naturales en el medio odontológico para el tratamiento de enfermedad periodontal. Por lo tanto, se objetivó presentar una revisión de la literatura de especies vegetales como Malva Sylvestris, Vitis Vinífera y Punica Granatum, comunes de lo cotidiano en el tratamiento de la periodontitis. La periodontitis es una enfermedad inflamatoria crónica derivada de la respuesta inmunológica del huésped a la presencia de factores microbianos, causando daño tisular, resultando en formación de bolsas periodontal, reabsorción del hueso alveolar, y pérdida de tejidos de sustentación. El estudio se trata de una revisión bibliográfica del tipo narrativa y se realizó una selección de artículos científicos recuperados a partir de las bases de datos: BVS Brasil (Biblioteca Virtual en Salud), Scielo (Scientific Eletronic Library Online), Pubmed (National Center for Y se encuentra entre los fitoterápicos con gran influencia en la cavidad bucal, que funcionan como auxiliares en el tratamiento de la enfermedad de Chagas, en el período de 5 a 28 de febrero de 2018. Se concluye que Malva, Uva y Román poseen acción terapéutica y están entre los fitoterápicos con gran influencia en la cavidad bucal, que funcionan como auxiliares en el tratamiento de afecciones orales siendo alternativas de fácil acceso, ya que la actuación profesional frente a la acción farmacológica de los diversos medicamentos fitoterápicos y contraindicaciones ha sido importante en los últimos años(AU)


Assuntos
Periodontite/tratamento farmacológico , Malva , Vitis , Lythraceae , Periodontite , Periodontite/terapia , Plantas Medicinais , Fitoterapia
3.
Periodontia ; 28(2): 32-42, 2018. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-908861

RESUMO

A romã (Punica granatum) possui uma vasta história médica conhecida por sua ação antibacteriana, antioxidante e anti-inflamatória. A presente revisão teve como objetivo verificar os potenciais efeitos terapêuticos do uso de produtos derivados da P. granatum como coadjuvante no tratamento das doenças periodontais. Descritores em inglês e português dos termos: "romã", "doença periodontal", "gengivite", "periodontite" e "punica granatum", foram utilizados para consulta nas bases de dados Pubmed, Lilacs e Scielo. Para avaliação dos efeitos anti-inflamatórios, antimicrobianos e clínicos da romã foram incluídos trabalhos clínicos e pré-clínicos, sem restrições de data. Os diferentes estudos selecionados avaliaram P. granatum em diferentes formulações, incluindo bochechos, géis, infusão, dentifrícios, e chips biodegradáveis. Os resultados demostraram que os componentes fitoquímicos de P. granatum, como polifenóis flavonoides, punicalaginas, ácido punícico e antocinas apresentam propriedades relevantes pró-saúde periodontal, que incluem efeitos anti-inflamatórios, antioxidantes, hemostáticos e imunoregulatórios. Estudos in vivo utilizando diferentes formulações da romã em participantes acometidos por gengivite ou periodontite apresentaram reduções nos índices de placa, sangramento gengival e profundidade de sondagem em graus variados. Conclui-se que P. granatum pode ser uma promissora alternativa à terapia antimicrobiana padrão, para auxílio do controle mecânico de placa, com melhora dos sinais clínicos das doenças periodontais. Contudo, mais estudos clínicos ainda são necessários. (AU)


The pomegranade (Punica granatum) has a vast medical history know by its antibacterial, antioxidant and antiinflammatory action. The presente review aimed at verifying the potential therapeutic effects of products derived from P. granatum as adjuvant in the treatment of periodontal diseases. English and Portugueses descriptors of the terms "pomegranate", "periodontal disease", "gingivitis", "periodontitis" and "Punica granatum" were used for search in Pubmed, Lilacs and Scielo databases. To assess the anti-inflammatory, antimicrobial and clinical effects of pomegranate, clinical and preclinical were included, with no date restrictions. The different studies evaluated P. granatum in different formulations, including mouthwash, gels, infusion, dentifrices, and biodegradable chips. Results showed that the phytochemical components of P. granatum, such as polyphenois flavonoids, punicalagins, punicic acid and antocines, demonstrated relevant periodontal prohealth properties, including anti-inflammatory, antioxidant, hemostatic and immunoregulatory effects. In vivo studies, using different pomegranade formulations in individuals affected by gingivitis or periodontitis, showed reductions in plaque index, gingival bleeding and probing depth in different levels. It was concluded that P. granatum could be a promising alternative to the standard antimicrobial therapy in order to aid the mechanical control of plaque, with improvement of clinical signs of periodontal diseases. However, more clinical studies are still necessary. (AU)


Assuntos
Anti-Infecciosos/uso terapêutico , Anti-Inflamatórios/uso terapêutico , Gengivite , Doenças Periodontais/classificação , Doenças Periodontais/complicações , Periodontite , Lythraceae
4.
Araçatuba; s.n; 2017. 120 p. ilus, graf, tab.
Tese em Inglês, Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-911106

RESUMO

O objetivo deste estudo foi avaliar a capacidade de produção de nanopartículas de prata através do extrato da casca de romã, e produzir formulações contendo estas nanopartículas para uso em feridas. Elas foram testadas quanto à ação antimicrobiana, citotóxica e potencial cicatrizante. Para a produção das nanopartículas de prata propôs-se uma síntese utilizando-se como base duas metodologias já estabelecidas na literatura, utilizando-se para reação carboximetilcelulose, propilenoglicol, nitrato de prata, água e extrato da casca de romã como agente redutor. O extrato da casca de romã foi caracterizado em parâmetros como pH, massa seca e quantidade de taninos bioativos (ácido elágico e totais fenólicos expressos em ácido gálico). Os totais fenólicos do extrato foram também dosados após seu aquecimento nas diferentes condições de tempo e temperatura propostos para as sínteses das nanopartículas de prata (12 minutos, 1 hora e 2 horas, à 50ºC e 100ºC). As nanopartículas de prata produzidas foram, então, adicionadas a uma solução contendo compostos para produção de formulações para serem utilizadas no tratamento de feridas. Elas foram caracterizadas através de espectroscopia UV-Visível, microscopia eletrônica de varredura (MEV), potencial zeta e dosagem de íons remanescentes após as reações. A atividade antimicrobiana tanto das nanopartículas como de suas formulações contra Candida albicans SC 5314 e Staphylococcus aureus ATCC 25923 foi avaliada por meio do método da microdiluição. Na avaliação dos extratos, apesar de ocorrer um aumento na concentração de totais fenólicos com o aumento da temperatura, a concentração inibitória mínima (CIM) manteve-se estável com valores de 391 µg/ml e 781 µg/ml para S. aureus e C. albicans. A formação das nanopartículas de prata foi confirmada com a formação de picos característicos na espectroscopia UV-Visível e pelas imagens de MEV, onde verificou-se que a síntese com tempo de reação de 12 minutos e aquecimento a 50ºC gerou nanopartículas mais uniformes e melhor distribuídas na formulação. As sínteses propostas promoveram a redução iônica da prata de aproximadamente 100%, independente do tempo temperatura utilizados na reação. Valores de CIM para as nanopartículas de prata foram de 67,50 µg/ml e 68,75 µg/ml respectivamente para S. aureus e C. albicans independente das variações das condições de síntese. Após a seleção da síntese das nanopartículas de prata por 12 min à 50ºC, estas partículas foram também caracterizadas por difração de raios-X e microscopia eletrônica de transmissão (TEM), e as respectivas formulações por meio de espalhamento de luz dinâmica, dosagem de íons livres, potencial zeta, MEV e TEM. Para essas formulações foi também realizado um teste de estabilidade variando-se umidade e temperatura. Além da atividade antimicrobiana contra Candida albicans SC 5314 e Staphylococcus aureus ATCC 25923, a citotoxicidade em fibroblastos (L929) das nanopartículas de prata e das formulações destas partículas e do extrato da casca de romã foram também avaliadas. Para os extratos foram observados valores de 3,13, 86,39±0,96% m/m, 3,64±0,03 mg/g, 392,0±9 mg/g respectivamente para pH, massa seca, ácido elágico e totais fenólicos. Como controle, foram produzidas nanopartículas de prata sintetizadas convencionalmente (AgNP química), e observou-se potencial redutor de 99,89% e 99,51% para as sínteses utilizando-se extrato de romã (AgNP green) e um agente redutor químico convencional (AgNP química). Verificou-se a formação de partículas com tamanhos médios de 89 e 19 nm para nanopartículas green e química. A formulação contendo as nanopartículas de prata apresentaram um potencial antimicrobiano expressivamente maior do que o princípio ativo isolado, sendo 255 e 4 vezes mais efetiva contra S. aureus e C. albicans, respectivamente. Os valores de citotoxicidade foram consideravelmente menores para as nanopartículas de prata sintetizadas pelo extrato de romã quando comparadas as produzidas convencionalmente. De acordo com os valores de CIM e da citotoxicidade, a concentração das formulações foi ajustada, gerando assim três formulações: i) AgNP green, ii) AgNP química e iii) extrato de romã, nas concentrações de 337,5 µg/ml, 5,55 µg/ml e 94 µg/ml respectivamente. Para o estudo in vivo, utilizou-se como controle um medicamento comercial contendo prata indicado para tratamento de feridas (Sulfadiazina de prata). Foram selecionados noventa ratos Wistar machos com peso médio de 180 gramas. Foi induzida diabetes nos ratos, e, em seguida, realizou-se duas incisões no dorso dos animais e as lesões foram imediatamente infectadas com S. aureus (ATCC 25923) e C. albicans (SC 5314). Após 24 h, os animais foram divididos em grupos de acordo com as formulações propostas em cada tratamento, seguindo-se um protocolo de duas vezes ao dia por 2, 7 e 14 dias. Após o período de tratamento os animais foram eutanasiados e verificado o potencial reparador através do índice de fechamento de ferida, avaliação do infiltrado inflamatório, angiogenese, mieloperoxidase e hidroxiprolina. Ainda foi verificado o potencial antimicrobiano das formulações através da contagem de células viáveis de cada microrganismo infectado nas feridas. De forma geral, as formulações contendo nanopartículas de prata mostraram os melhores resultados para o fechamento das feridas, apresentando ainda uma atividade anti-inflamatória maior que a do extrato de casca de romã, o qual apresentou atividade pró inflamatória. Todos os tratamentos não foram capazes de reduzir de forma significativa o número de células de C. albicans, enquanto para S. aureus todos os tratamentos apresentaram redução significativa após quatorze dias de tratamento. Independente das nanopartículas de prata serem produzidas quimicamente ou por meio do extrato da casca de romã, ambas apresentaram considerável potencial de reparo de feridas infectadas em modelos in vivo com ratos. Os achados das presentes pesquisas reforçam e estimulam o uso potencial das nanopartículas de prata no tratamento de feridas, com destaque para a síntese green por gerar menos danos ao meio ambiente e às pessoas envolvidas tanto em sua produção como aos pacientes, e por apresentar, ainda, custo inferior quando comparada às sínteses utilizando reagentes químicos e processos convencionais(AU)


The aim of this study was to investigate the production of silver nanoparticles through peel extract of pomegranate, and produce formulations containing these particles to be used in wound healings. Its antimicrobial action, cytotoxicity and healing potential were tested. The synthesis of silver nanoparticles were based on two methods proposed in the literature with some modifications, which were used carboxymethylcellulose, propylene glycol, silver nitrate, water and peel extract of pomegranate as reducing agent. The peel extract was characterized by pH, dry mass and bioactive tannins (elagic acid and total phenols expressed as galic acid). The total phenols were also quantified after being heated at 50ºC and 100ºC for 12 minutes, 1 hour and 2 hours. Then, silver nanoparticles were added in a solution containing products to develop a formulation to be tested in wound healing. They were characterized by UV-Vis spectroscopy, scanning electron microscopy (SEM), zeta potential and the quantification of remaining silver ions after the synthesis reaction. The antimicrobial activity of the nanoparticles and formulations were tested against Candida albicans (SC 5314) e Staphylococcus aureus (ATCC 25923) by microdilution method. After submitting the peel extract to different conditions of temperature and times (50ºC and 100ºC for 12 minutes, 1 hour and 2 hours), it was noted that the values of the minimum inhibitory concentration was not affected and were 391 µg/ml and 781 µg/ml for S. aureus and C. albicans. The formation of silver nanoparticles was confirmed through the formation of characteristic peaks in the UV-Vis spectroscopy and SEM images, and it was observed that the reaction at 50ºC for 12 min produced silver nanoparticles with regular forms and better dispersed in the formulation. The synthesis proposed promoted the reduction of silver ions at about 100%, regardless of the time and temperature used in the reaction, which also did not interfere in antimicrobial activity against C. albicans (68,75 µg/ml) and S. aureus (67,50 µg/ml). After selecting the reaction at 50ºC for 12 min, the silver nanoparticles produced ere also characterized by X-ray diffraction and transmission electron microscopy (TEM), and the respective formulations through dynamic light scattering, free ion dosage, zeta potential, SEM and TEM. The stability test varying humidity and temperature was also performed for those formulations. Besides antimicrobial assays, the cytotoxicity (L929 fibroblasts) of the silver nanoparticles and the formulations of these particles and of the pomegranate peel extract were evaluated. It was observed in the peel extract the values of 3,13, 86,39±0,96% m/m, 3,64±0,03 mg/g and 392,0±9 mg/g respectively for pH, dry mass, elagic acid and total phenols concentrations. Silver nanoparticles produced by conventional chemical method was prepared and used as controls, and it was noted the reduction potential of 99,89% and 99,51% for the synthesis using pomegranate peel extract (AgNP green) and chemical reducing agent (AgNP chemical). The averages sizes of green and chemical AgNP were 89 and 19 nm. The formulation containing silver nanoparticles presented an antimicrobial potential expressively higher than the active input, being 254 and 5- fold more effective against S. aureus and C. albicans. Also, the cytotoxicity was notable reduced when silver nanoparticles were produced using pomegranate peel extract. Based on the MIC values and the cytotoxicity findings, the concentration of the formulations were determined: i) AgNP green at 337.5 µg/ml, ii) AgNP chemical at 5.55 µg/ml, and iii) pomegranate peel extract at 94 µg/ml. In the in vivo study, a commercial form of silver (Sulfadizsine) to the wound healing was used as control. Ninety Wistar male rats were selected, and, after inducing diabetes, two incisions on the dorsum of the animals were made and followed infected with S. aureus (ATCC 25923) and C. albicans (SC 5314). After the infection, the animals were treated with the formulations twice a day for 2, 7 and 14 days. Then, the animals were euthanized and the repair potential was verified through wound closure index, inflammatory infiltrate evaluation, angiogenesis, myeloperoxidase and hydroxyproline. It was also determined the antimicrobial potential by counting the viable cells of each microorganism used to infect the wounds. In general, the formulations containing silver nanoparticles promoted a better closure of the wounds, and a higher anti-inflamatory activity than the peel extract formulation which otherwise presented a pro-inflamatory effect. All formulations could not significantly reduce the viable cells of C. albicans, while for S. aureus they reduced significantly the cells after 14 days of treatment. Silver nanoparticles produced by both green and conventional chemical process present notable potential in repairing infected wounds in in vivo rat model. The findings of the present research strengthen and stimulate the potential application of silver nanoparticles in wound healings, highlighting the green production of these particles which apart from being lower costly, it is ecofriendly and less detrimental to people involved in its production and use(AU)


Assuntos
Animais , Ratos , Candida albicans , Lythraceae , Prata , Staphylococcus aureus , Cicatrização , Biofilmes , Nanopartículas , Nanotecnologia , Ratos Wistar
5.
Araçatuba; s.n; 2017. 145 p. ilus, graf, tab.
Tese em Inglês, Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-905700

RESUMO

O presente estudo revisou na literatura trabalhos entre 2006 e 2017 relacionados à fitossíntese de nanopartículas de prata (AgNP) e destacar a variedade de plantas passíveis de serem utilizadas e o quanto estas influenciam as características e propriedades dessas nanopartículas. Avaliou-se também como a temperatura (25, 50, 70 e 95°C) e a concentração de extrato da casca de romã (Punica granatum) (7, 14 e 28 mg mL -1 ) interferem na efetividade da reação fitoquímica por meio da quantificação dos íons Ag+ livres na solução de AgNP. A atividade antifúngica das AgNP produzidas foi avaliada por meio do método da microdiluição (CLSI M27-A2) contra cepas padrão (ATCC) de Candida albicans e Candida glabrata. As AgNP foram caracterizadas por microscopia eletrônica de varredura (MEV), difração de raios-X e espectroscopia UV/visível. O extrato da casca desidratada da romã foi obtido por maceração seguido de percolação em etanol (70%) e desidratado em rota-evaporador. Quantificou-se os fenóis totais expressos em ácido gálico por método colorimétrico e o ácido elágico por HPLC, sendo respectivamente 158,61 e 4,21 mg mL -1 . Foram revisados mais de duzentos artigos relacionados à fitossintese de AgNP, onde cerca de cento e setenta plantas foram utilizadas para esta síntese e sendo a maioria delas geograficamente concentradas nos continentes asiático e europeu. As AgNP fitossintezadas no presente estudo apresentaram concentração de íons livres de Ag+ proporcional à quantidade de extrato utilizada na reação e maior nas temperaturas mais elevadas, e foram efetivas contra ambas cepas padrão de Candida avaliadas(AU)


The present work reviewed in the literature studies of phythosynthesis of silver nanoparticles (AgNP) between 2006 and 2017, highlighting the variety of plants used to and how they can influence the characacteristics and properties of AgNP. This work also evaluated the influence of temperature (25, 50, 70 and 95°C) and concentration of peel extract of pomegranate (Punica granatum) (7, 14 and 28 mg mL-1 ) on the effectiveness of phytosynthesis reaction by quantifying the free Ag+ ions in the AgNP soluction. The antifungal activity of AgNP against reference strains (ATCC) of Candida albicans and Candida glabrata were evaluated by the microdilution method (CLSI M27-A2). AgNP were characterized through scanning electron microscopy (SEM), XRay diffraction and UV-Vis spectroscopy. The pomegranate peel was dehydrated and the hydroalcoholic extract was obtained by maceration followed by percolation, and then obtained the crude extract using a rotary evaporator. Total phenols expressed in galic acid and elagic acid were quantified in the extract using a colorimetric method and by HPLC, and the values found were 158.61 and 4.21 mg mL-1 , respectively. It was found more than two hundred studies using about an hundred seventy plants to synthesize AgNP, being the majority of those plants from the Asiatic and European Continents. The AgNp phytosynthesized in the present study presented the concentration of free Ag+ ions proportional with the quantity of pomegranate peel extract and it was high when the temepratures used in the reaction were above 50ºC. Also, AgNP were effective against both Candida reference strains evaluated(AU)


Assuntos
Candida albicans , Candida glabrata , Nanopartículas , Lythraceae , Prata , Antibacterianos , Romã (Fruta)
6.
São José dos Campos; s.n; 2017. 43 p. il., tab., graf..
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-906576

RESUMO

A matriz de hidrogel é um biomaterial de nanofibra peptídica tridimensional que induz o crescimento, migração e proliferação celular, assim favorecendo a regeneração tecidual. O objetivo deste trabalho foi avaliar a biocompatibilidade e a atividade antimicrobiana da matriz de hidrogel associado ao extrato romã e ao antimicrobiano ciprofloxacino. Para isso, foram realizadas análises microbiológicas sobre Enterococcus faecalis (ATCC 4083) em cultura planctônica, por meio d ensaio de microdiluição em caldo e em biofilme pelo teste de MTT. Para os ensaios da biocompatibilidade, foi utilizada cultura de macrófagos (RAW 264.7). A citotoxicidade foi avaliada pelo ensaio de MTT e a genotoxicidade foi realizado pelo teste de micronúcleo. A análise estatística foi realizada pelos testes ANOVA e Tukey, adotando o nível de significância 5%. Os resultados demonstraram que a matriz de hidrogel associado ao extrato de romã não apresentou atividade antimicrobiana para a cultura planctônica como para o biofilme de E. faecalis. Porém, não foi citotóxico e genotóxico para RAW 264.7. Por outro lado, o antimicrobiano ciprofloxacino apresentou atividade antimicrobiana sobre E. faecalis,além de ter apresentado efeitos citotóxico e genotóxico para os macrófagos. Com isso, foi possível concluir que o extrato de romã associado ou não a matriz de hidrogel apresenta ausência de citotóxico, genotóxico e efeito antimicrobiano


The hydrogel matrix is a three-dimensional peptide nanofiber biomaterial that induces cell growth, migration and proliferation, thus favoring tissue regeneration. The objective of this work was to evaluate the biocompatibility and antimicrobial activity of the hydrogel matrix associated with the pomegranate extract and the antimicrobial ciprofloxacin. For this, microbiological analyzes on Enterococcus faecalis (ATCC 4083) were carried out in planktonic culture, by means of the microdilution test in broth and in biofilm by the MTT test. For the biocompatibility assays, macrophage culture (RAW 264.7) was used. Cytotoxicity was assessed by the MTT assay and genotoxicity was performed by the micronucleus test. Statistical analysis was performed by the ANOVA and Tukey tests, adopting the significance level 5%. The results showed that the hydrogel matrix associated with the pomegranate extract did not show antimicrobial activity for the planktonic culture as for the E. faecalis biofilm. However, it was not cytotoxic and genotoxic for RAW 264.7. On the other hand, the antimicrobial ciprofloxacin showed antimicrobial activity on E. faecalis, besides having cytotoxic and genotoxic effects for the macrophages. With this, it was possible to conclude that the pomegranate extract associated or not with the hydrogel matrix shows absence of cytotoxic, genotoxic and antimicrobial effect


Assuntos
Humanos , Citotoxicidade Imunológica , Células , Citotoxicidade Imunológica/imunologia , Enterococcus faecalis/imunologia , Genotoxicidade/efeitos adversos , Lythraceae/classificação
7.
Bauru; s.n; 2016. 163 p. tab, ilus, graf.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-881478

RESUMO

Adesivos protéticos inibem a inflamação da mucosa subjacente e podem receber, em sua composição, componentes antimicrobianos, reduzindo o risco do desenvolvimento da estomatite protética (EP), doença relacionada principalmente à colonização das próteses pelo fungo Candida albicans. Tem sido relatada a atividade antifúngica de fitoterápicos, podendo auxiliar no tratamento da EP. Objetivo: Realizar o estudo fitoquímico de substâncias potencialmente ativas de Equisetum giganteum (Eg) (Cavalinha) e de Punica granatum (Pg) (Romã) e avaliar in vitro se a incorporação de extratos hidroalcóolicos de Eg e de Pg a um adesivo protético (COREGA®) influencia no desenvolvimento do biofilme de C. albicans (SC5314) sobre a superfície de resina acrílica termopolimerizável (Lucitone 550). Material e Métodos: Após identificação dos compostos dos fitoterápicos por HPLC-PAD, foi selecionada a fração e a concentração de interesse por meio da concentração inibitória mínima (CIM). Os biofilmes foram induzidos durante 3, 6 ou 12 horas sobre a superfície de corpos de prova de resina acrílica, previamente submetidos ao tratamento com o adesivo associado aos fitoterápicos (AD/Eg ou AD/Pg). Como controles, corpos de prova foram tratados apenas com adesivo (AD), com a associação adesivo/nistatina (AD/Nt) ou não recebam tratamento (PBS). A atividade antimicrobiana foi avaliada por meio da quantificação do biofilme pela contagem de unidades formadoras de colônias por mililitro (UFC/mL) e pelo percentual de redução da atividade metabólica das células fúngicas pelo ensaio colorimétrico de redução de sais de tetrazólio XTT (2,3 Bis (2-Methoxy-4-Nitro-5-Sulfophenil) 5 - [(Phenyl-Amino) Carbonyl] 2H - Tetrazolium Hidroxide). Os resultados foram expressos como média ± desvio padrão, e submetidos ao teste de Kruskal-Wallis para UFC/mL e Mann-Whitney ou análise de variância ANOVA-2 fatores seguido do teste post-hoc de Tukey HSD e teste de Dunnett para XTT. As médias dos valores obtidos pelas duas metodologias (UFC/mL e XTT) foram submetidas ao teste de correlação de Spearman (α= 0,05). Resultados: Foi possível identificar, pela análise em HPLCPAD, compostos derivados de kaempferol e quercetina em Eg e derivados de elagitaninos, como punicalina, em Pg. A associação de ambos os fitoterápicos ao adesivo (AD/Eg ou AD/Pg) reduziram significativamente o biofilme sobre a superfície da resina, em comparação ao grupo AD. Considerando os corpos de prova tratados, o período inicial (3 horas) apresentou os melhores resultados em relação à inibição do crescimento fúngico, comparando-se com os outros períodos. Conclusão: Possivelmente, o potencial antimicrobiano de Eg e de Pg está associado a compostos como flavonoides e taninos, respectivamente. Por fim, é possível que a associação destes fitoterápicos ao adesivo protético COREGA® poderá constituir uma alternativa temporária, viável e inovadora para auxiliar no tratamento e/ou prevenção da EP, desde que a manutenção das propriedades inerentes deste adesivo seja comprovada após estudos posteriores.(AU)


Denture adhesives inhibit inflammation of the underlying mucosal tissue and can receive, in their composition, antimicrobial components, reducing the risk of development of denture stomatitis (DS), a disease related mainly to the colonization of the prosthesis by the fungus Candida albicans. It has been reported the antifungal activity of herbal medicines, which may help in the treatment of DS. Objective: To realize the phytochemical study of potentially active substances of Equisetum giganteum (Eg) (Cola de caballo) and Punica granatum Linne (Pg) (Pomegranate) and evaluate in vitro the incorporation of hydroalcoholic extracts of Eg and Pg to a denture adhesive (COREGA®) influences the development C. albicans biofilm (SC5314) on the surface a polymerized acrylic resin (Lucitone 550). Material and Methods: After identification of compounds of the herbal by HPLC-PAD, the fraction and the concentration were selected by minimum inhibitory concentration (MIC). Biofilms were induced for 3, 6 or 12 hours on the surface of acrylic resin specimens, previously subjected to treatment with the adhesive associated with herbal (AD/Eg or AD/Pg). As controls, samples were treated with adhesive (AD), adhesive/nystatin association (AD/Nt) or not received treatment (PBS). The antimicrobial activity was evaluated by quantifying the biofilm using counting colony forming units per milliliter (CFU/mL) and by reduction percentage of fungal metabolic activity using colorimetric assay XTT (2,3 Bis (2-Methoxy-4-Nitro-5-Sulfophenil) 5 - [(Phenyl-Amino) Carbonyl] 2H - Tetrazolium Hidroxide). The results were expressed as mean ± standard deviation, and subjected to Kruscal-Wallis test for CFU/mL and Mann-Whitney or 2-way analysis of variance (ANOVA) followed by Tukey's HSD post-hoc test and Dunnett test for XTT. The mean values obtained by the two methods (CFU/mL and XTT) were submitted to Spearman correlation test (α=0,05). Results: It was possible to identify, by the analysis on HPLC-PAD, compounds derived from kaempferol and quercetin in Eg and ellagitannins derivatives, as punicalin in Pg. The combination of both herbal medicines to the adhesive (AD/Eg or AD/Pg) significantly reduced the biofilm on the surface of the resin, compared to the AD group. Accordingly, there was an increase in the percentage of reduction of the metabolic activity of biofilm at all periods in the presence of herbal medicines. Considering the treated specimens, the initial period (3 hours) showed the best results in relation to inhibition of fungal growth compared with other periods. Conclusion: Possibly, the antimicrobial potential of E. giganteum and P. granatum is associated with compounds such as flavonoids and tannins, respectively. Finally, we suggest that the combination of these herbal medicines to COREGA® prosthetic adhesive may be a temporary, viable and innovative alternative to assist in the treatment and/or prevention of DS, since the maintenance of the inherent properties of this adhesive is proven after further studies.(AU)


Assuntos
Resinas Acrílicas/química , Candida albicans/efeitos dos fármacos , Cimentos Dentários/química , Prótese Dentária/microbiologia , Equisetum/química , Lythraceae/química , Análise de Variância , Contagem de Colônia Microbiana , Teste de Materiais , Testes de Sensibilidade Microbiana , Reprodutibilidade dos Testes , Estatísticas não Paramétricas , Estomatite sob Prótese/prevenção & controle , Propriedades de Superfície
8.
Araçatuba; s.n; 2016. 102 p. graf, ilus, tab.
Tese em Inglês, Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-867931

RESUMO

O objetivo geral desse estudo foi sintetizar e caracterizar nanobiomateriais compostos por nanopartículas de prata (AgNP) e glicerofosfato de cálcio (CaGP) sintetizados por rotas químicas utilizando-se borihidreto de sódio ou citrato de sódio e fitoquímica por meio de extrato da casca de romã, e avaliar seu efeito antimicrobiano contra cepas de referência de Candida albicans (ATCC 10231) e Streptococcus mutans (ATCC 25175) e sua citotoxicidade em células de fibroblastos (L929). Além do agente redutor, para as sínteses químicas variou-se a concentração de prata (1 ou 10%), a apresentação do CaGP (micro ou nanoparticulado), o solvente utilizado na síntese (água deionizada ou isopropanol) e a forma dos nanocompostos (em suspensão, seco em estufa ou liofilizado). Para a síntese fitoquímica utilizou-se o extrato da casca desidrata da romã, obtido por percolação em etanol (70%) e com os compostos totais fenólicos expressos em ácido gálico e a concentração de ácido elágico quantificados respectivamente por método colorimétrico e HPLC. A caracterização dos nanocompostos e dos controles contendo somente AgNP foi feita por UV-Vis, MEV, e EDX. A ação antimicrobiana foi avaliada por meio da mínima contração inibitória de acordo com o método da microdiluição (CLSI M27-A2 e M07-A9), enquanto que a viabilidade celular dos fibroblastos foi quantificada utilizando-se método fluorimétrico (Alamar Blue). Esses experimentos foram realizados em triplicata em três ocasiões diferentes e os dados de porcentagem de viabilidade celular foram analisados pela ANOVA de um fator seguido do teste de Bonferroni (α=5%). Para todas as sínteses houve formação de AgNP associadas ao CaGP. Contudo pela microscopia somente na concentração de 10% de prata visualizou-se as AgNP decorando a superfície do CaGP (síntese com borihidreto de sódio e isopropanol) ou envolta pelo CaGP (síntese com borihidreto e água e com casca da romã). Os nanocompostos sintetizados quimicamente foram mais efetivos contra...


The aim of this study was to synthesize and characterize nanomaterials compounds by silver nanoparticles (AgNP) and calcium glycerophosphate (CaGP) synthesized by chemical route using sodium borihidreto or sodium citrate, and phytochemical through pomegranate peel extract, and evaluate its antimicrobial effect against reference strains of Candida albicans (ATCC 10231) and Streptococcus mutans (ATCC 25175) and its cytotoxicity in fibroblast cells (L929). Besides, reducing agent for chemical syntheses, is varied the silver concentration (1 or 10%), the form of CAGP (micro or nanoparticulate), the solvent used in synthesis (deionized water or isopropanol) and the form of the nanocomposite ( suspended, dry in incubator or lyophilized). For the phytochemical synthesis, utilized the peel extract of pomegranate obtained by percolation in ethanol (70%) and total phenolic compounds was expressed in gallic acid standard and ellagic acid concentration respectively quantified by colorimetric method HPLC. The characterization of nanocomposites and controls containing only AgNP was made by UV-Vis spectroscopy, SEM and EDX. The antimicrobial activity was evaluated by the minimum inhibitory concentration according to the microdilution method (CLSI M27-M07-A2 and A9), whereas fibroblast cell viability was quantitated using fluorimetric method (Alamar Blue). These experiments were performed in triplicate on three different occasions and the cell viability percentage data were analyzed by one-way ANOVA followed by Bonferroni test (α = 5%). For all syntheses were associated between AgNP and CaGP. However only by microscopy at a concentration of 10% silver visualized the AgNP decorating the surface of CaGP (synthesis with sodium borihidreto and isopropanol) shrouded by CaGP or (synthesis with borihidreto and water and pomegranate peel). The nanocompounds synthesized by chemical route, were more effective against the microorganisms than synthesized by the phytochemical route...


Assuntos
Candida albicans , Glicerofosfatos , Nanopartículas , Lythraceae , Prata , Streptococcus mutans
10.
Rev. odonto ciênc ; 21(53): 232-237, jul.-set. 2006. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: lil-457363

RESUMO

O Brasil dispõe de uma diversidade de substâncias naturais com propriedades terapêuticas bastante difundidas dentro da Odontologia Preventiva. Neste trabalho, objetivou-se avaliar a atividade antibacteriana das tinturas de jucá, aroeira, gengibre, alfavaca, própolis, romã e hortelã da folha graúda, sobre as linhagens de S. aureus (ATCC 25923), S. mutans (ATCC 2575), S. sobrinus (ATCC 27609), S. mitis (ATCC 9811), S. sanguis (ATCC 10557) e L. casei (ATCC 7469), utilizando-se a clorexldina 0,12% como controle positivo. Determinou-se a diluição inibitória máxima (DIM) em meio de cultura Agar Mueller Hlnton, das tinturas nas formas pura (1:0) e diluídas de 1:1 até 1:32. Observou-se susceptibilidade variada das bactérias, sendo o S. aureus o microorganismo mais sensível. Dentre as tinturas, o jucá, a aroeira e a própolis apresentaram uma significativa atividade antibacteriana sobre S. mutans, S. sobrinus, S. mitis, S. sanguis e L.casei, sendo que o gengibre e a alfavaca apresentaram os menores espectros de ação frente às linhagens bacterianas avaliadas.


Assuntos
Boca/microbiologia , Técnicas In Vitro , Lactobacillus casei , Fitoterapia , Staphylococcus aureus , Streptococcus mitis , Streptococcus mutans , Streptococcus sanguis , Streptococcus sobrinus , Anacardiaceae , Gengibre , Própole , Lythraceae , Satureja
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA