Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 3 de 3
Filtrar
Mais filtros










Filtros aplicados

Intervalo de ano de publicação
1.
Bauru; s.n; 2017. 78 p. ilus, tab, graf.
Tese em Inglês | BBO - Odontologia | ID: biblio-882987

RESUMO

Oral squamous cell carcinoma (OSCC) is one of the most common cancer in the head and neck and results in high morbidity and mortality annually, being the worst prognosis related to the presence of metastasis in cervical lymph nodes. Metastasis has been associated with a subpopulation of tumor cells, called cancer stem cells (CSCs), which consists of a small population with stem-like cells properties, higher rate of migration and metastatic potential compared to other ordinary tumor cells from the tumor bulk. The aim of present study was to evaluate the immunoexpression of the CSC markers ALDH1 and CD44 in primary sites of OSCC and corresponding metastatic lymph nodes, by means of immunohistochemistry. The immunolabeling was further correlated with clinicopathological data. Archived Formalin-fixed, Paraffin-embedded tumor tissue specimens (n=50) and corresponding metastatic lymph nodes (n=25) were obtained from 50 patients with OSCC after surgical treatment. CD44 and ALDH1 immunostaining were semi-quantitatively scored according to the proportion and intensity of positive cells within the invasive front and metastatic cervical lymph nodes as a whole. The percentage of ALDH1 and CD44 positive tumor cells as well as immunostaining intensity was graded and a combined score, ranging from 0 to 9 (ALDH1) or 0 to 12 (CD44), was obtained by multiplying both parameters. Next, combined scores were dichotomized into a final score classified as low (ALDH1≤ 2; CD44≤ 4) or high (ALDH1> 2; CD44> 4) immunoexpression. ALDH1 and CD44 immunoexpression was detected in both primary and metastatic tumor sites, although with different immunolabeling pattern. ALDH1-positive tumor cells consisted of scattered patches and no immunoexpression was observed within keratin pearls. Conversely, CD44 immunopositivity was more homogeneous and widely distributed, with higher labeling in peripheral areas of the tumor islands within the tumor invasion front. Although not statistically significant, the means of ALDH1high (p= 0.0985) and CD44high (p= 0.1632; Mann- Whitney post-test) immunoexpression were higher in metastatic lymph nodes compared to primary tumors. ALDH1high was positively associated (p= 0.0184) with perivascular invasion, while CD44high was positively associated (p= 0.0186; Fisher's Exact Test) with metastasis (N+). Five-year survival rates tended to be lower in patients with ALDH1high immunoexpression compared to ALDH1low, although with no statistical significance (p= 0.1303). In summary, the present study revealed that CD44 is highly labeled in tumor cell from metastatic sites, being associated with lymph node metastasis, while ALDH1 high immunostaining was associated with perivascular invasion. Altogether, it suggests that immunoexpression of CD44 and ALDH1 links the cancer stem cell phenotype with OSCC invasion and metastasis.(AU)


O carcinoma epidermóide de boca (CEB) é uma das neoplasias mais comuns da região de cabeça e pescoço e resulta em alta morbidade e mortalidade anualmente, estando o pior prognóstico relacionado à presença de metástase em linfonodos cervicais. O processo de metástase tem sido associado a uma subpopulação de células tumorais, chamadas células-tronco de câncer (CSC, do inglês Cancer stem cells), que consistem em uma pequena população de células com propriedades de células-tronco, incluindo maior taxa de migração e potencial metastático em comparação com outras células tumorais. O objetivo do presente estudo foi avaliar os marcadores candidatos de CSCs ALDH1 e CD44 em tumores primários de CEB e metástases linfonodais correspondentes, por meio de imuno-histoquímica. A imunomarcação foi posteriormente correlacionada com dados clínico-patológicos. Foram obtidas amostras de tecido tumoral parafinado fixado em formalina (n = 50) e os linfonodos metastáticos correspondentes (n = 25) de 50 pacientes com CEB submetidos somente ao tratamento cirúrgico. Os marcadores CD44 e ALDH1 foram analisados de forma semi-quantitativa de acordo com a proporção e intensidade de células positivas no fronte de invasão e em linfonodos cervicais metastáticos como um todo. A porcentagem de células tumorais ALDH1 e CD44 positivas, bem como a intensidade da imunomarcação, foi classificada em um escore combinado obtido pela multiplicação de ambos os parâmetros, variando de 0 a 9 (ALDH1) ou 0 a 12 (CD44). Em seguida, as pontuações combinadas foram dicotomizadas em um escore final classificado como baixo (do inglês low) (ALDH1 ≤ 2; CD44 ≤ 4) ou alto (do inglês high) (ALDH1> 2; CD44> 4). A imunoexpressão de ALDH1 e CD44 foi detectada tanto em tumores primários quanto em linfonodos cervicais metastáticos, embora com padrão diferente de imunomarcação. Células tumorais ALDH1-positivas foram identificadas como focais e dispersas ao longo do fronte de invasão, sem imunomarcação nas pérolas córneas. Em contraste, a imunopositividade para CD44 foi mais homogênea e amplamente distribuída, com maior imunomarcação em áreas periféricas das ilhotas tumorais presentes no fronte de invasão. Embora não estatisticamente significativa, as médias da imunoexpressão ALDH1high (p = 0.0985) e CD44high (p = 0.1632, pós-teste de Mann-Whitney) foram maiores em linfonodos metastáticos em comparação com tumores primários. ALDH1high foi positivamente associado com invasão perivascular (p = 0.0184), enquanto CD44high foi com metástase (N+) (p = 0.0186; teste exato de Fisher). As taxas de sobrevida global em 5 anos tenderam a ser mais baixas em pacientes com imunoexpressão elevada de ALDH1 em comparação com ALDH1low, embora sem significância estatística (p = 0.1303). Em resumo, o presente estudo revelou que a elevada imunomarcação de CD44 está significativamente associada com metástases linfonodais, enquanto que a elevada imunomarcação de ALDH1 está associada com invasão perivascular. Em conjunto, sugerimos que a imunoexpressão de CD44 e ALDH1 esteja relacionada com o fenótipo de células tronco de câncer que tem capacidade de invasão e metástase em CEB.(AU)


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Idoso de 80 Anos ou mais , Carcinoma de Células Escamosas/patologia , Receptores de Hialuronatos/análise , Isoenzimas/análise , Neoplasias Bucais/patologia , Retinal Desidrogenase/análise , Biomarcadores Tumorais/análise , Imuno-Histoquímica , Invasividade Neoplásica/patologia , Metástase Neoplásica/patologia , Prognóstico , Valores de Referência
2.
Bauru; s.n; 2014. 107 p. ilus, tab, graf.
Tese em Português | BBO - Odontologia | ID: biblio-866954

RESUMO

A proteína moesina, uma das proteínas do complexo ERM (ezrina, radixina e moesina), participa do processo de migração de células tumorais controlando a ligação entre o citoesqueleto de actina e os receptores transmembrana. As proteínas ERM vêm sendo investigadas como ligantes de outras glicoproteínas, como a podoplanina, cuja expressão é encontrada em células malignas de diversas neoplasias, incluindo o carcinoma espinocelular (CEC) de boca. O objetivo desse estudo foi avaliar as expressões imuno-histoquímicas da moesina e da podoplanina pelas células malignas no front de invasão de 84 pacientes com CEC de boca e suas associações com a evolução clínica e com o prognóstico dos pacientes. A associação entre a expressão imuno-histoquímica da moesina e da podoplanina pelas células malignas e as variáveis demográficas, clínicas e microscópicas foi avaliada pelo teste qui-quadrado ou teste exato de Fisher. As análises de sobrevida global e livre de doença em 5 e 10 anos foram calculadas pelo estimulador produto-limite de Kaplan-Meier e a comparação das curvas de sobrevida realizada pelo teste de log-rank. Os resultados mostraram que houve expressão da moesina pelas células malignas na região do front de invasão tumoral, entretanto, nenhuma associação estatisticamente significativa foi encontrada entre esta proteína e as características clínicas, demográficas e microscópicas. A expressão da podoplanina, pelas células malignas, foi significativamente associada à radioterapia (p=0,004), à invasão muscular (p=0,006) e ao comprometimento linfonodal (p=0,013). Não houve associação significativa entre a expressão das duas proteínas nos CECs de boca (p=0,460). A forte expressão da moesina pelas células malignas constituiu um fator de prognóstico desfavorável para os pacientes com CEC de boca e estadiamento clínico II e III. O comprometimento linfonodal histopatológico também se mostrou fator de prognóstico significativo para a recidiva da doença (p=0,018)...


The moesin protein, one of the proteins of the ERM complex (ezrin, radixin and moesin) takes part in the migration of tumor cells process by controlling the relation between actin cytoskeleton and transmembrane receptors. The ERM proteins have been investigated as ligants of other glycoproteins, such as podoplanin, which are found in malignant cells of malignant, including oral squamous cell carcinoma (OSCC). The aim of this study was to evaluate the immunohistochemical expressions of moesin and podoplanin by malignant cells in the invasive front of 84 patients with oral squamous carcinoma and its association with clinical outcome and patients' prognosis. Chi- square or Fisher's exact test was used to analyze the association between the moesin and podoplanin expressions by malignant cells and demographic, clinical and microscopic variables in oral squamous cell carcinoma patients. The 5 and 10 years survival rates were calculated by Kaplan-Meier method and the comparison of survival curves were performed using log-rank test. The results showed that there was moesin expression by malignant cells in the invasive front, however, no statistically significant association was found between this protein and demographic, clinical and microscopic features. The expression of podoplanin by malignant cells was significantly associated with radiotherapy (p=0.004), with muscular invasion (p=0.006) and lymph node involvement (p=0.013). There was no significant association between the expression of two proteins in OSCC (p=0.460). The strong expression of moesin by malignant cells was a factor of unfavorable prognosis for patients with OSCC and clinical stage II and III. The histopathological lymph node involvement was also significant prognostic factor for disease recurrence (p=0.018). These results suggest that the expression of moesin by malignant cells and lymph node involvement may help to determine patients with squamous cell carcinoma who have a poor prognosis...


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Adulto , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Carcinoma de Células Escamosas/patologia , Glicoproteínas de Membrana/análise , Neoplasias Bucais/patologia , Proteínas dos Microfilamentos/análise , Imuno-Histoquímica , Estimativa de Kaplan-Meier , Gradação de Tumores , Invasividade Neoplásica , Prognóstico , Estatísticas não Paramétricas , Fatores de Tempo
3.
Braz. dent. j ; 14(1): 22-25, June 2003. tab, CD-ROM
Artigo em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-872575

RESUMO

A correlação entre classificação TNM e escores histológicos de malignidade e a correlação destes parâmetros com o prognóstico foi avaliada em 16 casos de carcinoma epidermóide de língua. Os casos foram selecionados dos arquivos do Hospital Dr. Luiz Antonio, Natal, RN, Brasil. Após a análise dos prontuários foram obtidos os dados relativos à classificação clínica TNM e o prognóstico (seguimento de cinco anos). A classificação morfológica dos casos foi realizada de acordo com o sistema de gradação histológica de malignidade proposto por Anneroth et al. Não houve correlação (r = 0,3083) entre classificação TNM e escores histológicos de malignidade. Houve correlação significante (r = 0,7206) entre classificação TNM e o prognóstico, o mesmo não foi observado entre escores histológicos de malignidade e prognóstico. Diante destes resultados concluímos que o estadiamento clínico TNM constitui um indicador de prognóstico importante do carcinoma epidermóide de língua


Assuntos
Humanos , Masculino , Feminino , Pessoa de Meia-Idade , Idoso , Carcinoma de Células Escamosas/patologia , Neoplasias da Língua/patologia , Seguimentos , Invasividade Neoplásica , Recidiva Local de Neoplasia , Estadiamento de Neoplasias , Prognóstico
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA